Carlos Garcia Rawlins/Reuters
Carlos Garcia Rawlins/Reuters

Evo Morales culpa frango de granja por homossexualidade e calvície

Presidente afirma que 'hormônio' dado às aves afeta os homens e as mulheres

EFE

20 Abril 2010 | 16h56

O presidente da Bolívia, Evo Morales, surpreendeu sua audiência ao assegurar que os frangos de produções industriais são responsáveis pelos "desvios" dos homens para a homossexualidade e para a calvície na Europa.

 

Na abertura de uma cúpula social que realiza em seu país para discutir a mudança climática, o líder boliviano atacou a criação intensiva de aves com essas afirmações e outras, sobre os supostos prejuízos à saúde da Coca-Cola e das batatas holandesas.

 

Segundo o mandatário, os frangos são engordados com hormônios femininos. "O frango que comemos está carregado de hormônios femininos. Por isso, os homens que comem esses frangos têm desvios em seu ser como homens", disse Morales a milhares de pessoas na abertura da Conferência Mundial dos Povos sobre a Mudança Climática e os Direitos da Mãe Terra.

 

Ele também acrescentou, às as consequências desse tipo de alimento, a calvície, e profetizou: "Em cinquenta anos, todo mundo será calvo". Segundo o presidente, esses dados demonstram que o "ocidente cada vez mais traz mais e mais veneno".

 

A ideia de que hormônios são adicionados às aves em criações comerciais é considerada um mito sem fundamento por especialistas.

Mais conteúdo sobre:
evo morales bolívia hormônio frango

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.