ir para o conteúdo
 • 

Patrocinado por

Você está em Notícias > Política

Trabalhador rural é perseguido e morto em Eldorado dos Carajás

Crime é o quinto assassinato na região Norte do País em nove dias; polícia ainda não confirma se caso tem relação com outros assassinatos

02 de junho de 2011 | 18h 28
Carlos Mendes, especial para O Estado

BElÉM - O lavrador Marcos Gomes da Silva, de 33 anos, natural do Maranhão, foi morto a tiros, na noite de quarta-feira, 1º, na zona rural de Eldorado dos Carajás, no sudeste do Pará. A polícia investiga o crime, mas ainda não é possível dizer se Gomes da Silva é mais uma vítima da luta pela terra ou se a execução foi acerto de contas. Esse é o quarto assassinato no campo em apenas nove dias no Pará.

Veja também:
blog
Dilma faz reunião com governadores do Norte
especialUnião aumenta lista de protegidos no campo

Segundo o boletim de ocorrência registrado na manhã desta quinta, 2, na delegacia de Eldorado dos Carajás, Gomes da Silva foi baleado duas vezes. A primeira foi na área onde ele residia e a segunda na estrada que liga o local à cidade de Eldorado.

Quem fez o registro do crime foi um vizinho da vítima, que o socorreu. Ele colocou Gomes da Silva em seu carro para levá-lo a um hospital de Eldorado e no caminho foi interceptado por dois homens armados. O vizinho foi obrigado a retirar o lavrador do carro e a sair correndo sem olhar para trás. "Ouvi depois os tiros", relatou. O corpo ficou na estrada e os executores fugiram.

A testemunha retornou ao local somente na manhã desta quinta e procurou a polícia. O caso está sob o comando do delegado de Eldorado dos Carajas, Elias Jorge de Carvalho. O corpo do lavrador foi levado para o IML de Marabá e ainda não foi reconhecido por familiares. O superintendente regional do sudeste paraense, delegado Alberto Henrique Teixeira, está no local para acompanhar o trabalho policial e conversar com parentes da vítima.

Outros crimes. O primeiro crime contra extrativistas foi o do casal de ambientalistas José Cláudio da Silva e Maria do Espírito Santo. Eles lutavam contra a devastação das florestas do assentamento Praialta/Piranheira, em Ipixuna do Pará, município a cerca de 180 km de Eldorado dos Carajás. O outro ocorreu no sábado, também na mesma região do assentamento e a vítima foi o agricultor Erenilton Pereira da Silva. A polícia ainda não prendeu os criminosos. / COLABOROU CAROLINA SPILIARI






Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

Siga o Estadão

Cerveró discorda que Pasadena era mau negócio

  • Cerveró discorda que Pasadena era mau negócio
  • Pasadena não foi um bom negócio, diz Graça Foster
  • Candidatos de oposição escolhem São Paulo para sediar campanha



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo