Horta, pão e agora é a vez do queijo

Horta, pão e agora é a vez do queijo

Uma horta em casa (que sejam algumas ervas) tem um apelo irresistível para o cozinheiro de fim de semana. É uma mistura de querência com locavorismo idílico, um desejo de dominar uma parte do seu universo alimentar. Mas desejo de horta é como criança querendo cachorro. A fantasia de que ele latirá alegremente na sua chegada sempre oculta o fato de que ele precisa de banho, tosa e atenção.

Sandro Marques,

17 Novembro 2011 | 18h59

Eu, que exagerei no tamanho dos vasos, me vi às voltas com esquemas elaborados envolvendo amigos para cuidar das plantas nas férias, ou então com plantas murchas por falta de água e adubo, ou excessivamente felizes, com produção excedendo o consumo. Ninguém come tanto manjericão, e a certa altura vira exagero enfeitar tudo com hortelã.

Passei a fazer pão com maior frequência. Não há nada mais aconchegante do que casa com cheiro de pão assando, mas o melhor destino para as ervas tem sido secagem no forno, ou aromatização de azeite. Escoa a produção e ainda rende belos presentes para amigos.

Meus planos mais avançados passam agora pela produção de queijo. Já visitei minhas tias no interior para aprender, comprei o equipamento e fiz alguns testes. Não, não vou comprar uma vaca. Apesar de que, pensando bem, não é má ideia ter adubo diariamente e poder impressionar os amigos no Facebook. Depois, é só encontrar um jeito de escoar a produção.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.