Ao Vivo

Estadão

Ataque em Nice

Caminhão foi atirado contra pessoas nas ruas de Nice, na França, durante as festividades do Dia da Bastilha, na noite desta quinta-feira.

Um caminhão atropelou uma multidão de pedestres que participavam dos festejos da Festa Nacional de 14 de Julho em Nice, no sul da França.

Segundo as últimas atualizações, 84 pessoas morreram e cerca de 50 estão feridas, sendo 18 em estado grave. O motorista do caminhão foi morto durante confronto com a Polícia.

O correspondente do Estado em Paris Andrei Netto informa que uma carteira de identidade foi encontrada junto ao corpo do motorista do caminhão. Trata-se de um franco-tunisiano de 31 anos. A polícia ainda não informou a identidade do autor do ataque.

Na manhã desta sexta-feira, 15, o presidente François Hollande se reune com uma célula de crise montada no Ministério do Interior, em Paris.  

Atentado em Nice, na França

ACOMPANHE AO VIVO

Atualizar
  • 17h16

    15/07/2016

    Estamos encerrando a cobertura ao vivo do ataque em Nice. Siga acompanhando as notícias na página de Internacional.

  • 17h15

    15/07/2016

    O QUE SABEMOS SOBRE O ATAQUE EM NICE

     

    • Um caminhão avançou diante da multidão que comemorava o Dia da Bastilha, na noite de quinta-feira, durante a queima de fogos de artifício

    • •  Pelo menos 84 pessoas morreram no atentado, qualificado como um ataque terrorista pelo presidente François Hollande; cerca de 50 feridos "estão entre a vida e a morte", disse o presidente

    • • O líder socialista afirmou que pedirá a extensão por três meses do estado de emergência declarado após o ataques em Paris, em Novembro, que expiraria no dia 26

    • • As autoridades identificaram o motorista do caminhão como Mohamed Lahouaiej Bouhlel, um franco-tunisiano de 31 anos

    • •  Segundo o jornal reginal Nice-Matin, Bouhlel seria um motorista profissional, morador de Nice, e já era conhecido da polícia por casos de violência doméstica, roubo e uso de armas. Ele também teria sido preso em 27 de janeiro após uma briga em um bar

    • •  O governo francês declarou luto oficial de três dias, a partir de sábado

    • • Nenhum grupo terrorista assumiu a autoria do ataque até o momento

  • 17h11

    15/07/2016

    Começou por volta das 16h30 a reunião de emergência do presidente em exercício, Michel Temer, para discutir a segurança nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, no Palácio do Planalto. Participam do encontro o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Sérgio Etchegoyen; o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha; o chefe do Estado-Maior conjunto das Forças Armadas, Almirante Ademir Sobrinho; o ministro interino da Justiça, José Levi; e o secretário-geral do Ministério das Relações Exteriores, Marcos Galvão.

     

    Temer antecipou sua volta de São Paulo para Brasília para discutir mudanças na segurança nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, após o atentado em Nice. (Carla Araújo - Brasília)

     

  • 17h06

    15/07/2016

    Pessoas se reúnem na Praça da República, em Paris, para prestar homenagem às vítimas do atentado.

     

    AFP PHOTO / MATTHIEU ALEXANDRE

  • 17h01

    15/07/2016

    No mundo do extremismo francês, Nice é lembrada como a terra natal de Omar Omsen, conhecido como Oumar Diaby, considerado pelos serviços antiterroristas como um importante recrutador de extremistas que desejam ir à Síria. Omsen era próximo do Forsane Alizza, um grupo islamista dissolvido pelo governo em 2012. Leia mais

  • 16h57

    15/07/2016

    O porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, disse que o presidente americano, Barack Obama, conversou por telefone com o presidente francês, François Hollande, após o ataque para oferecer condolências e o "mais forte apoio" dos Estados Unidos.

     

    "A França é, afinal, o nosso aliado mais antigo", afirmou Earnest na entrevista diária na Casa Branca. Ele disse que Obama ofereceu à França cooperação na segurança e que agentes americanos da polícia e de inteligência estão em contato com os seus homólogos franceses. Leia mais

  • 16h52

    15/07/2016

    Jaber, irmão do suspeito do atentado, Mohamed Lahouaiej Bouhlel, em frente à casa de sua família em Msaken, na Tunísia.

    AFP PHOTO / FETHI BELAID

  • 16h45

    15/07/2016

    O ministro da Defesa, Raul Jungmann, informou que o atentado em Nice provocará mudanças no protocolo de segurança dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, e revelou que 3,2 mil militares das Forças Armadas ficarão de prontidão em seus estados para serem deslocados para o Rio em caso de emergência durante a Olimpíada. Além dessa força de contingência, atuarão na segurança da cidade 22.850 integrantes das Forças Armadas. Leia mais (Luciana Nunes Leal - Rio de Janeiro)

  • 16h23

    15/07/2016

    Esta nova infâmia confirma que a França é o objeto de um ódio particular dos jihadistas. Não há nenhuma dúvida, porque é ela que, no Mali e no Oriente Médio, é um dos países que mais duramente atacam os terroristas. Outra lição: nas terras onde se instalaram, os membros do Estado Islâmico sofrem pesados danos, enquanto seus chefes recuam sob os golpes dos EUA, da Grã-Bretanha, da França e da Rússia. Além disso, para compensar seus prejuízos no Iraque, na Síria e na Líbia, os assassinos atingem alvos ocidentais diretamente na Europa. (Análise de Gilles Lapouge)

  • 16h19

    15/07/2016

    Barack Obama, presidente dos Estados Unidos: "Não podemos desistir por medo (...) ou sacrificar nosso modo de vida".

  • 16h12

    15/07/2016

     

  • 16h04

    15/07/2016

    Os americanos Sean Copeland, de 51 anos, e seu filho Brodie, de 11 anos, foram identificados como duas das vítimas do ataque. O jornal texano Austin Statesman confirmou a morte dos dois. "Estamos destroçados e em choque pela perda de Brodie Copeland, um filho incrível e um irmão que alegrava nossas vidas, e de Sean Copeland, um grande pai e marido", declarou em comunicado a família, que vive na região de Austin, Texas. Leia mais.

    Courtesy of Jess Davis via AP

  • 15h58

    15/07/2016

    O primeiro-ministro francês, Manuel Valls, afirmou que o suspeito Mohamed Lahouaiej Bouhlel "é um terrorista provavelmente ligado ao Islã radical". Apesar de ainda não conseguir determinar os motivos do agressor, Valls disse não ter dúvidas de que o crime foi terrorismo

    AP Photo/Thibault Camus

  • 15h47

    15/07/2016

    O ex-presidente da França Nicolas Sarkozy evitou fazer críticas à segurança em Nice ao afirmar que este é um momento de "recolhimento em torno das vítimas".

     

    "Não é o momento de falar sobre meios para proteger. É o momento de ser solidário com as famílias", disse na saída da missa realizada na catedral de Nice em memória às vítimas do atentado.

  • 15h45

    15/07/2016

    Pessoas caminham em frente à prefeitura de Tel Aviv, iluminada com as cores da bandeira da França em homenagem às vítimas do massacre em Nice.

    AFP PHOTO / JACK GUEZ

Estadão Blue Studio Express

Conteúdo criado em parceria com pequenas e médias empresas. Saiba mais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.