ir para o conteúdo
 • 

Patrocinado por

Você está em Notícias > Política

Reforma ministerial deve ocorrer até o carnaval, diz Dilma

Em café da manhã com jornalistas, presidente comentou sobre mudanças na sua equipe com a previsão de saída de 12 ministros para as eleições em 2014

18 de dezembro de 2013 | 13h 30
VERA ROSA, TÂNIA MONTEIRO E RAFAEL MORAES MOURA - Agência Estado

Brasília - A presidente Dilma Rousseff disse nesta quarta-feira, 18, que começará a fazer a reforma ministerial no fim de janeiro de 2014 e prevê que até o Carnaval, em março, possa anunciar os novos integrantes do governo. Em café da manhã com jornalistas, Dilma afirmou, porém, que a pergunta sobre mudanças na equipe - feita pelo Estado - era uma "casca de banana" e se recusou a antecipar nomes.

Questionada sobre a permanência do ministro da Fazenda, Guido Mantega, a presidente demonstrou impaciência. "Pela 20ª ou 30ª vez eu reitero que o ministro Guido está perfeitamente (bem) no lugar onde ele está."

Aproximadamente doze dos 39 ministros são candidatos às eleições de 2014 e devem deixar os cargos. Na lista estão a chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, que concorrerá ao governo do Paraná, e o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, candidato do PT ao Palácio dos Bandeirantes.

Em uma hora e 20 minutos de conversa, Dilma não quis fazer comentários sobre as movimentações do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), e do senador Aécio Neves (PSDB), seus desafiantes na disputa de 2014. "Minha agenda ainda não chegou a esse momento eleitoral", despistou a presidente, que é candidata à reeleição.

Como informou o Estado nesta quarta, Campos e Aécio tem adotado tons diferentes na oposição ao governo Dilma. Enquanto o senador mineiro lançou na terça-feira uma cartilha com 12 pontos reafirmando sua oposição mais dura com o slogan "para mudar de verdade o Brasil", o governador de Pernambuco, durante a visita de Dilma a Recife na terça,fez afagos a Lula e reiterou sua estratégia de 3 ª via, mantendo ainda alguns laços com o PT.






Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

Siga o Estadão

Cerveró discorda que Pasadena era mau negócio

  • Cerveró discorda que Pasadena era mau negócio
  • Pasadena não foi um bom negócio, diz Graça Foster
  • Candidatos de oposição escolhem São Paulo para sediar campanha



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo