ir para o conteúdo
 • 

Patrocinado por

Você está em Notícias > Política

Votação do Orçamento enfrenta impasse no Congresso

17 de dezembro de 2013 | 21h 04
EDUARDO BRESCIANI E RICARDO DELLA COLETTA - Agência Estado

A exigência de parlamentares da base aliada e da oposição por mais recursos do fundo partidário para serem usados no ano eleitoral provocou impasse nesta terça-feira, 17, na votação do Orçamento de 2014. Deputados e senadores pressionaram o governo por uma ampliação de R$ 100 milhões no fundo em comparação com 2013. A verba é rateada entre as legendas de acordo com suas bancadas na Câmara.

O governo se posicionou contra a ideia, e por isso havia a possibilidade de a votação não ser concluída na noite desta terça-feira.

Nem a oferta do governo de que empenharia mais R$ 2 milhões em emendas para parlamentares da Comissão Mista de Orçamento (CMO) e para líderes partidários solucionou a questão. Tampouco a garantia de sanção do Orçamento Impositivo na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), o que torna obrigatório o pagamento de cerca de R$ 14,8 milhões de emendas para cada parlamentar em 2014.

A ampliação do fundo partidário pelo Congresso ocorreu nos dois últimos orçamentos aprovados (2012 e 2013). Na primeira vez a justificativa foi a criação do PSD, que retiraria recursos de partidos que perderam deputados. O mesmo argumento foi usado agora por partidos que perderam integrantes para os recém-criados Solidariedade e PROS, principalmente o PDT. Os demais partidos da base aproveitaram para embarcar no pedido, uma vez que todos são beneficiados com o aumento do bolo e 2014 é um ano eleitoral.

Garantido por recursos do Tesouro e de multas pagas à Justiça Eleitoral, o fundo tinha dotação de R$ 264 milhões para o próximo ano na proposta original do governo. A ampliação para R$ 364 milhões tinha como objetivo repetir o acréscimo feito nos últimos anos com as devidas correções. Em 2013 o fundo teve R$ 324 milhões e em 2012 ficou em R$ 301 milhões. O relator do Orçamento, Miguel Corrêa (PT-MG), fez um adendo em seu parecer para abrir a possibilidade de mais recursos, mas o embate com o governo era para garantir o incremento desejado pelos parlamentares.

?Bônus?. Além da negociação "partidária", o governo atuou no varejo. Foi confirmado o empenho de um "bônus" de R$ 2 milhões em emendas ainda neste ano para os parlamentares da comissão e para os líderes. Os outros deputados e senadores terão empenhos de R$ 10 milhões. A ameaça do governo de não liberar mais emendas neste ano já tinha criado dificuldades à tramitação na semana passada. Há pressões de parlamentares para liberar ainda em 2013 recursos de emendas de bancadas, para beneficiar seus Estados.

O debate sobre as emendas remete ao Orçamento Impositivo. Na semana passada, as ministras Ideli Salvatti (Relações Institucionais) e Miriam Belchior (Planejamento) chegaram a anunciar um veto de Dilma a essa previsão na LDO, mas o governo recuou diante da ameaça de rebelião no Congresso. Nesta terça, o Planalto voltou a usar o veto, agora como "troco", caso o Orçamento não seja aprovado neste ano.





Tópicos: Congresso, Orçamento

Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

Siga o Estadão

"Relatório foi omisso", admite Gabrielli

  • "Relatório foi omisso", admite Gabrielli
  • Pré-candidato do PV vai ao trabalho de bicicleta
  • Cerveró discorda que Pasadena era mau negócio



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo