Ao Vivo

Estadão

Segurança e diversidade foram destaques do 2º dia de palestras

Representantes dos poderes públicos de diversos setores apresentam alternativas para melhorar o dia a dia de quem trabalha, vive na área ou apenas visita a região

A Associação Paulista Viva (APV) realizou nesta quarta-feira, 27, a segunda e última rodada de palestras do Fórum "Pensar Avenida Paulista 2021". O evento, com cobertura ao vivo do Grupo Estado, teve como destaques a discussão sobre a segurança e os melhores caminhos para se lidar com as manifestações que param a avenida.

O comandante-geral da PM, coronel Benedito Roberto Meira, e o promotor José Carlos de Freitas, do Ministério Público de São Paulo, expuseram os parâmetros legais que regem o policiamento de protestos e a ocupação da avenida por atos e eventos. Meira afirmou que a PM terá um grupo específico para lidar com as manifestações e que espera a aprovação de uma lei, na Assembleia Legislativa paulista, para que 5 mil PMs do Estado, que ocupam funções burocráticas, possam reforçar o policiamento nas ruas em qualquer parte do território, de acordo com necessidades pontuais, incluindo protestos.

As apresentações, mediadas pelo jornalista Bruno Paes Manso, tiveram representantes dos poderes públicos e de diversos setores da sociedade. Juntos eles projetaram reflexões para a Paulista de 2021, ano do aniversário de 130 anos da avenida, de 25 anos da APV e de 30 anos Rotary Clube Avenida Paulista.

No primeiro dia, os palestrantes falaram da história, do valor cultural, econômico e das preocupações urbanísticas relacionadas à região (veja o resumo). As recorrentes manifestações e o conflito entre liberdade de expressão e liberdade de ir e vir também foram estiveram na pauta.

O fórum foi uma realização da APV, da OAB-SP (Ordem dos Advogados do Brasil) e Rotary Clube Avenida Paulista. O evento, gratuito, foi realizado nesta terça e quarta no Auditório do Instituto Cervantes, na Avenida Paulista, 2.439.

ACOMPANHE AO VIVO

Atualizar
  • 12h55

    27/11/2013

    "O 'Pensar Paulista' não termina aqui", diz o presidente. "Vamos continuar contruibuindo com a diversidade econômica, social e  cultural  da nossa avenida".


    O Estado de S. Paulo agradece a participação dos internautas que acompanharam a transmissão

  • 12h53

    27/11/2013

    Antonio Carlos Franchini Ribeiro, presidente da Associação PaulistaViva, faz os agradecimentos finais

  • 12h52

    27/11/2013

    Antonio Gonçalves Filho, último palestrante, encerra sua participaçã no Fórum "Avenida Paulista 2021"

  • 12h50

    27/11/2013

    Gonçalves Filho: o Masp não se dá bem com outros museus do mundo justamento por causa da insegurança, ainda mais com essa situação do vão livre atualmente. Os museus pensam duas vezes antes de emprestar suas obras. 


     

  • 12h49

    27/11/2013

    Bruno Paes Manso: Como lidar com a ocupação do vão livre do Masp de forma democrática?

  • 12h48

    27/11/2013

    "Repensar a Paulista também é repensar o papel que os institutos culturais têm em São Paulo", conclui o jornalista.

  • 12h47

    27/11/2013

    O jornalista critica a ocupação do Masp por moradores de rua e usuários de drogas. "Não estou defendendo a discriminação. Estou dizendo que espaço culturais não podem ter violência. E o que está ocorrendo lá é uma violência".

  • 12h45

    27/11/2013

    "O espaço público tem de ser pensado de uma forma democrática, onde nenhuma camada social se imponha sobre a outra"

  • 12h44

    27/11/2013

    "O desafio que eu proponho é que as pessoas que organizam os eventos culturais tenham em mente esse divórcio, uma falta de diálogo", diz Gonçalves Filho. Ele propõe também que a programação seja repensada para atender mais públicos.

  • 12h43

    27/11/2013

    O jornalista acredita que a verticalização na Paulista afasta as pessoas, embora muitos sejam gratuitos. Ele cita como exemplo mais acessível o Centro Cultural São Paulo, no Paraíso.

  • 12h39

    27/11/2013

    A herança dos barões do café ainda paira 'como uma sombra' na Paulista, diz Gonçalves Filho. Ele acredita que o fechamento da avenida para o trânsito e sua transformação em um bulevar, como já foi proposto hoje pelo veredor Ricardo Young,  não seria a forma mais adequada de democratização.

  • 12h37

    27/11/2013

    O jornalista lembra que a Avenida foi construída com base em um modelo francês, como símbolo de estatus dos barões de café. Ele afirma que a segraçao persiste ainda hoje com o adensamento e o surgimento de prédios, no que chama de "verticalização social".

  • 12h34

    27/11/2013

    Antono Gonçalves Filho, jornalista, repórter especial do Caderno 2 do Estado de S. Paulo, se apresenta neste momento.

  • 12h32

    27/11/2013

    Sando: Estamos em um momento delicado e outros países investiram muito mais do que nós. Pelo fato de estarmos prestes a realizar outros eventos, como a Copal, não pudemos dedicar toda a atenção. De qualquer maneira, valeu a semente.

  • 12h31

    27/11/2013

    Bruno Paes Manso: Como foi apresentada a candidatura de SP na Expo 2020, uma das maiores feiras do mundo?

Estadão Blue Studio Express

Conteúdo criado em parceria com pequenas e médias empresas. Saiba mais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.