ir para o conteúdo
 • 

Patrocinado por

Você está em Notícias > Política

Lula critica ação do MST em São Paulo e condena 'vandalismo'

De acordo com o presidente, \"não tem explicação para a sociedade você derrubar tantos pés de laranja\"

09 de outubro de 2009 | 16h 29
Tânia Monteiro, de O Estado de S.Paulo

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou nesta sexta-feira, 9, a ação de um grupo ligado ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), acusado de depredar a Fazenda Santo Henrique, da empresa Cutrale, em São Paulo, no último dia 28. O presidente, que sempre contou com o apoio de líderes do movimento, classificou a ação como uma cena de "vandalismo"

O presidente Lula, durante coletiva no Itamaraty - Ed Ferreira/AE
Ed Ferreira/AE
O presidente Lula, durante coletiva no Itamaraty

Veja Também

linkMST vê ação de 'infiltrados' em vandalismo

linkCPI do MST já tem assinaturas

linkAssentados criticam ação do MST

linkTarso defende punição por vandalismo

linkAssentados criticam ação do MST

linkIncra: área da Cutrale é da União

Na ação, os sem-terra arrancaram cerca de 7 mil pés de laranja, destruíram ou danificaram 28 tratores e depredaram instalações. "Todo mundo sabe que sou defensor das lutas sociais. Agora, (é diferente) uma manifestação reivindicando alguma coisa e aquela cena de vandalismo feita na televisão", desabafou Lula, em entrevista coletiva concedida no Itamaraty, ao ser questionado sobre a violência dos atos do movimento na fazenda em São Paulo.

O presidente cobrou punição aos responsáveis. "Todo mundo já aprendeu que neste País tem lei, tem Constituição. Se estiver dentro da lei, pode qualquer coisa. Se não, vai pagar o preço."

No Rio Grande do Sul, o ministro da Justiça, Tarso Genro, também defendeu punição aos responsáveis pela violência. "A lei é feita para todos, de maneira indistinta; ela é feita para o pessoal do Opportunity, para as pessoas de classe média e também para as pessoas, sejam camponeses ou operários, que cometem delitos e ações ilegais que violentam o direito dos outros", advertiu.

Apesar da condenação pública do presidente Lula à atitude do MST, o governo não vai retaliar o movimento ou criminalizá-lo. O governo entende que atitudes como esta enfraquecem o MST, que já chegou a ter apoio de parte da classe média e, agora, é alvo de críticas. Auxiliares do presidente consideraram "muito fortes" as imagens divulgadas pelas emissoras de TV.

Nos últimos cinco anos, o governo repassou a nove entidades que seriam ligadas ao MST um total de R$ 115 milhões.





Tópicos: MST, Vandalismo, Lula, Cutrale

Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

Siga o Estadão

Deputado tem mandato suspenso

  • Deputado tem mandato suspenso
  • "Relatório foi omisso", admite Gabrielli
  • Pré-candidato do PV vai ao trabalho de bicicleta



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo