Ao Vivo

Estadão

Dilma e Aécio se enfrentam na Band, no primeiro debate do 2º turno

Encontro é promovido pela TV Bandeirantes

 

O Estado de S. Paulo

Os candidatos à Presidência Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) participaram na noite desta terça-feira, 14, do primeiro debate na TV neste 2º turno em encontro promovido pela TV Bandeirantes.

Com duração de 1h20 e dividido em cinco blocos - quatro de perguntas e respostas e o último para considerações finais - o debate foi marcado pela troca de acusações entre os candidatos.

ACOMPANHE AO VIVO

Atualizar
  • 00h19

    15/10/2014

    Encerramos a cobertura do primeiro encontro entre candidatos à Presidência. Boa noite!

  • 00h16

    15/10/2014

    Termina o primeiro debate entre os candidatos à Presidência da República que estão no segundo turno. Entre os principais assuntos discutidos estão casos de corrupção, segurança pública, educação e índices de crescimento econômico.

  • 00h10

    15/10/2014

    O candidato à vice-Presidência pelo PSDB, Aloysio Nunes, ficou irritado com a passividade do tucano diante das criticas de Dilma ao fato de o governo de Fernando Henrique Cardoso ter proibido escolas técnicas. "Que historia é essa de que nós proibimos o Pronatec? Que loucura é essa?", reclamou o senador no intervalo antes do último bloco. (Ricardo Galhardo, O Estado de S. Paulo)

  • 00h08

    15/10/2014

    A presidente Dilma Rousseff (PT) faz suas considerações: "Acredito que você que está agora para decidir, você deve se perguntar quem tem mais capacidade e experiência para garantir o que conquistamos e avançar nas mudanças. Quem tem compromissos verdadeiros com os trabalhadores. Quem tem apoio político para fazer as reformas que o país exige. Quem tem firmeza para garantir a expansão do Brasil no mercado internacional. Eu, como todos os brasileiros, quero um tempo novo. Acredito que o fundamento deste novo tempo é a educação. Quero uma segurança em que todos participem. Quero um programa de Mais Especialidades". 

  • 00h06

    15/10/2014

    O candidato Aécio Neves (PSDB) tem agora dois minutos para as considerações finais: "Há 9 dias, mais de trinta milhões de brasileiros confiaram na nossa proposta de mudança. De lá pra cá, diversas forças políticas se aliaram a nós. Quero agradecer em nome de duas mulheres. A você, Renata Campos, pela singeleza como apoiou nossa campanha. E a você, Marina Silva. Eu não permitirei que este País seja dividido entre 'nós' e 'eles'. Quero fazer o governo da generosidade. Que respeite os avanços dos governos anteriores".

  • 00h05

    15/10/2014

    Carlos Melo, colunista do Estadão: O debate teve poucos lances realmente programático. Poderíamos dizer que foi muito mais “adjetivo” que substantivo. Termos como “mentiroso(a)”, “leviano(a), confuso(a) tomaram espaço do que poderia ser uma discussão sobre como resolver os problemas do Brasil. Os candidatos preocupam-se, antes, em desconstruir o adversário do que construir sua via própria de superação. O modelo e a mentalidade precisam mudar muito.

     

  • 00h00

    15/10/2014

    Carlos Melo, colunista do Estadão: O tema “emprego” veio, enfim, ao debate. Como manter o nível atual, como avançar nessa questão? Enfim, o debate saiu do adjetivo para o substantivo.

    Daniel Teixeira/Estadão

  • 23h57

    14/10/2014

    "O senhor está fabulando, o senhor está inventando uma história que não existe. O Bolsa Família não tem parentesco nenhum com os programas sociais tucanos. 70% dos brasileiros ganham dois salários mínimos e queremos melhorar. Só uma pessoa que não tem sensibilidade acredita que alguém sem emprego é melhor do que com este emprego", replica Dilma (PT). "Também não acredito em quem diz isso, candidata. O seu governo perdeu a capacidade de expirar confiança. Não há emprego e os mais penalizados serão os mais pobres", treplica Aécio (PSDB).

  • 23h54

    14/10/2014

    Dilma Rousseff (PT) questiona o tucano sobre geração de empregos e fala sobre a "lógica do retrocesso". "A senhora volta com o discurso do medo. Realmente, há medo na sociedade. Medo de o PT governar por mais quatro anos. Os empregos estão indo embora porque país que não cresce não gera emprego. É o pior desempenho da indústria nos últimos 50 anos. Eu vou resgatar a credibilidade do País. Vamos fazer crescimento garantindo o avanço nas políticas sociais", defende Aécio (PSDB).

  • 23h52

    14/10/2014

    Aécio (PSDB) replica: "A senhora está enganada. Todas as eleições que disputei em Minas Gerais eu venci, e venci no primeiro turno. O Supremo tomou uma decisão que precisa ser respeitada". "Isso não tem sequer parentesco com a meritocracia. O senhor não pode falara em meritocracia com uima ação dessas", treplica Dilma (PT), que volta a falar sobre creches. "Nenhum governo tucano se esforçou para construir creches. Acho absurdo que o senhor venha me falar sobre isso."

  • 23h50

    14/10/2014

    Aécio Neves (PSDB) faz a primeira pergunta, sobre serviços públicos e meritocracia. "O senhor, recentemente, teve uma condenação no STF que julgou inconstutucinal o senhor ter contratado sem concurso público um conjunto de funcionários, que precisaram ser desligados. O senhor não pode usar pesquisas para contrarirar resultados das urnas. O senhor perdeu no seu Estado porque foi muito mal avaliado. O senhor fez sua vida política em Minas Gerais. Eu saí de Minas, mas não saí a passeio. Fui perseguida pela ditadura militar", responde Dilma Rousseff (PT). 

  • 23h47

    14/10/2014

    Carlos Melo, colunista do Estadão: Leviano(a), mentiroso(a), desinformado(a), confuso(a)… Sob o tema “Educação”, o debate permeado por palavras desse tipo! É irônico e uma contradição em termos. Mas, também revelador do que pode vir pela frente.

  • 23h46

    14/10/2014

    No quarto bloco, os candidatos farão uma pegunta cada um. O tempo para pergunta é de 1 minuto. Resposta tem 2 minutos. No fim, haverá dois minutos para as considerações finais. 

  • 23h44

    14/10/2014

    Os tucanos reclamaram da assessoria de Aécio no fim do primeiro bloco.  Acharam que deviam ter pedido direito de resposta quando Dilma falou em "desvio" ao falar sobre saúde no Estado de Minas Gerais. Tucanos e petistas avaliam que Aécio começou na defensiva. (Pedro Venceslau, O Estado de S. Paulo)

  • 23h43

    14/10/2014

    Os convidadoa de Dilma comemoraram ruidosamente ao final do segundo bloco do debate. Segundo eles, Dilma colocou Aécio "nas cordas" ao responder  aos ataques do tucano sobre corrupção na Petrobrás citando os casos do Aeroporto de Claudio (MG) e casos de nepotismo no governo de Minas Gerais. "Espetacular", comemorou o ministro da Casa Civil, Aloísio Mercadante. (Ricardo Galhardo, O Estado de S. Paulo)

Estadão Blue Studio Express

Conteúdo criado em parceria com pequenas e médias empresas. Saiba mais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.