ir para o conteúdo
 • 

Patrocinado por

Você está em Notícias > Política

Homens foram mortos a tiros e enterrados em aldeia, afirma delegado

Identificação dos corpos ainda não foi concluída, mas PF acredita serem restos mortais de desaparecidos em Humaitá (AM)

04 de fevereiro de 2014 | 14h 12
Ampliado às 14h20 - José Maria Tomazela, de O Estado de S. Paulo

SOROCABA - O exame inicial dos três corpos de homens encontrados nessa segunda-feira, 3, em aldeia na Terra Indígena Tenharim, em Humaitá, sul do Amazonas, mostrou que eles foram mortos a tiros. Ao contrário do que chegou a ser divulgado, as vítimas não sofreram decapitação ou esquartejamento. Os corpos ainda passavam por exames para identificação no início da tarde desta terça-feira, 4, mas o delegado Arcelino Damasceno, da Polícia Federal, disse não ter dúvidas de que se tratavam dos três desaparecidos.

O representante comercial Luciano Freire, o técnico Aldeney Salvador e o professor Stef Pinheiro desapareceram no dia 16 de dezembro, na rodovia Transamazônica. A suspeita da polícia é de que eles foram assassinados por índios da etnia tenharim. Cinco suspeitos por envolvimento no crime estão presos desde 30 de janeiro em Porto Velho.

O delegado aguardava a chegada dos familiares para a coleta de material para exame de DNA, mas admitia a possibilidade de reconhecimento direto. "Apesar do estado dos corpos, os familiares vão poder reconhecer, se quiserem." Os exames periciais devem indicar o calibre da arma e a causa da morte, disse o delegado.

Segundo o delegado, os cinco índios presos não informaram onde os corpos estavam enterrados. A localização foi possível graças à ajuda de mateiros do Exército e cães farejadores da Polícia Militar.

A defesa tenta pedir a soltura dos indígenas. "A Polícia Federal apresentou provas testemunhais, mas elas são genéricas e superficiais", disse o advogado Ricardo Tavares Albuquerque. Na semana passada A Associação Nacional dos Servidores da Funai (Ansef) e a Confederação Nacional dos Servidores Públicos Federais (Condsef) divulgaram nota em que sustentam haver violação aos direitos dos povos indígenas no episódio.






Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

Siga o Estadão

"Relatório foi omisso", admite Gabrielli

  • "Relatório foi omisso", admite Gabrielli
  • Pré-candidato do PV vai ao trabalho de bicicleta
  • Cerveró discorda que Pasadena era mau negócio



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo