Ir para o conteúdo
ir para o conteúdo
 • 
Você está em Notícias > Ciência
Início do conteúdo

Iceberg começa a se partir antes de chegar à Austrália

Bloco de gelo, que inicialmente tinha 19 quilômetros de comprimento, teve tamanho reduzido em quase 30%

14 de dezembro de 2009 | 16h 44
Efe

Um imenso iceberg de 140 quilômetros quadrados começou a se partir em centenas de pedaços menores antes de chegar ao litoral da Austrália, informaram nesta segunda-feira, 14, os cientistas australianos.

Imagem de satélite mostra deslocamento do iceberg em direção ao litoral da Austrália - Divulgação/Australian Antarctic Division
Divulgação/Australian Antarctic Division
Imagem de satélite mostra deslocamento do iceberg em direção ao litoral da Austrália

Veja também:

linkÁrtico pode derreter em 5 anos, diz Al Gore

linkIcebergs deixam a Antártida em direção à Nova Zelândia 

Nos últimos três dias, o gigantesco bloco de gelo, que inicialmente tinha 19 quilômetros de comprimento e oito quilômetros de largura, teve o tamanho reduzido em quase 30%, segundo o geólogo australiano Neal Young.

A fragmentação do iceberg fez com que agora centenas de calotas polares, algumas de vários quilômetros de comprimento, se espalhassem ao longo de milhares de quilômetros de oceano ao norte da Antártida.

Isso foi possível por causa da maior temperatura de água - entre 6 e 8 graus centígrados -, que pouco a pouco foi derretendo a parte submersa do bloco de gelo, disse Young, acrescentando que o grande iceberg se fundirá totalmente antes de chegar ao extremo meridional da Austrália.

As autoridades australianas emitiram na semana passada um aviso aos navios que circulam pela área quando avistaram o gigantesco iceberg, que estava 1,7 mil quilômetros ao sul da ilha de Macquarie. O bloco de gelo faz parte de outro três vezes maior que se desprendeu há dez anos do planalto do Mar de Ross, no continente gelado.

A maioria dos especialistas costuma atribuir estes fenômenos à mudança climática, já que o aumento da temperatura do mar acelera o processo de fragmentação dos polos.

No entanto, alguns geólogos afirmam que a presença de icebergs cada vez mais longe das massas polares é influenciada também por fatores exógenos ao aquecimento global, como as correntes ou o fato de serem constituídos por neve consolidada, em vez de água salgada.





Tópicos: Australia, Iceberg

Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

Siga o Estadão

Espécie de ave em extinção é reintegrada à natureza

  • Espécie de ave em extinção é reintegrada à natureza
  • Busca pela vida em águas profundas chega ao fim em Santos
  • Estudo investiga biodiversidade das ilhas Cagarras



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo