ir para o conteúdo
 • 

Patrocinado por

Você está em Notícias > Política

Senado proíbe compra de selos com dinheiro público pelos Senadores

Medida ocorre após Estado revelar que parlamentares teriam desembolsado R$ 2 milhões em selos de papel

17 de dezembro de 2013 | 20h 28
Ricardo Brito e Andreza Matais - Agência Estado

Brasília - O Senado proibiu nesta terça-feira, 17, a compra de selos pelos senadores com recursos da cota postal. A medida ocorre após o Estado revelar que senadores usaram R$ 2 milhões da cota com a compra de 1,4 milhão de selos nos primeiros meses do ano, embora as cartas sejam seladas por meio de uma máquina que imprime um carimbo no envelope e não com o papel. A justificativa do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), é que a medida atende a política de austeridade da Casa.

Ed Ferreira/Estadão

Um relatório de auditoria do Senado, realizado pela Coordenação de Auditoria Contábil e Financeira da Secretaria de Controle Interno, concluiu que houve falhas nos mecanismos de controle de cotas.Diante disso, o setor recomendou à cúpula da Casa a proibição expressa de compra de selos postais

O selo é considerado moeda corrente. É fácil vender para qualquer empresa que faça uso dos serviços dos Correios. Cada selo tem um valor, a depender do peso da correspondência. O preço de envio de uma carta comercial varia de R$ 1,20 a R$ 6,40. Os senadores Gim Argelo (PTB-SF) e Kátia Abreu (PMDB-TO) admitiram ao Estado que compraram selos, mas justificaram o uso para enviar correspondências aos seus eleitores.

Os senadores continuam tendo direito a cota postal, mas reduzida em 50%. De acordo com as regras, a distribuição da franquia de correspondência pelos Correios passou a ser feita com base nos seguintes parâmetros: 35% diretamente proporcional à população do Estado de origem do parlamentar; 45% distribuídos de modo inversamente proporcional ao índice oficial de utilização da internet (elaborado pelo IBGE - PNAD 2011); e 20% distribuídos igualitariamente entre os Estados.





Tópicos: Senado, Selos, Corrupção

Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

Siga o Estadão

"Relatório foi omisso", admite Gabrielli

  • "Relatório foi omisso", admite Gabrielli
  • Pré-candidato do PV vai ao trabalho de bicicleta
  • Cerveró discorda que Pasadena era mau negócio



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo