Política

Política

Debate na Globo com os candidatos a presidente da República

Presidenciáveis participam de último encontro antes do primeiro turno das eleições 2018

Na noite desta quinta-feira, 4, a TV Globo realiza o último debate com os candidatos a presidente da República antes do primeiro turno das eleições 2018. O debate tem quatro blocos. 

 

Sete candidatos participam: Alvaro Dias (Podemos), Ciro Gomes (PDT), Fernando Haddad(PT), Geraldo Alckmin (PSDB), Guilherme Boulos (PSOL), Henrique Meirelles (MDB) e Marina Silva (Rede).

 

Por orientação dos médicos,

  • 00h46

    05/10/2018

    Termina o último debate do primeiro turno entre presidenciáveis nas eleições 2018.

  • 00h45

    05/10/2018

    Guilherme Boulos (PSOL) pede ao eleitor que "não vote com ódio". "Na sua urna só vai estar você, sua consciência e seus sonhos. Vote com esperança. Não vote com ódio. Não vote com medo."

  • 00h44

    05/10/2018

    Marina Silva (Rede) afirma não ter "caído na tentação das falsas promessas" e afirma ser uma "pacificadora". "Estou aqui porque sou uma pacificadora, que é muitas vezes mal compreendida. Esse País não tá precisando de força física. Precisa de força moral, de respeito, com seu dinheiro, com a Constituição, com a diversidade."

  • 00h43

    05/10/2018

    "É muito ruim um brasileiro acordar e não ter um destino. Aprendi com Lula que é possível oferecer essa oportunidade para todos. As minhas obsessões durante os quatro anos de mandato serão trabalho e educação para todos", afirma Fernando Haddad (PT), em considerações finais.

  • 00h42

    05/10/2018

    Henrique Meirelles (MDB) diz que é "o momento de comparar e decidir o Brasil dos próximos anos" e destaca experiência no governo. "Ódio não gera emprego. O que o Brasil precisa agora é de confiança, que traz renda, emprego."

  • 00h40

    05/10/2018

    "Há quatro anos o nosso País está paralisado e agora esse filme está querendo se repetir. Essa divisão não vai permitir que o Brasil supere essa crise", afirma Ciro Gomes (PDT), em suas considerações finais. Ciro comenta resultado das pesquisas, diz que "coisas estão melhorando, mas ainda está em terceiro lugar", e afirma que é opção para ganhar de PT e Bolsonaro.

  • 00h39

    05/10/2018

    Alvaro Dias diz estar de "consciência tranquila" e que "combateu a corrupção" durante vida política. "Acabei com privilégios. Acabei com meus próprios privilégios."

  • 00h38

    05/10/2018

    Geraldo Alckmin começa agradecendo a população brasileira, sua equipe de campanha, em especial sua vice, Ana Amélia, e sua esposa, Lu Alckmin. O tucano diz que polarização "não vai levar a nada" e pede votos. "Agora que vai decidir. 20% dos votos se decidem no último dia". 

  • 00h37

    05/10/2018

    Termina último bloco e candidatos fazem considerações finais.

  • 00h36

    05/10/2018

    Fernando Haddad afirma que legislação de combate à corrupção é fruto do governo do PT. "A sujeira que era posta debaixo do tapete agora é revelada".

  • 00h35

    05/10/2018

    Alvaro Dias rebate: "Palavras soltas ao vento", diz ao citar a defesa de Haddad ao ex-presidente Lula. "Não é possível acreditar que uma pessoa que diz isso vai defender o Ministério Público. Quem diz que Palocci mente diante dos fatos que ele revela não será um presidente capaz de impor rigor."

  • 00h34

    05/10/2018

    Fernando Haddad diz que irá fortalecer as investigações ao citar valorização dos policiais e promotores. "Sempre escolhemos o mais preparado para ser o Procurador-Geral da República. O que é errado é partidarizar, ter um juiz que incide no processo para beneficiar amigos".

  • 00h33

    05/10/2018

    Alvaro Dias: "Sinto que há uma conspiração contra a Operação Lava Jato. Nesta eleição, vejo conspiradores com medidas que podem ser adotadas contra a operação. Certamente temos que valorizá-la. No seu governo, o que ocorrerá com a Operação Lava Jato?"

  • 00h32

    05/10/2018

    Alvaro Dias (Podemos) pergunta a Fernando Haddad (PT) sobre corrupção. Plateia ri.

  • 00h31

    05/10/2018

    Boulos critica agronegócios e diz que o país carrega o setor "nas costas". "Nós vamos fazer uma reforma agrária agroecológica".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.