Ao Vivo

Estadão

Serra participa da Entrevistas Estadão

Candidato do PSDB ao Senado, ex-governador de São Paulo responde ao vivo perguntas de jornalistas e internautas

 

O Estado de S. Paulo

O ex-governador José Serra (PSDB), candidato ao Senado na chapa de Geraldo Alckmin (PSDB), participa nesta segunda-feira, 22, da série Entrevistas Estadão, com transmissão ao vivo pelo portal estadao.com.br e pelo canal do Estadão no YouTube. Internautas podem enviar perguntas pelas redes sociais, usando a hashtag #EntrevistasEstadao.

O tucano, que lidera a disputa para o Senado no Estado, é o terceiro candidato a senador a participar da série. Antes dele foram entrevistados o petista Eduardo Suplicy e o ex-prefeito Gilberto Kassab (PSD). Já participaram da série os principais candidatos à Presidência e ao governo de São Paulo.

22/09/2014, 15h04

ACOMPANHE AO VIVO

Atualizar
  • 17h14

    22/09/2014

    A participação de José Serra encerra a série "Entrevistas Estadão" neste primeiro turno. Ficamos por aqui, obrigado por acompanhar conosco. Boa tarde!

  • 17h13

    22/09/2014

    "Pretendo criar a nota fiscal brasileira. É uma medida que eu fiz em São Paulo, ela diminui a sonegação e melhora a arrecadação", disse Serra, encerrando sua participação na série Entrevistas Estadão. 

  • 17h11

    22/09/2014

    "Durante o governo Collor, eu fui representante do PSDB na Câmara. Não fazemos uma oposição de achar que tudo está ruim. Mas eu acho que presidencialismo de coalizão não dá certo. Eu defendo um sistema diferente do atual. O Lula não aprovou a revalidação doa CPMF porque o PMDB queria a presidência de uma estatal e não recebeu", criticou Serra. 

  • 17h08

    22/09/2014

    "A meu ver, quem passa do ponto nos ataques a Marina é o PT", afirmou Serra. 

  • 17h06

    22/09/2014

    "Estamos concentrados na campanha do Aécio. Qualquer discussão envolvendo um possível apoio a Marina Silva, só depois do primeiro turno", afirmou Serra. 

  • 17h05

    22/09/2014

    "Deve haver uma diferenciação entre um traficante e um usuário de drogas", completou.

  • 17h04

    22/09/2014

    "Comparo o traficante de drogas a uma pessoa que comete o ato de pedofilia. Sou contra a legalização", disse o candidato do PSDB. 

  • 17h03

    22/09/2014

    "Eu vou apresentar um projeto de lei que o País não pode cooperar com outro que seja cúmplice do tráfico de drogas, como Bolívia, porque o Brasil não é produtor", disse Serra. 

  • 17h02

    22/09/2014

    "Eu fiz em São Paulo e o Aécio Neves fez em Minas Gerais: certificação para nomeações do governo. A pessoa deve ter qualificação para assumir um cargo. Diploma, experiência profissional", afirmou Serra, sobre formas de melhorar o atual quadro de loteamento político para ganhar apoio entre partidos.

  • 16h58

    22/09/2014

    "Esse presidencialismo de coalizão no Brasil não funciona. O PT fez um loteamento no Congresso que resultou em escândalos e ineficiência. Todas as agências reguladoras também foram loteadas politicamente. Por exemplo, não há um médico na Anvisa", disse Serra, respondendo questão sobre o atual sistema de presidencialismo no País, visto que historicamente o PSDB defendia o parlamentarismo. 

  • 16h55

    22/09/2014

    "Essa questão de que ter muito eleição é prejudicial é exagero, sobretudo se o sistema eleitoral for melhorado", afirmou Serra. 

  • 16h53

    22/09/2014

    "A reeleição deu certo no governo Fernando Henrique, mas não como regra geral. Sou a favor de rever essa emenda. Eu defendo o mandato de cinco anos, sem reeleição", disse Serra. 

    Alex Silva/Estadão

  • 16h52

    22/09/2014

    "Deixei a Prefeitura de São Paulo em 2006 por questão de circunstância política daquele momento. O meu objetivo hoje é ganhar essa eleição para o Senado", disse Serra. 

  • 16h50

    22/09/2014

    "A minha proposta é a de estender para 10 anos de internação a pena de menores que cometem crimes hediondos. Um criminoso como o 'Champinha' não pode ficar solto porque ele vai matar de novo", respondeu Serra, questionado sobre sua proposta para mudança da legislação punitiva para menores de idade. 

  • 16h45

    22/09/2014

    "Um segunda questão que eu quero mexer é no horário eleitoral. Horário eleitoral tem de ser o candidato e a câmera, não grandes produções. Tem de acabar com esse comércio de tempo de campanha entre partidos. Estão focando apenas na questão de financiamento, mas voto distrital e mudança na forma de dividir tempo de TV vai cortar custos", prosseguiu Serra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.