Ir para o conteúdo
ir para o conteúdo
 • 
Você está em Notícias > Ciência
Início do conteúdo

Cientistas sequenciam pela primeira vez o genoma do trigo

O genoma do trigo é cinco vezes maior que o humano, e muito mais longo que o de outros cereais

27 de agosto de 2010 | 14h 12
Associated Press - AP

Pesquisadores britânicos decodificaram a sequência genética do trigo, um dos mais antigos e importantes produtos da agricultura mundial, num desenvolvimento que, esperam, ajudará o cereal a enfrentar as ameaças do aquecimento global, doenças e crescimento populacional.

Trigo é o cereal mais cultivado do mundo - Scott Heppell/AP
Scott Heppell/AP
Trigo é o cereal mais cultivado do mundo

Mais área agricultável do mundo é dedicada ao trigo do que há qualquer outro cereal, e os pesquisadores disseram que estão publicando o genoma na internet, na esperança de que cientistas possam usá-lo como ferramenta para melhorar a produtividade. Um estudioso da área referiu-se à descoberta como "um marco".

"O genoma do trigo é o santo graal dos genomas vegetais", disse Nick Talbot, professor de biociências da Universidade de Exeter e que não tomou parte no trabalho. "Vai revolucionar a forma como o cultivamos".

O pesquisador Neil Hall, da Universidade de Liverpool, cuja equipe obteve o genoma, disse que no fim a informação  ajudará produtores de variedades de trigo a identificar melhor as variações genéticas responsáveis pela resistência às doenças, tolerância da seca e produtividade.

Embora a sequência genética obtida ainda seja um rascunho, e variedades diversas de trigo ainda precisem ser analisadas antes que o trabalho tenha efeitos práticos, Hall previu que não demorará muito para que o resultado comece e ter impacto nos campos.

"Espero que os benefícios deste trabalho cheguem nos próximos cinco anos", disse ele.

O trigo é praticamente um retardatário no mundo dos genomas. Este ano marca o décimo aniversário do sequenciamento do genoma humano. Outras plantas da agricultura tiveram seu código genético desvendado nos últimos anos - arroz em 2005, milho em 2009, soja neste ano.

A razão para a demora no genoma do trigo, disse Hall, foi causada pelo fato de a sequência ser enorme - muito maior que milho ou arroz e cinco vezes maior que a humana.

Uma razão para o genoma extragrande é que algumas variedades têm até seis cópias de um mesmo gene, e o fato de a ancestralidade do trigo ser um emaranhado de espécies de gramíneas silvestres.

Embora o código possa vir a ser usado na criação de variedades transgênicas, Hall fez questão de destacar as aplicações mais convencionais de seu trabalho, poupando tempo e esforço no processo natural de seleção de variedades híbridas.





Tópicos: Trigo, Genoma, Agricultura

Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

Siga o Estadão




Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo