ir para o conteúdo
 • 

Patrocinado por

Você está em Notícias > Política

Mercadante destaca papel do Governo contra a inflação

04 de fevereiro de 2014 | 11h 24
RICARDO DELLA COLETTA E RAFAEL MORAES MOURA - Agência Estado

Num primeiro pronunciamento marcado por temas da economia e pela defesa de ações adotadas pelo governo, o novo ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, argumentou que o Brasil está "em franco contraste" com as demais nações do globo. O país, de acordo com o ministro, mantém um quadro de estabilidade econômica, com baixas taxas de desemprego e redução da desigualdade.

Mercadante também afirmou que o Brasil, nos últimos anos, tem melhorados suas finanças públicas e defendeu a atuação do ministro da Fazenda, Guido Mantega, e de outros membros da equipe econômica, como o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, e o secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin.

De acordo com Mercadante, foram assegurados nos últimos anos "grandes avanços" na política econômica. "Tivemos um ''desendividamento'' do Estado", disse Mercadante. "Temos uma dívida pública líquida em relação ao PIB nos níveis mais baixos, em contraste com outras economias."

Na mesma linha dos pronunciamentos realizados ontem, 3, por Dilma, Mercadante destacou que o governo mantém "compromisso com o controle da inflação" e lembrou que o País manteve a inflação dentro das bandas da meta nos últimos dez anos. Segundo ele, isso mostra "a consistência do compromisso" de Dilma com o controle inflacionário e com a convergência dos índices para o centro da meta.

Mercadante também disse que novas concessões na área de infraestrutura serão realizadas em 2014 e afirmou que o País "continuará sendo um dos mercados mais atrativos para o investimento internacional e nacional". "Novas concessões ocorrerão, além do desenvolvimento do Campo de Libra, que são extraordinárias oportunidades que o Brasil oferece para investimentos internacionais e brasileiros."

O novo ministro da Casa Civil também disse que a responsabilidade do País com as contas públicas não vai estar dissociada da responsabilidade social. "Continuamos com os esforços em construir uma ampla classe média e com a superação da pobreza", afirmou.

Ainda na defesa das medidas econômicas adotadas pelo governo Dilma, Aloizio Mercadante pontuou que, no Brasil, o emprego "não é um subproduto da política econômica". "O rendimento dos trabalhadores continua a aumentar a ''exitosa'' política de aumento salarial continua a elevar a renda", defendeu o ministro. "Assim sendo o Brasil de hoje enfrenta corajosamente a crise internacional sem o sacrifício de sua população", concluiu.






Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

Siga o Estadão

"Relatório foi omisso", admite Gabrielli

  • "Relatório foi omisso", admite Gabrielli
  • Pré-candidato do PV vai ao trabalho de bicicleta
  • Cerveró discorda que Pasadena era mau negócio



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo