ir para o conteúdo
 • 

Patrocinado por

Você está em Notícias > Política

PTB fecha com Dilma se ganhar ministério, diz senador

Fora do primeiro escalão desde 2009, sigla mira Secretaria Especial dos Portos, que tem status de ministério

24 de janeiro de 2014 | 15h 50
RICARDO BRITO - Agência Estado

O senador Armando Monteiro (PTB-PE) afirmou nesta sexta-feira, 24, que, se o seu partido ganhar um ministério no governo Dilma Rousseff, a legenda tende a entrar para a aliança nacional de apoio à reeleição da presidente em outubro. "No momento em que o PTB reivindica uma participação no primeiro escalão, ele está implicitamente dizendo que quer participar da aliança nacional", disse, em entrevista ao Broadcast Político, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado.

Fora do primeiro escalão desde 2009, ainda no governo Lula, o PTB quer emplacar um ministro na reforma preparada por Dilma. O partido pode ser agraciado com a Secretaria Especial dos Portos, que tem status de ministério. Embora ressalve que não esteja participando das negociações, Monteiro avaliou que as discussões para a participação do seu partido no governo federal estão "caminhando bem". O PTB apoiou o tucano José Serra na eleição de 2010.

Pré-candidato do PTB ao governo de Pernambuco, Monteiro recebeu nesta quinta-feira, 23, em sua casa no Recife, a visita do presidente do PT, Rui Falcão. Segundo o senador petebista, Falcão sinalizou ser favorável a uma aliança no Estado do petebista com os petistas para composição de uma chapa majoritária. O acordo entre as duas legendas deve ser firmado até março.

O senador do PTB disse que, segundo Falcão, o acerto estadual "não terá um caráter de imposição nem intervenção". "Vai se respeitar o entendimento da executiva estadual", afirmou. Se o acordo sair, os petistas devem indicar um nome para candidatar-se ao Senado. Entre os nomes, está o do ex-prefeito de Recife, João Paulo.

Ex-presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Armando Monteiro afirmou que, para viabilizar sua candidatura, trabalha para "replicar" em nível estadual o mesmo arco de alianças que deve apoiar Dilma Rousseff em outubro. Ele se diz confiante com o acordo entre petistas e petebistas para reelegê-la. "Eu tenho certeza que o PTB fará aliança no plano nacional", destacou.




Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

Siga o Estadão

Pasadena não foi um bom negócio, diz Graça Foster

  • Pasadena não foi um bom negócio, diz Graça Foster
  • Candidatos de oposição escolhem São Paulo para sediar campanha
  • Peemedebista lança pré-candidatura em cima de um tanque de guerra



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo