André Dusek/AE
André Dusek/AE

IBGE revela que cobertura original do Cerrado foi reduzida pela metade

Segundo pesquisa, estados que mais desmataram foram Mato Grosso, Maranhão e Tocantins

Gabriela Moreira e Felipe Werneck, Estado de S. Paulo

01 Setembro 2010 | 10h12

RIO DE JANEIRO - A cobertura original do Cerrado foi reduzida praticamente à metade no País, de 2.038.953 km² para 1.052.708 km², com área total desmatada de 986.247 km² (48,37%) até 2008. Somente entre 2002 e 2008 foram destruídos 85.074 km2 (4,18% do total). É o que revelou nesta quarta-feira, 1, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em sua pesquisa "Indicadores de Desenvolvimento Sustentável", referente ao ano de 2010.

 

Veja também:

linkParque das Emas sofre destruição de 90%

link Área total desmatada da Amazônia já chega a 15%, diz IBGE

link Concentração de ozônio cresce em áreas urbanas

link Território para pastagens dobrou nas últimas décadas, mostra IBGElinkEm menos de duas décadas, Brasil dobrou uso de fertilizante

 

De acordo com levantamento, os Estados que apresentaram maior área desmatada no período, em termos absolutos, foram Mato Grosso (17.598 km²), Maranhão (14.825 km²) e Tocantins (12.198 km²). As taxas de desmatamento no bioma são mais altas que as apresentadas para a floresta amazônica, o que implica "medidas urgentes de proteção", diz o IBGE.

 

Até 2002 houve tendência de aumento de áreas desmatadas do Sul e Sudeste, principalmente nos estados de Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso do Sul e Goiás. Já no período de 2002 a 2008, isso ocorreu mais para o Norte e Nordeste. É primeira vez que o IBGE usa dados do Cerrado no IDS.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.