Ao Vivo

Estadão

Greve em São Paulo: Sindicato anuncia fim da paralisação

Categoria informou que pagamento da participação nos lucros e valores (PLR) será feito até quarta-feira, 11, e que Prefeitura recuou sobre possível fim da função de cobrador e redução da frota

O Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo (SindMotoristas) anunciou no meio da tarde desta sexta-feira, 6, o término da paralisação que havia sido iniciada na madrugada. Ao longo do dia, a greve afetou o deslocamento pela cidade e comprometeu as condições do trânsito em diferentes partes da capital. 

 

Segundo a São Paulo Transporte (SPTrans), 18 linhas da empresa Sambaíba, que opera na zona norte da cidade, não circularam. A região central também sentiu as consequências da paralisação. Por volta das 15h desta sexta-feira, o presidente do SindMotoristas e deputado federal Valdevan Noventa (PSC-SE) anunciou que a greve estava suspensa. Segundo ele, a Prefeitura recuou quanto à possibilidade de acabar com a função de cobrador nos ônibus e de reduzir a frota operacional.

 

Pressionado, o prefeito Bruno Covas informou que os contratos da megalicitação foram assinados nesta sexta, após uma alteração na duração prevista, de 20 para 15 anos. O ajuste foi necessário após uma derrota sofrida pela administração municipal na Justiça, que ordenou a alteração. A expectativa era que a licitação tivesse de ser refeita totalmente, mas a Prefeitura disse ter ajustado os contratos e as informações serão divulgadas no Diário Oficial neste sábado.

 

Confira abaixo a cobertura do Estado ao longo desta sexta. 

 

Enfrentou problemas por causa da greve de ônibus? Envie seu relato para o Estado, por WhatsApp, pelo número: (11) 9-9147-5968.

 

Foto: Felipe Rau/Estadão

video ataque

ACOMPANHE AO VIVO

Atualizar
  • 17h15

    06/09/2019

    Encerramos aqui a cobertura da greve dos motoristas de ônibus em São Paulo ao longo desta sexta-feira. Tenham um ótimo fim de semana!

  • 17h13

    06/09/2019

    APÓS FIM DA GREVE

     

    Depois da suspensão da paralisação dos motoristas, o prefeito Bruno Covas (PSDB) anunciou a assinatura dos contratos da licitação de ônibus da cidade, que vinham operando com contratos emergenciais desde 2013. A assinatura será publicada no Diário Oficial de amanhã, e os contratos vão valer por 15 anos, e não mais 20.

     

    O prefeito afirmou que hoje foram feitas diversas reuniões com motoristas e cobradores e que as questões referentes à frota e aos cobradores ainda serão discutidas.

  • 17h05

    06/09/2019

    BICICLETAS GRATUITAS

     

    O Bike Sampa informou que a locação gratuita das bicicletas compartilhadas da Tembici, do Itaú, prossegue até o final desta sexta-feira.

     

    Para usufruir do benefício, os interessados precisarão realizar o cadastro no sistema do Bike Sampa e colocar o código promocional ZEROREAIS.

     

    Foto: Tembici/Divulgação

    TEmbici

  • 16h55

    06/09/2019

    ÔNIBUS CIRCULANDO

     

    A SPTrans informou que a interferência no Viaduto do Chá terminou às 15h45 e que às 16h10 as linhas de ônibus voltaram a circular pelo Terminal Parque D. Pedro II.

  • 16h51

    06/09/2019

    Bruno Covas disse que o sistema de transporte custa R$ 8 bilhões por ano. Desse valor, R$ 2,5 bilhões são subsidiados pela administração. O prefeito afirmou, ainda, que os novos contratos não implicarão reajuste no preço da passagem.

  • 16h44

    06/09/2019

    Neste momento, em coletiva de imprensa, o prefeito Bruno Covas (PSDB) disse que, sobre os novos contratos do sistema de transporte público da cidade, não haverá mais pagamento por passageiro, mas sim pelo custo total do sistema.

  • 16h41

    06/09/2019

  • 16h39

    06/09/2019

    Segundo o prefeito Bruno Covas, a readequação do sistema de transporte público será feito em etapas e permitirá a modernização da frota, além de mais fluxo de caixa para as empresas que operam na cidade.

     

    "Com a mudança, vamos adequar a taxa de retorno das empresas. A Procuradoria Geral do Município apresentou o parecer final que permite que os 32 contratos sejam assinados hoje [sexta-feira] e publicados no Diário Oficial amanhã. O prazo será mudado de 15 para 20 anos", disse o prefeito.

  • 16h36

    06/09/2019

  • 16h27

    06/09/2019

    LOCAUTE

     

    O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), afirmou nesta sexta-feira, 6, que há a suspeita de a greve dos motoristas e cobradores de ônibus ser um locaute. Covas disse, porém, que até o momento não há comprovação da hipótese.

     

    Mas o que é locaute? Entenda aqui.

     

    Foto: Felipe Rau/Estadão

    ?Foto: Felipe Rau/Estadão

  • 16h19

    06/09/2019

    O QUE OS MOTORISTAS QUERIAM?

     

    Um dos motivos apontados para greve foi um possível fim da função de cobrador, além de uma suposta redução de 450 veículos da frota operacional. Outra reivindicação é o pagamento da Participação nos Lucros ou Resultados (PLR), que não teria sido efetuado pelas empresas.

     

    A gestão Bruno Covas (PSDB) chegou a anunciar em junho que uma comissão municipal preparava um projeto para extinguir o posto de cobrador de modo a não resultar em demissões. O argumento do Município é de que apenas 5% dos passageiros fazem o pagamento em dinheiro e que 40% da frota circula sem cobradores.

     

    Leia mais aqui

     

    Foto: Taba Benedicto/Estadão

    Taba-Benedicto_Estadao

  • 15h53

    06/09/2019

    Valdevan Noventa, presidente do sindicato dos motoristas e deputado federal (PSC-SE), afirmou que não haverá desconto na folha de pagamento de quem participou da paralisação. "Agradeço a confiança da categoria e o protesto está suspenso, porque o poder público cedeu e não terá desemprego para os trabalhadores”, afirmou.

     

    O sindicalista voltou a negar que a greve tenha sido locaute - movimento coordenado pela entidade patronal, e não pelos trabalhadores. Nesta sexta-feira, o prefeito Bruno Covas disse que havia suspeita de locaute na paralisação.

     

    Por Paloma Cotes

  • 15h48

    06/09/2019

    PARALISAÇÃO SUSPENSA

     

    O presidente do Sindicato dos Motoristas, Valdevan Noventa, anunciou a suspensão da paralisação da categoria. Em meio à forte chuva, ele afirmou que houve um recuo por parte do poder público e que as reivindicações da categoria foram atendidas.

     

    Noventa afirmou que não haverá redução da frota nem desemprego para os trabalhadores que cumprem a função de cobradores nos coletivos. Ele acrescentou que o pagamento da participação nos lucros e valores (PLR) da categoria será realizado em parcela única, a ser depositada na quarta-feira, 11.

     

    Por Paloma Cotes

  • 15h35

    06/09/2019

    FIM DA GREVE

     

    O SindMotoristas anunciou nesta tarde a suspensão da greve em São Paulo. A categoria informou que o pagamento da participação nos lucros e valores (PLR) será depositado até a próxima quarta-feira, 11, e que a Prefeitura da cidade recuou quanto ao possível fim da função de cobrador e redução da frota.

  • 15h34

    06/09/2019

    Linhas paralisadas neste momento

     

    9300/10 Term. Casa Verde - Term. Pq. D. Pedro II

    9301/10 Term. Casa Verde – Pça do Correio 

    9162/10 Vl Penteado – Term. Casa Verde está paralisada na Vl. Penteado

    2002/10 Term. Pq. D. Pedro ll – Term. Bandeira

    148P/10 Pedra Branca – Metrô Barra Funda

    1741/10 Vl. Dionisia – Metrô Santana

    1742/10 Jd. Antártica – Metrô Santana

    1743/10 Jd. Pery Alto – Shop. D

    1758/10 Jd. Antártica – Metrô Santana

    1759/10 Jd. Pery – Metrô Santana

    148L/10 Cohab Antártica – Lapa

    211L/10 Mandaqui – Lapa

    1760/10 Cohab Antártica – Shop. Center Norte

    297A/10 Jd. Primavera – Metrô Barra Funda

    9166/10 Jd. Sta. Cruz – Term. Cachoeirinha

    967A/10 Imirim – Pinheiros

    971A/10 Jd. Primavera – Shop. D

    9701/10 Hosp. Cachoeirinha – Metrô Santana

    971D/10 Jd. Damasceno – Shop. Center Norte

    971M/10 Vl. Penteado – Metrô Santana

    971T/10 Vl. Sta. Maria – Metrô Santana

    971V/10 Jd. Vista Alegre – Shop. Center Norte

     

    Foto: Taba Benedicto/Estadão

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.