Ir para o conteúdo
ir para o conteúdo
 • 
Você está em Notícias > Saúde
Início do conteúdo

Vírus de gripes pandêmicas podem ser combatidos com anticorpos similares

Cepas da gripe espanhola e suína têm a mesma vulnerabilidade molecular, aponta estudo

24 de março de 2010 | 16h 10
Efe

Os vírus da gripe espanhola de 1918 e da gripe suína dos últimos meses possuem quase a mesma estrutura molecular e podem ser combatidos com anticorpos similares, revela estudo publicado na última edição da revista Science Translational Medicine.

Descoberta ajudará no desenvolvimento de vacinas que barrem evolução dos vírus da gripe - AP
AP
Descoberta ajudará no desenvolvimento de vacinas que barrem evolução dos vírus da gripe

Veja também:

linkPosto com fila por vacina distribui senha 

som Especialista comenta sobre a segurança da vacina

especialESPECIAL: Entenda a gripe suína

Essa vulnerabilidade molecular compartilhada pode ser explorada para enfrentar outras cepas pandêmicas desses vírus, explicam os cientistas do Instituto Scripps de Investigação e Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos (da sigla em inglês NIAID).

"Este estudo define uma similaridade inesperada entre duas cepas da gripe suína", disse Anthony Fauci, diretor da NIAID. "Isso nos proporciona um novo conhecimento sobre a evolução dos vírus pandêmicos para conversão em cepas estacionais, e, o mais importante, vai nos guiar no desenvolvimento de vacinas que podem frear ou impedir sua transformação", disse.

Imunidade

O estudo norte-americano ajuda a explicar porque, em geral, as pessoas de idade avançada têm sido menos infectadas pelos últimos surtos de gripe do que as mais jovens.

"Nossas descobertas proporcionam uma prova conclusiva de que a exposição aos primeiros vírus ajudou a dar imunidade frente a recente pandemia de gripe", disse Ian Wilson, professor do Instituto Scripps de Investigação.

A pandemia da gripe espanhola de 1918 surgiu na Europa e se estendeu a quase todo o mundo, causando a morte de mais de 50 milhões de pessoas.

Já a pandemia da gripe suína apareceu no México em abril do ano passado e também se espalhou rapidamente por dezenas de países, matando mais de 16 mil pessoas, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Experiência com ratos

Os cientistas determinaram a similaridade molecular de ambos os tipos de vírus injetando em ratos uma vacina produzida com um vírus desativado da gripe espanhola. Depois expuseram esses roedores a altos níveis do vírus da gripe suína.

Todos os ratos sobreviveram e o mesmo resultado foi observado ao reverter o experimento: os animais vacinados com o vírus desativado da gripe suína, e depois expostos ao da gripe espanhola, sobreviveram.

Isso significa, segundo os cientistas, que os roedores produziram anticorpos que puderam neutralizar os vírus. "Este é um resultado surpreendente. Não esperávamos que seria possível gerar anticorpos reativos contra o vírus depois de tantos anos", afirmou Gary Nabel, cientistas da NIAID.

"Esta investigação demonstra que a exposição ao vírus que circula há muitas décadas pode proporcionar certa proteção contra uma nova pandemia viral", indicou Damian Ekiert, cientista do Instituto Scripps de Investigações.






Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui

Siga o Estadão

Protesto pede autonomia para o IBGE

  • Protesto pede autonomia para o IBGE
  • Devo ou não contratar a garantia estendida?
  • Todas as informações sobre o produto têm de ser claras



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo