ir para o conteúdo
 • 

Patrocinado por

Você está em Notícias > Política

PT quer melhorar troca de informações com governo

13 de dezembro de 2013 | 19h 02
DAIENE CARDOSO - Agência Estado

A nova direção do PT se reuniu na nesta sexta-feira, 13, com a assessoria de imprensa da Presidência da República para tratar do aprofundamento da troca de informações entre o partido e o Palácio do Planalto. O partido da presidente Dilma Rousseff quer ter mais acesso às informações do governo para usar os dados nos próximos programas partidários de rádio e TV, previstos para acontecer entre fevereiro e maio de 2014.

"Nós temos de ter conhecimento do que eles fazem", argumentou o novo secretário de Comunicação da legenda, José Américo Dias, presidente da Câmara Municipal de São Paulo. A reunião, segundo Dias, foi solicitada por Alberto Cantalice, terceiro vice-presidente da sigla.

O objetivo, explicou o secretário, é também acompanhar a agenda de atividades da presidente e melhorar a "sintonia" com o Executivo. "Precisamos ter informações nacionais para produzir estes programas (partidários)", acrescentou. Durante o 5º Congresso do PT, em Brasília, os petistas passaram a tarde discutindo emendas ao documento que será divulgado neste sábado, 14. De acordo com os líderes, pelo menos 10 emendas serão levadas para votação porque não houve consenso entre os dirigentes.

Entre os temas espinhosos levantados pela militância está a política de alianças para 2014. Uma das emendas pede o rompimento de coligações regionais com o PMDB, principalmente no Maranhão e no Rio de Janeiro. Alguns dirigentes já se manifestaram contra a emenda. "O PMDB é um parceiro importante do governo", disse Dias.

No documento inicial, o PT diz que é preciso recompor os laços petistas com suas bases sociais para inibir os "aventureiros" nas disputas de 2014. O texto prévio diz que Lula e Dilma produziram muitos avanços na área social, mas veem a necessidade de construir uma plataforma para uma "nova classe média", algo que vá além de programas como o Bolsa-Família. Em outro trecho, o partido diz ser "prisioneiro" de um sistema eleitoral que "favorece a corrupção" e critica o Judiciário "lento, elitista, pouco transparente e permeado por interesses privados".



Tópicos: PT, Planalto

Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

Siga o Estadão

Deputado tem mandato suspenso

  • Deputado tem mandato suspenso
  • "Relatório foi omisso", admite Gabrielli
  • Pré-candidato do PV vai ao trabalho de bicicleta



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo