ir para o conteúdo
 • 

Patrocinado por

Você está em Notícias > Política

Laudo confirma execução de guerrilheiro no DOI-CODI

10 de dezembro de 2013 | 21h 42
BRASÍLIA - Agência Estado

O governo apresenta nesta quarta-feira, 11, laudo pericial que confirma a execução do guerrilheiro mineiro Arnaldo Cardoso Rocha, de 23 anos, nos porões do DOI-CODI, em 1973, em São Paulo. A perícia mantém a versão aceita em 1996 pela Comissão de Mortos e Desaparecidos de que Arnaldo, militante da Ação Libertadora Nacional (ALN), foi capturado e morto sob tortura. Outros dois integrantes da ALN, Francisco Emmanuel Penteado, 21, e Francisco Seiko Okama, 26, também foram mortos na ocasião.

Em agosto deste ano, uma equipe de peritos da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, acompanhada de agentes da Polícia Federal e de representantes da Comissão Nacional da Verdade, exumou o corpo de Arnaldo num cemitério de Belo Horizonte. O laudo que será divulgado oficialmente na manhã desta quarta no Fórum Mundial de Direitos Humanos, em Brasília, destaca que o guerrilheiro foi executado com um tiro na cabeça.

A versão da ditadura, derrubada por depoimentos colhidos nos anos 1980 e 1990 e laudos de necrópsia, destaca que os guerrilheiros da ALN tinham enfrentado os agentes nas proximidades do cemitério da Penha, na capital paulista, e mortos em combate. Testemunhas disseram, no entanto, que viram os jovens feridos e ainda vivos sendo levados em carros da polícia.

A ativista de direitos humanos Iara Xavier Pereira, que foi companheira de Arnaldo, avalia que o laudo pericial é mais um passo na história da família. "É uma história que precisa ser concluída", afirma. Ela teve ainda dois irmãos mortos por agentes da ditadura. Iuri e Alex Xavier de Paula também integravam a ALN.




Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

Siga o Estadão

Cerveró discorda que Pasadena era mau negócio

  • Cerveró discorda que Pasadena era mau negócio
  • Pasadena não foi um bom negócio, diz Graça Foster
  • Candidatos de oposição escolhem São Paulo para sediar campanha



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo