Ao Vivo

Estadão

Gabarito do Enem saem no site do Inep na quarta-feira, dia 12

1.519 pessoas foram eliminadas do Enem, 236 por uso indevido do telefone celular.

Os milhões inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) enfrentaram neste domingo, 9, o segundo e último dia de provas. Os testes foram de redação, Matemática e Português
 
O aluno teve cinco horas para fazer a prova (entre 13h e 18h30), uma hora a mais do que no primeiro dia, dos testes de Ciências da Natureza e Ciências Humanas. O tema da redação deste ano foi Publicidade infantil em questão no Brasil. A escolha do assunto contrariou as expectativas de candidatos e professores, que apostavam em crise hídrica, protestos nas ruas ou realização da Copa do Mundo no País. 
 
Neste ano, o Ministério da Educação reforçou o esquema de segurança com 17 mil detectores de metais para rastrear o uso indevido de celulares. Nesse sábado, 8, já foram eliminados 65 candidatos - mais do que o registrado em todo o final de semana da edição passado, quando 47 foram punidos. 
 
A partir das 19h30, a TV Estadão faz correção ao vivo do primeiro dia de Enem 2014 com professores do Cursinho da Poli. Os internautas poderão enviar relatos e dúvidas pelas redes sociais twitter.com/EstadaoEdu e também pela página facebook.com/Estadao.Edu

ACOMPANHE AO VIVO

Atualizar
  • 22h00

    09/11/2014

    Encerramos neste momento a cobertura do Enem. Boa noite e boa sorte a todos os candidatos!

  • 21h44

    09/11/2014

    Os gabaritos serão divulgados até a próxima quarta-feira, 12, na página do Inep na internet.

  • 21h43

    09/11/2014

    “É uma tendência as universidades particulares optarem por utilizar nota do Enem. Se prova continuar com esse grande número de candidatos, talvez o MEC deva considerar dividir a prova em diferentes datas, como acontece nos Estados Unidos, principalmente por causa da logística. Mas a proposta da prova não deve mudar", afirmou Giba.

  • 21h40

    09/11/2014

    Giba projeta a próxima edição do Enem: "Dificilmente teremos mudanças para 2015. E se o termômetro é o Enem, ele vai ajudar muito na reflexão dos projetos pedagógicos do Ensino Médio".

  • 21h39

    09/11/2014

    "A escola tem que ser um ambiente onde o aluno tenha autonomia para aprender mais. Ela precisa ser reinventada", defende Giba

  • 21h37

    09/11/2014

    Giba prossegue: “A proposta do Enem, da valorização das competências, das habilidades, da resolução de problemas, é muito mais sadia que a de vestibulares como o da Fuvest”, avalia o professor Giba. Ele dá um conselho para os alunos que vão prestar o Enem de 2015: “Comece a estudar já!

  • 21h34

    09/11/2014

    No bloco final da correção do Enem com os professores do Cursinho da Poli, o diretor Giba Alvarez volta a falar: “Não é fácil a logística de uma prova de quase nove milhões de candidatos. Mas é importante não falar só da logística - falar do pedagógico da prova é fundamental. E nós percebemos que a escola precisa repensar o currículo, ensinar o aluno a relacionar os conteúdos com o cotidiano”. analisa.

  • 21h30

    09/11/2014

    Ainda quantp à correção da prova com os professores do cursinho da Poli, a professora Eva Nobre volta a discutir questão da Lygia Clark, que continua gerando dúvidas. Por causa da imagem em que uma pessoa manipula o objeto, o aluno poderia entender que haveria “participação efetiva do espectador na obra, o que determina a proximidade entre arte e vida”, segundo ela. “Gostaria de pedir para a banca tomar mais cuidado porque os elementos da questão não poderiam levar o aluno a ser induzido ao erro”, diz a professora. 

     

  • 21h27

    09/11/2014

    TV Estadão: Enem tem eliminação recorde por uso de celular. O ministro da Educação apresentou balanço desta edição do exame. Foram 236 casos de estudantes desclassificados por uso de aparelho celular durante as provas.

  • 21h25

    09/11/2014

    Já na prova de português, ele destaca que não foi cobrado só que o aluno interpretasse, mas também reconhecesse mecanismos de linguagem que o autor citado utilizou para atingir determinado objetivo.

     

    O coordenador ainda afirma que a prova estava mais difícil que nos anos anteriores e que o Enem não é para aventureiros – o aluno precisa ter feito um bom ensino médio para poder ser dar bem. (Jéssica Ferreira)

     

  • 21h22

    09/11/2014

    O tema da redação teve um lado surpreendente para o coordenador do Anglo Vestibulares, Luís Arruda. “O que se espera é um tema que esteja em destaque na mídia, mas não muito ou se torna previsível, e não foi o que aconteceu. A questão da publicidade infantil só apareceu na mídia em abril deste ano”, opina. Através da leitura atenta dos dois textos de apoio, o aluno teria condições de desenvolver a redação, opinando sobre a regulamentação da publicidade infantil, a perda de anunciantes e o papel do Conar. Ele ainda poderia se basear na regulamentação de outros países para exemplificar, conforme o mapa disponibilizado pelo Enem.

     

    Apesar de ser possível desenvolver a redação após uma leitura cuidadosa, Arruda considera que o tema, no entanto, não foi fácil, assim como a prova de matemática. “Ela apresentou questões contextualizadas e criativas, como sempre, mas por outro lado, aumentou o nível de cobrança do que está no currículo do ensino médio.” Para ele, eram questões que exigiam domínio de determinados assuntos. (Jéssica Ferreira)

  • 21h15

    09/11/2014

    Enem só pode ser comparado com o (novo) Enem, a partir de 2010”, analisa o professor Izidoro. É um meio de acesso às universidade, mas na verdade ele é o Exame Nacional do Ensino Médio. “Na minha opinião, eu não vejo um aluno que tenha cursado o Ensino Médio e seja avaliado por essa prova. Faltam elementos do Ensino Médio na prova”, avalia.

  • 21h13

    09/11/2014

    Estudante Fernando Gianini, do cursinho da Poli, que pretende cursar Ciências da Computação, fala por Skype sobre a prova de Matemática. Ele teve dúvida na questão de Análise Combinatória, da locadora. “Para resolver, daria para montar uma tabelinha, distribuir os oito filmes de ação, os filmes de comédia e os filmes de drama. Demorava para entender o que estava sendo pedido, mas não precisava fazer a conta”, explica o professor Izidoro, que diz que a resposta correta era 8! 5! 3!

     

    Na questão de Probabilidade, que falava de um psicólogo e um teste de perguntas, também dava para resolver com tabelinha e fazer as distribuições. Conta: 4 x 2/10² x 2/10³. A resposta era 0,08192.

     

    “O que mais cai de Ensino Médio no Enem é Análise Combinatória, Probabilidade e Estatística. Falta muito conteúdo que não é cobrado, como Matriz e Determinante”, afirma Izidoro.

  • 21h07

    09/11/2014

    Izidoro comenta a questão 146 da prova azul, sobre a Segunda Guerra Mundial. "Fazem um cenário desnecessário, a guerra nem precisava ter sido citada. No final das contas, fala da decomposição de um número, mas questão não tem alternativa correta".

     

    "O aluno tinha que perceber que era um número decomposto em números primos, mas quando a questão coloca as condições, vai eliminando as opções. A opção mais próxima seria a C. Ficou esquisita, mas não compromete a qualidade da prova. É o Enem que esperamos", disse o professor.

  • 21h04

    09/11/2014

    Eduardo Izidoro, da equipe de Matemática do cursinho da Poli. "Em relação a esse novo Enem, o que fez o Inep foi trabalhar com o 'volume morto' de questões de anos anteriores. Estava muito parecido". Para o professor, o que marca essa prova é o fato de ter muito conteúdo de ensino fundamental.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.