Grupo suspeita de fraude em votação de político mais corrupto do ano

Supostos softwares teriam acrescentado votos aos candidatos ao Troféu Algemas de Ouro

O Estado de S. Paulo,

16 Janeiro 2013 | 18h14

Atualizado às 20h39

SÃO PAULO - Se terminasse nesta quarta-feira, 17, o ex-senador Demóstenes Torres venceria a segunda edição do Troféu Algemas de Ouro, enquete promovida no Facebook para eleger o político mais corrupto de 2012. O prêmio é uma criação do Movimento 31 de Julho, grupo que atua na internet no combate à corrupção. Coordenadores suspeitam, no entando, que a votação tenha sido fraudada.

Eles acreditam que um software contratado por alguém tenha adulterado o resultado da enquete. Até o dia 20, dia em que o movimento pretende divulgar os vencedores, a organização quer impugnar os votos a mais que os supostos robôs teriam acrescentado aos candidatos. Segundo o grupo, o Facebook também foi comunicado sobre o ocorrido.

Até a última terça-feira, o ex-senador teria levado o prêmio. Torres foi cassado devido a sua próxima relação com o contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira.

Em segundo lugar ficaria o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), acusado pelo publicitário Marcos Valério de ter usado o dinheiro do mensalão para quitar despesas pessoas. E em terceiro, o deputado federal Eduardo Azeredo (PSDB), acusado formalmente por participar do mensalão mineiro. A votação finalizou com 23 mil votos - incluindo os que podem ser impugnados.

A primeira edição do Troféu Algemas de Ouro, realizada em 2011, foi vencida pelo senador José Sarney (PMDB), que obteve 60% dos 7 mil votos. Nesse ano, as Algemas de Prata ficaram com o ex-ministro José Dirceu (PT) e as de Bronze, com a deputada federal Jaqueline Roriz (PMN).

Veja a lista completa dos candidatos que concorreram para as Algemas de Ouro 2012:

Demóstenes Torres (ex-DEM-GO)

Eduardo Azeredo (PSDB-MG)

Erenice Guerra (PT)

Fernando Pimentel (PT)

Fernando Cavendish (Delta)

Jader Barbalho (PMDB-PA)

José Roberto Arruda (ex-DEM-DF)

Lula (PT)

Paulo Maluf (PP-SP)

Sérgio Cabral (PMDB-RJ)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.