Ao Vivo

Estadão

Cuba recebe o papa Francisco

Acompanhe as celebrações de Francisco no país para fiéis cubanos e estrangeiros

O papa Francisco reza na manhã desta terça-feira sua última missa em Cuba. O evento ocorre em santiago de Cubana. Depois, o papa tem um encontro com famílias na Catedral e segue para os EUA.

Acompanhe a transmissão do evento:

19/09/2015, 15h41

ACOMPANHE AO VIVO

Atualizar
  • 10h13

    22/09/2015

    A missa realizada nesta terça foi a última do papa Francisco durante sua viagem a Cuba. 

    Siga mais notícias pela Internacional Estadão

  • 09h16

    22/09/2015

    Foto do papa no Santuário de Nossa Senhora da Caridade do Cobre:

    papa_ap

  • 08h52

    22/09/2015

    A celebração desta terça-feira ocorre no Santuário de Nossa Senhora da Caridade do Cobre, padroeira de Cuba.

  • 12h54

    21/09/2015

    A missa em Holguín está encerrada. Obrigado por acompanhar nossa cobertura. Saiba mais sobre a visita do papa a Cuba em nosso site: Internacional Estadão

  • 12h52

    21/09/2015

    Cubanos de Guantánamo que assistiram à missa celebrada por Francisco em Holguín pediram que o papa os ajude a recuperar a base naval, sob poder dos EUA. "Queremos pedir ao papa paz e tranquilidade, que o mundo se una e nos ajude a recuperar a base", disse Noel Pérez à agência AFP.

    O futuro da base - alugada aos EUA em 1903 por meio de um contrato sem data de término - é um dos temas mais complexos da retomada das relações entre Washington e Havana. Entenda melhor o que é a base naval de Guantánamo.

  • 12h26

    21/09/2015

    Durante a missa, o pontífice pediu que os cubanos aceitem o convite de Jesus de superar a resistência a mudanças.

  • 12h01

    21/09/2015

    Papa segue para o local da missa em Holguín:

    Foto: Luis Acosta / AFP

    Foto: Luis Acosta / AFP

  • 11h25

    21/09/2015

    Durante a passagem por Holguín, o papa Francisco visitará a estátua feita em homenagem ao papa João Paulo II e dará uma benção à cruz colocada no alto da cidade. Para muitos cubanos, o símbolo representa proteção, para outros é um lugar de promessas. A escadaria para chegar ao local contém 458 dergaus.

  • 12h40

    20/09/2015

    'Não servimos a ideias, servimos a pessoas', diz papa Francisco durante missa em Cuba

    A missa celebrada neste domingo, 20, pelo papa Francisco na praça da Revolução, em Havana, foi carregada de leituras bíblicas e declarações pessoais do pontífice pedindo mais solidariedade, respeito aos mais frágeis e acolhimento de opiniões contrárias.

     

    Pelo menos 100 mil pessoas acompanharam a celebração na capital cubana. O pontífice foi saudado na chegada e decidiu descer do papamóvel para cumprimentar pessoalmente parte do público. Acompanhado pelo arcebispo de Havana, Jaime Ortega Alamino, Francisco iniciou a celebração no palco montado próximo a um dos prédios mais famosos da cidade - o edifício do Ministério do Interior, com sua efígie de Che Guevara na fachada.

     

    Na homilia, o líder da Igreja Católica pediu que as pessoas deixassem de lado a vontade de exercer a "onipotência" e exortou a todos a servir ao povo, sem servir-se dele.

     

    "Servir significa, em grande parte, cuidar dos frágeis de nossa sociedade, do nosso povo. São os rostos sofridos, desprotegidos. Ser cristão exige cuidar da dignidade de seus irmãos", afirmou.

     

    Em outro ponto sensível da homilia, Francisco deixou clara sua intenção principal ao viajar a Cuba e também de suas ações no pontificado. "Serviço nunca é ideológico. Não servimos a ideias, servimos a pessoas."

    Após a missa, o papa segue para um encontro com o presidente do país, Raúl Castro, no Palácio da Revolução. Em seguida, dirige-se à Catedral de Havana para uma celebração com religiosos e convidados. É esperado para hoje, apesar de não integrar a agenda oficial, um encontro com Fidel Castro. (Felipe Corazza - enviado especial a Havana)

     

  • 11h39

    20/09/2015

    Em artigo divulgado nesse sábado, o integrante de Secretariado da guerrilha Carlos Antonio Lozada pediu que os colombianos se inspirem no papa e na retomada do diálogo entre Cuba e os Estados Unidos, mediada por Francisco, para solucionar o confronto. No texto, Lozada afirma esperar que "essa visita papal possa nos trazer novamente uma mensagem de apoio nesse esforço pela paz".

     

    "Estaremos atentos às palavras do papa Francisco, em cada um dos eventos e celebrações que presidirá, tanto em Cuba quanto nos Estados Unidos." (Felipe Corazza, enviado especial a Havana)

  • 11h38

    20/09/2015

    Farc esperam que papa ajude a resolver conflito

     

    O comando das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) afirmou esperar que a visita do papa Francisco a Cuba seja também um impulso para as negociações de paz que ocorrem entre os guerrilheiros e o governo colombiano. Homens das Farc e representantes do presidente Juan Manuel Santos discutem, em uma mesa de diálogo estabelecida em Havana há três anos, uma forma de encerrar o conflito que já dura meio século. (Felipe Corazza, enviado especial a Havana)

  • 11h27

    20/09/2015

    Francisco encerra a celebração pedindo aos fiéis que não se esqueçam de rezar por ele

  • 11h22

    20/09/2015

    "Não temos o direito de permitir outro fracasso nesse caminho de paz e reconciliação"

  • 11h22

    20/09/2015

    Papa fala aos colombianos: "Sustentem todos os esforços que estão fazendo para uma definitiva reconciliação"

     

  • 11h17

    20/09/2015

    O cardeal Jorge Ortega, arcebispo de Havana agradece a visita de Francisco e seu papel nas negociações de reaproximação entre Cuba e Estados Unidos. "Querido Papa, abençoe nosso povo que o recebe com carinho", disse

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.