ir para o conteúdo
 • 

Patrocinado por

Você está em Notícias > Política

Mensalao

Suplicy defende legalidade de doações a petistas

05 de fevereiro de 2014 | 18h 49
RICARDO BRITO - Agência Estado

O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) enviou nesta quarta-feira, 05, uma carta ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes em que defende a legalidade das doações a petistas para pagar as multas pela condenação no processo do mensalão. Na carta, Suplicy disse que os documentos vão comprovar, "de forma inequívoca, a precocidade e inconveniência de declarações dadas no calor dos debates" pelo ministro.

Ao declarar na terça-feira que estava "tudo muito esquisito", Gilmar Mendes afirmou que havia indícios de "lavagem de dinheiro" no pagamento das multas do ex-presidente do PT José Genoino e do ex-tesoureiro do partido Delúbio Soares. O ministro disse também que havia elementos para que o Ministério Público iniciasse uma investigação para apurar o processo de arrecadação de dinheiro para quitar os débitos.

Na carta, Suplicy defendeu as operações após receber documentação do coordenador jurídico do PT, Marco Aurélio Carvalho. O senador disse que as campanhas de arrecadação foram organizadas por familiares dos condenados e por militantes e apoiadores sem qualquer envolvimento direito ou indireto do PT.

"Todas as doações foram devidamente identificadas, e serão escrituradas nos impostos de renda de cada um dos beneficiários, assim como devem ser nas declarações de cada um dos doadores", disse Suplicy na correspondência, ao ressaltar que a "legislação foi rigorosamente observada, tanto nas esferas estaduais, como na Federal".

O senador disse que foi um dos doadores e que procurou adotar uma conduta "inteiramente legal". Ele citou o exemplo do ex-ministro do STF Nelson Jobim, que divulgou ter feito uma doação a Genoino. "Tenho a convicção que os mais de 3.500 doadores fizeram suas doações de acordo com os procedimentos legais", destacou.

Na carta, Suplicy disse que tem se empenhado na aprovação de um projeto de lei de sua autoria que institui a prestação de contas em tempo real, pelos candidatos, partidos e coligações durante a campanha eleitoral. Outra proposta que apoia, do senador Pedro Taques (PDT-MS), estabelece normas para as eleições, para impor aos candidatos, partidos políticos e coligações o dever de divulgar na internet relatórios periódicos referentes aos recursos arrecadados e aos gastos efetuados na campanha eleitoral".






Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

Siga o Estadão

"Relatório foi omisso", admite Gabrielli

  • "Relatório foi omisso", admite Gabrielli
  • Pré-candidato do PV vai ao trabalho de bicicleta
  • Cerveró discorda que Pasadena era mau negócio



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo