ir para o conteúdo
 • 

Patrocinado por

Você está em Notícias > Política

Saída do PT no Rio fica indefinida até dia 12 ao menos

03 de dezembro de 2013 | 17h 57
WILSON TOSTA - Agência Estado

O PT do Rio paralisou sua discussão sobre a saída do governo Sérgio Cabral Filho (PMDB) pelo menos até o próximo dia 12, quando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o senador Lindbergh Farias, pré-candidato a governador, se reunirão para discutir o assunto. O parlamentar quer o desembarque imediato - defende-o desde julho, e já houve pelo menos dois adiamentos, o último a pedido de Lula -, mas o ex-presidente indica procurar uma solução que não piore a situação do governador. Cabral quer o apoio do petismo à candidatura de Luiz Fernando Pezão à sua sucessão. Pesquisa divulgada anteontem pelo DataFolha mostrou que o governador chegou a seu pior nível de popularidade desde 2007: apenas 20% dos fluminenses consideram seu governo bom ou ótimo.

Em reunião com dirigentes petistas anteontem em São Paulo, Lula contou ter dito a integrantes do comando nacional do PMDB, com quem se reuniu com a presidente Dilma Rousseff no último sábado, não ser possível apoiar Pezão. Pouco conhecido, o pré-candidato do PMDB, que é vice-governador, aparece sempre nos últimos lugares nas pesquisas e depende da popularidade do governador - em crise desde junho - para crescer. "É pior do que o Cabral como candidato", teria dito aos peemedebistas. Diante desse quadro, Lula afirmou aos petistas que será o PT do Rio que decidirá a saída - agora, o PMDB pede que os petistas fiquem até o fim de março, quando Cabral deverá renunciar. Os petistas do Rio, porém, nada querem fazer sem o aval do ex-presidente.

Até agora, Cabral venceu Lindbergh na disputa em torno da saída do governo. O governador tem conseguido impedir que o PT deixe a administração estadual, na qual os petistas ocupam as Secretarias de Ambiente e de Direitos Humanos e controlam cerca de 150 cargos. A última vez foi na semana passada, quando o diretório regional adiou, sem nova data e depois de um pedido de Lula, a reunião marcada para 30 de novembro, na qual oficializaria o desembarque. Talvez por seu empenho nesse episódio, Lula sinalizou liberar o PT fluminense para sair. Ele não gostou porque integrantes do PMDB, logo após o anúncio do adiamento, fizeram provocações ao PT. Uma delas foi a afirmação de que os petistas adiavam a saída para garantir que receberiam o 13º salário.

Lula marcara para a segunda-feira passada uma conversa com Lindbergh. O senador também queria conversar com o ex-presidente, para aprofundar os motivos que o levam a querer deixar a administração estadual - ficar livre para articular sua candidatura é um deles - e tentar acertar um desembarque sem traumas e com apoio de Lula, que considera fundamental. Mas a morte do governador licenciado de Sergipe, Marcelo Déda (PT), impediu que acontecesse a reunião. Ela teria também a participação dos presidentes nacional (Rui Falcão) e fluminense (Washington Quaquá) da legenda e estava programada para depois de um encontro de Lula com presidentes regionais petistas.

O primeiro encontro se prolongou além do previsto e, quando terminou, aproximava-se a hora do embarque de Lula para Aracaju, onde acontecia o velório. Houve apenas uma rápida conversa. A reunião, que deve demorar, ficou para o dia 12.



Tópicos: Rio, PT, Governo Cabral

Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

Siga o Estadão

"Relatório foi omisso", admite Gabrielli

  • "Relatório foi omisso", admite Gabrielli
  • Pré-candidato do PV vai ao trabalho de bicicleta
  • Cerveró discorda que Pasadena era mau negócio



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo