Ao Vivo

Estadão

Candidatos à Presidência participam de debate

Encontro promovido pela Rede Record terá a presença de sete concorrentes ao Palácio do Planalto

 O Estado de S. Paulo

O debate da TV Record no domingo foi marcado por outras imprecisões, além da polêmica envolvendo o comportamento da candidata Marina Silva (PSB) com relação à votação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira  (CPMF). Questionada por Dilma Rousseff (PT), Marina disse ter votado a favor da CPMF quando era senadora. Os arquivos do Senado mostram, no entretanto, que Marina foi contra o imposto.

Aécio Neves (PSDB), por exemplo, afirmou que 75% da geração de energia no País é proveniente de hidrelétricas. Na verdade, a fatia de energia hídrica é de 67%. Os dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) mostram que o País tem 63,21% da operação em usina hidrelétrica, 3,57% em pequena central hidrelétrica e 0,22% em central geradora hidrelétrica.


Dilma Rousseff se equivocou ao falar sobre a taxa de desemprego no governo de Fernando Henrique Cardoso (1995 - 2002). Para criticar os tucanos, a petista disse, durante o debate, que o desemprego deixado pelo governo de FHC “era de 11,7%”. Os números do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram, porém, que  a taxa de desocupação em dezembro de 2002, último mês do tucano como presidente, foi de  10,5%.


O desemprego também foi abordado de forma errônea pela candidata Luciana Genro (Psol).  “O IBGE divulgou um dado muito trágico. Temos um índice de desemprego entre os jovens de 18 a 24 anos, que chega a 14%”, disse Luciana no encontro dos presidenciáveis. Na verdade, a desocupação nessa faixa etária está em 12,9%.

ACOMPANHE AO VIVO

Atualizar
  • 20h27

    29/09/2014

    Dilma é atacada por rivais em debate tenso: http://oesta.do/1rmLe6h

  • 00h58

    29/09/2014

    Ficamos por aqui com a cobertura do debate dos presidenciáveis realizado pela Rede Record neste domingo, 29. Boa noite!

  • 00h57

    29/09/2014

    Para você, qual candidato à Presidência se saiu melhor no debate da Record? Vote

  • 00h55

    29/09/2014

    Presidente é centro de ataques em debate tenso. Leia mais

  • 00h55

    29/09/2014

    "Eu digo que fui o centro do debate. Então seria muito justo se eu tivesse o direito de responder as criticas feitas. Senão fica um monólogo, quatro candidatos contra um. Acho que seria mais fácil um debate que tivesse mais tempo quando qualquer um fosse questionado", disse Dilma Rousseff após o debate. (Ricardo Galhardo, repórter de O Estado de S. Paulo)

  • 00h54

    29/09/2014

    O argentino Diego Brandy, publicitário de Marina Silva, disse brincando que iria pedir direito de resposta no debate porque Levy Fidélix falou mal da presidente Cristina Kirchner. (Isadora Peron, repórter de O Estado de S. Paulo)

  • 00h53

    29/09/2014

    Veja como foi a repercussão do debate nas redes sociais.

  • 00h52

    29/09/2014

    Fim do debate. Para você, qual candidato à Presidência se saiu melhor no debate da Record? Vote aqui.

  • 00h51

    29/09/2014

    A candidata Luciana Genro (Psol) iniciou as considerações finais mencionando o seu vice, Jorge Paz, e agradeceu a acolhida das ruas e redes sociais. "Estamos semeando para o futuro, para um novo sistema político. Como vocês puderam ver neste debate, a única candidatura de esquerda coerente é a do Psol. A única que tem coragem de dizer o que os outros não dizem. A única candidatura que tem proposta de mudança estrutural neste País. As bancadas do Psol nas Assembleias Legislativas e Câmaras Federais são sempre vistos como críticos", disse. A candidata do Psol citou ainda Jean Wyllys, Chico Alencar e Ivan Valente, que "são considerados os melhores deputados". Luciana Genro pediu ainda o voto no 50: "Cada voto que você der no 50 para nossos governadores e deputados você estará fortalecendo bandeiras que não são minhas, mas que saíram das ruas em 2013, que são da rua, dos trabalhadores e do povo. Para que sejam bandeiras vitoriosas, pedimos o seu voto no 50".

     

  • 00h47

    29/09/2014

    Marina Silva (PSB), nas considerações finais: "A sociedade brasileira tem acompanhado quem são aqueles que estão comprometidos com a mudança. A aliança que eu represento apresentou um programa de transformação que debate saúde, educação, passe livre para estudantes. Que vai criar a escola de tempo integral em todo o país em 4 anos, que está comrpometido com o fim da reeleição. Manter as conquistas e corrigir os erros. Uma candidatura que está comprometida em unir o Brasil e acabar com a polarização do PT e do PSDB que, há 20 anos. estão no poder se revezando e já não se escutam mais. E se já não se ecsutam mais, não têm condições de ouvir o Paós. Eu, com apenas 2 minutos, me esforcei para apresentar propostas para fazer o debate, não o embate. É por isso que nós vamos, sim, para o segundo turno. E aí com tempos iguais,e não diferentes, nós vamos poder mostrar quem está comprometido em manter Bolsa família e Minha Casa, Minha Vida. Tenho esse compromisso de vida."

     

  • 00h45

    29/09/2014

    Carlos Melo, comentarista do Estadão: Reta final, as atenções voltam-se definitivamente para a eleição. Debate na noite alta de domingo; a audiência aumenta, mas ainda é comprimida pelos limites do horário e da segunda-feira que chama para a vida concreta. Não saiu faísca, mas o debate foi num tom elevado; num clima tenso. Dentre todos os candidatos, Dilma mostrou-se a mais séria, agressiva, de expressão rígida; na maioria do tempo, nenhum laivo de sorriso veio à luz em seu rosto. 

    De semblante fechado, mais que seus adversários insistiu na questão da corrupção – ok, não poderia falar do assunto com alegria. Mas, Dilma o fez quase de moto próprio. Casos de corrupção, como o da Petrobrás, pressionam o governo. Todavia, até aqui não abalaram a presidente nas pesquisas. Sua equipe teria identificado algum ruído que recomendasse se defender? Além de defender-se em relação à corrupção, seu foco foi Marina Silva, antecipando, talvez, o segundo turno; explicitar as supostas incongruências fragilizando-a.

    Marina, por sua vez, não avançou; defendeu-se com certa timidez. Como Dilma, enrolou-se com o tempo e a ordem do debate. Sua sorte é que não foi alvejada por Aécio Neves que, apesar de aparentar ser o mais calmo, não conseguiu o protagonismo de que precisava para virar o jogo. A eleição segue ao longo da semana e ainda promete.

     

  • 00h44

    29/09/2014

    "Vocês já conhecem as nossas teses e tem sido enorme a aceitação. As redes sociais não param de mandar mensagens, com críticas e elogios... Nos metrôs, nos trens, nas ruas e nos parques. Estamos com vocês. Tenho percebido que está acontecendo um fenômeno: muitas pessoas querem votar no PV e ficam pensando no segundo turno. Será que a Dilma vai ganhar? Será que a Marina vai ganhar? E por isso às vezes não votam no candidato do coração deles, que sou eu. Então, eu falo: amigo, façam as contas, vai ter segundo turno! Deixem para escolher uma das duas somente no segundo turno. Agora, no primeiro turno e para isso qiue existe o primeiro turno, é o voto da razão e do coração. Você tem que votar no candidato que você acha melhor. Por isso, vote 43", pediu o candidato Eduardo Jorge (PV).

     

  • 00h42

    29/09/2014

    "Sou a favor da vida, contra a legalização do aborto. Defendo a livre iniciativa e a meritocracia para que você, trabalhador, que tem o seu mérito, possa ter acesso aos bens e serviços que você produz na sua vida. Hoje, lamentavelmente, um mar de corrupção que tem tomado nosso País. Sou a favor da liberdade de imprensa sem marco regulatório. Meus queridos prefeitos, eleito preseidente, estarei refazendo o pacto federativo e aumentando em 2% o Fundo de Participação do Município", disse o Pastor Everaldo nas considerações finais. O candidato agraceu ainda à Rede Record e aos espectadores e pediu: "Vote em favor da vida e da família. Vote 20, Everaldo Presidente".

     

    Vote em favor da vida e da família. Vote 20, Everaldo Presidente.

     

  • 00h35

    29/09/2014

    "Peço que você reflita, caro eleitor: quem tem mais experiencia para manter o que já conquistamos? Quem tem força e apoio político para fazer as reformas que o País existe? Quem tem compromisso com os trabalhadores nos tempos bons e dificeis? Quem enfrentou a crise internacional? QUem tem firmeza para projetar o BRasil no cenário mundial? Quem preparou o BRasil para um novo ciclo de desenvolvimento? tenho certeza de que ao responder essas perguntas você fará a melhor escolha. Vamos votar com consciência. Humildemente peço seu voto. Muito obrigada por tudo", afirmou Dilma Rousseff.

  • 00h33

    29/09/2014

    Aécio Neves agradece àqueles que assistiram o debate até agora. "A grande verdade é que enquanto duas das candidatas não param de brigar aqui e nos programas eleitorais, eu me preparei para ficar ao seu lado e apresentar propostas para que a inflação seja controlada. Quando se elege um presidente da República, se elege um governo e eu procurei os quadros mais preparados. Não só do meu partido. Gente da educação, saúde, assistência social e economia. Porque temos nas nossas mãos uma oportunidade preciosa de fazer a nação se reencontrar com os brasileiros", afirmou. "O governo que está aí perdeu as condicçõees de governar e a outra candidata infelizmente ainda não adquirir essas condições". Aécio finalizaou pedindo o voto da população.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.