ir para o conteúdo
 • 

Patrocinado por

Você está em Notícias > Política

Mensalao

Policiais ofereceram pizza a petistas presos no 1º dia do grupo na Papuda

Prato foi pedido por agentes da Polícia Federal que estavam há 12 horas sem comer; demais presos são obrigados a comer as quentinhas da prisão

29 de novembro de 2013 | 20h 09
Fábio Fabrini e Andreza Matais - Agência Estado

O primeiro dia dos condenados do mensalão na Penitenciária da Papuda, em Brasília, acabou literalmente em pizza - mais precisamente dez, das grandes. A Polícia Federal encomendou caixas da iguaria italiana e promoveu um jantar "VIP" para os padrões da cadeia.

Proibida aos demais presos, que são obrigados a comer as quentinhas da prisão, a massa foi comprada pelos policiais de plantão e chegou à cela 4, que abrigava o deputado licenciado José Genoino (PT-SP), o ex-ministro José Dirceu, o ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, e o ex-tesoureiro do PL (hoje PR), Jacinto Lamas.

O cardápio da primeira noite no xadrez é citado em relatório do procurador federal dos Direitos do Cidadão, Aurélio Virgílio Veiga Rios, que visitou o Centro de Detenção Provisória da PF, na Papuda, em 17 de novembro, um dia após a transferência dos presos a Brasília. Na ocasião, o procurador e dois promotores do Ministério Público do DF encontraram no local restos da comida entregue na véspera.

"Constatamos, na entrada da ala dos detentos provisórios, a existência de dois sacos de lixo de 100 litros com as embalagens de pizza que foram encomendadas pela PF, tarde da noite, quando se decidiu que os cidadãos presos ficariam naquele recinto", relatou o procurador.

Ao Estado, a PF explicou que as pizzas foram pedidas pelos agentes, que estavam sem comer havia 12 horas, e oferecidas por educação "apenas a Genoino".

O jantar na Papuda veio da rede de pizzarias Nathely, que tem uma unidade no Jardim Botânico, bairro próximo ao presídio, e vende discos de tamanho único (oito fatias), a preços módicos. São mais de 30 opções no menu, a R$ 10,99, R$ 14 ou R$ 17.

Os entregadores estão acostumados a levar encomendas à Papuda. "A gente entrega lá dentro, mas o motoboy não gosta. Prefere na guarita, do lado de fora", explicou ontem uma das atendentes da pizzaria.

Desde a transferência à Papuda, diversas situações evidenciaram tratamento diferenciado aos condenados do mensalão, que receberam romarias de visitantes 'ilustres', a maioria congressista, fora dos dias e horários previstos para os demais internos.

Parentes e amigos dos presos comuns, no entanto, comemoraram a mudança de tratamento dos funcionários da penitenciária - agora supostamente mais cortês - na fila para a revista e a entrada.

Na quinta-feira, a Vara de Execuções Penais (VEP) do DF determinou tratamento igualitário, em relação a alimentação e visitas, aos presos da Papuda, em Brasília."A quebra da isonomia encontraria justificativa apenas e tão somente se fosse possível aceitar a existência de dois grupos de seres humanos", diz a decisão.

Procurado pelo Estado, o procurador Aurélio Virgílio não se pronunciou. A VEP informou que a ala da PF na Papuda é federal e não está sob sua jurisdição.



Tópicos: Mensalão, Papuda, Pizza

Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

Siga o Estadão

Deputado tem mandato suspenso

  • Deputado tem mandato suspenso
  • "Relatório foi omisso", admite Gabrielli
  • Pré-candidato do PV vai ao trabalho de bicicleta



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo