TSE libera Serra a usar imagem de Lula

PT havia contestado propaganda do PSDB que mostra tucano junto do presidente

estadão.com.br

22 Agosto 2010 | 11h50

BRASÍLIA - O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) autorizou o PSDB a usar a imagem do presidente Lula nas propagandas da campanha eleitoral do candidato José Serra e informou por meio de nota em seu site que o mandatário é o único que pode barrar o recurso.

 

Veja também:

especialVeja por onde passaram os candidatos à Presidência no nosso mapa

documento Veja página especial de Dilma Rousseff

documento Veja página especial de José Serra

documento Veja página especial de Marina Silva

especialAcompanhe as propagandas na página especial do horário eleitoral  

 

A decisão foi emitida em resposta a uma ação interposta pela chapa da candidata Dilma Rousseff pelo uso da imagem de Lula na campanha de Serra. Segundo a coalizão liderada pelo PT, a oposição teria incorrido no que se define como "uso indevido" da imagem do presidente.

 

A propaganda eleitoral de Serra na televisão mostra imagens do candidato com o presidente Lula, nas quais ambos são apresentados como "verdadeiros líderes", buscando expor aos eleitores a inexperiência política de Dilma.

 

Na nota, o ministro Henrique Neves explica que "o direito à imagem é pessoal e somente pode ser reclamado pela própria pessoa que teve a imagem utilizada sem autorização". "No caso, o direito é personalíssimo e, como tal, somente pode ser exercido por seu titular. Dessa forma, ausente uma das condições da ação (legitimidade), não cabe decidir se a imagem foi bem ou mal veiculada", comunicou o magistrado.

 

A alegação do PT é baseada na Lei Eleitoral 9.504/97, segundo a qual é proibida a participação de membros de partidos integrantes de outra coligação que não seja a responsável pela peça. Os alvos das medidas são dois jingles divulgados no dia 19 pela coligação de Serra em emissoras de rádio.

 

Serra, por sua vez, defendeu o uso da imagem do presidente Lula na campanha, alegando que, ao mostrar que ambos são "líderes e experientes", estaria "dizendo verdades". "Não sei por que estão se incomodando", reagiu o tucano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.