ir para o conteúdo
 • 

Patrocinado por

Você está em Notícias > Política

cartel de trens

Janot quer ter acesso aos depoimentos dos delatores do caso Siemens

Procurador-Geral da República pretende avaliar o conteúdo das declarações de ex-executivos da multinacional alemã; pedido foi feito ao Supremo Tribunal Federal

10 de janeiro de 2014 | 22h 46
Fernando Gallo e Fausto Macedo - O Estado de S. Paulo

São Paulo - O Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello, relator do caso Siemens, acesso às colaborações premiadas feitas por dois ex-diretores da multinacional alemã antes do caso ser enviado a Brasília.

Segundo Janot, como elas seriam a única razão de ser da remessa dos autos ao STF, já que as acusações contra políticos que têm foro privilegiado nelas contidas são os únicos elementos que justificariam a permanência do processo em Brasília, a PGR precisa analisá-las para dar seu parecer.

Janot opinará sobre a necessidade de o caso permanecer em Brasília, ser devolvido a São Paulo, ou ainda ser desmembrado para que apenas os detentores de foro privilegiado sejam investigados no STF, e os demais em São Paulo.

"Como os termos constantes nos acordos de colaboração premiada foram a base para o deslocamento de jurisdição promovido pelo juízo monocrático, essencial que eles sejam encaminhados ao STF para que se possa analisar na íntegra os elementos", escreveu Janot, que deu prazo de 48 horas para o envio.

Quando Marco Aurélio encaminhou os autos à PGR para que esta desse seu parecer, não enviou as duas colaborações premiadas, que só foram enviadas pela Justiça Federal ao Supremo depois que o caso chegou à Procuradoria-Geral da República.

Os dois executivos da Siemens que prestaram o depoimentos sigilosos na PF foram Everton Rheinheimer e Jan-Malte Orthmann. Apenas o primeiro citou envolvimento de políticos em supostas ocorrências de corrupção - ele citou os secretários estaduais Edson Aparecido (PSDB), Rodrigo Garcia (DEM) e José Aníbal (PSDB) e o deputado federal Arnaldo Jardim (PPS-SP).






Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

Siga o Estadão

"Relatório foi omisso", admite Gabrielli

  • "Relatório foi omisso", admite Gabrielli
  • Pré-candidato do PV vai ao trabalho de bicicleta
  • Cerveró discorda que Pasadena era mau negócio



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo