Telescópio detecta pela 1ª vez feixes de antimatéria acima de tempestades

Telescópio Espacial Fermi detectou um sinal de raios gama com energias de 511 mil elétron-volts acima de trovoadas na Terra

estadão.com.br,

11 Janeiro 2011 | 11h50

SÃO PAULO - Cientistas da Nasa usando o Telescópio Espacial Fermi de Raios Gama detectaram feixes de antimatéria produzidos acima de tempestades na Terra, um fenômeno que ainda não havia sido detectado no planeta.

 

 

Os pesquisadores acreditam que as partículas de antimatéria foram formadas em um Flash de raios gama terrestre (TGF), uma breve explosão produzida dentro das trovoadas e que estão associadas com os raios. Está estimado que cerca de 500 TGFs ocorrem diariamente no mundo todo, mas a maior parte não é detectado.

 

"Esses sinais são a primeira evidência direta de que as tempestades produzem feixes de antimatéria", disse Michael Briggs, um membro do grupo de monitoramento de explosões de raios gama do Fermi, o GBM, na Universidade do Alabama.

 

 

O telescópio Fermi foi construído para detectar raios gama, a forma de luz de maior energia. Quando uma partícula de antimatéria colide com uma partícula de matéria normal, as duas imediatamente são aniquiladas e se transformam em raios gama. O GBM detectou um sinal de raios gama com energias de 511 mil elétron-volts, um sinal que indica que um elétron encontrou seu oposto de antimatéria, um pósitron.

 

Embora o grupo tenha sido projetado para observar eventos de alta energia no universo, ele também está fornecendo informações valiosas sobre esse estranho fenômeno na Terra. O GBM frequentemente monitora todo o céu e a Terra e com isso já pode identificar 130 TGFs desde o lançamento do Fermi em 2008.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.