Ao Vivo

Estadão

Plebiscito na Escócia

Eleitores foram às urnas para decidir se país continua sendo parte da Grã-Bretanha

 

Após 307 anos de união, 4,2 milhões de eleitores residentes na Escócia poderão ir às urnas nesta quinta-feira, 18, em Edimburgo e no interior do país em um plebiscito histórico que definirá o destino da Grã-Bretanha, sexta maior potência econômica do mundo. 

Após dois anos e meio de campanha eleitoral, todos os prognósticos revelados na noite de quarta por institutos de pesquisas indicam um empate técnico, mas com ligeira vantagem para o “não” à independência, que teria até 52% das preferências.O “sim” teria até 49%.

Em meio à incerteza econômica e política, 500 mil indecisos serão os árbitros da escolha. A média das últimas pesquisas feita ontem mostra diferença de 3,8 pontos porcentuais.

 

ACOMPANHE AO VIVO

Atualizar
  • 07h35

    19/09/2014

    A Escócia decidiu manter-se integrada à Grã-Bretanha. A apuração dos votos do plebiscito realizado ontem sobre a questão da independência já foi concluída e os números divulgados no início da manhã desta sexta-feira, 19, mostraram uma vitória do "não" à separação por 55,3% dos votos contra 44,7%.

    O primeiro-ministro britânico, David Cameron, discursou na manhã de hoje e saudou o resultado do plebiscito. "Como eu disse durante a campanha, cortaria meu coração ver nossa União chegar ao fim". Cameron prometeu não ignorar as demandas dos eleitores que desejavam a separação por motivos econômicos e sociais. "Agora, é hora de a Grã-Bretanha se unir e ir adiante. Uma parte essencial disso será buscar um acordo equilibrado, justo para a população da Escócia e, importantemente, para todos na Inglaterra, em Gales e na Irlanda do Norte, também."

    O primeiro-ministro da Escócia, Alex Salmond, líder do movimento independentista, disse que, apesar do resultado, o plebiscito representou um grande avanço político. "Conseguimos alcançar setores da comunidade que nunca antes haviam sido alcançados pelo processo político", afirmou.

     

  • 21h53

    18/09/2014

    Edimburgo, Glasgow e Aberdeen, que totalizam 25% dos votos, devem ser as últimas regiões a anunciar os resultados, entre 2 horas e 3 horas (horário de Brasília)

  • 21h43

    18/09/2014

    Clackmannshire vota não. O primeiro distrito eleitoral a divulgar o resultado do plebiscito sobre a independência da Escócia registrou 39.972 votos, o que significou uma participação de 88,59% dos eleitores registrados. O 'não' teve 19.036 votos (53,8%); o sim, 16.350 (46,2%). Apenas 25 votos foram anulados.

  • 21h14

    18/09/2014

    Eleitora do 'sim' é carregada pelo companheiro em comemoração pela realização do plebiscito sobre a independência da Escócia no centro de Glasgow

    Matt Dunham / AP

  • 21h08

    18/09/2014

    O jornal The Herald, da Escócia, relatou que funcionários do Conselho Municipal de Glasgow disseram ter registrado ao menos dez denúncias de fraude eleitoral, nas quais os eleitores tentaram se fazer passar por outros eleitores.

    Os incidentes doram causados aparentemente por pessoas que supostamente davam nomes falsos quando foram votar em várias seções eleitorais na cidade.

    As cédulas foram guardadas depois de serem removidas das urnas e serão enviadas à polícia. 

  • 20h59

    18/09/2014

    Sem se importar com resultados das pesquisas e da contagem parcial, escoceses partidários do 'sim' comemoram realização de plebiscito sobre independência da Escócia no centro de Glasgow

    Cathal McNaughton / Reuters

  • 20h54

    18/09/2014

    O Palácio de Buckingham anunciou que a rainha Elizabeth II vai divulgar nota nesta sexta-feira a respeito do plebiscito sobre a independência da Escócia, independentemente do resultado da votação. 

  • 20h51

    18/09/2014

    O plebiscito sobre a independência da Escócia foi a primeira eleição da história a permitir que jovens de 16 e 17 anos votassem. E, segundo o professor Charlie Jeffrey disse à BBC Escócia, a participação deles foi um sucesso.

    "Acho que o compromisso dos novos eleitores foi muito alto, mas também o nível de seriedade no debate", disse ele, em entrevista à emissora. "Algumas pesquisas especiais foram feitas com jovens de 16 e 17 anos por meus colegas na Universidade de Edimburgo e eles descobriram que  a probabilidade dessa faixa etária votar 'não' só era inforior à observada entre os aposentados."

  • 20h40

    18/09/2014

    Partidários do "sim" empunham bandeiras da Escócia no centro de Glasgow, após encerramento do plebiscito sobre a independência escocesa

    Cathal McNaughton / Reuters

  • 20h32

    18/09/2014

    Após o encerramento da votação do plebiscito pela independência da Escócia, o primeiro-ministro Alex Salmond publicou uma mensagem em seu perfil no Twitter: "Este foi um dia inesquecível. O futuro da Escócia verdadeiramente está nas mãos da Escócia". 

  • 20h27

    18/09/2014

    O gerente de pesquisa do YouGov, Laurence Janta-Lipinski, disse que a última pesquisa da organização havia registrado uma "pequena mas significativa mudança do 'sim' para o 'não' no dia da votação".

    "Essa pesquisa YouGov indica que a união prevalece - com certeza parece mais confortável do que parecia há 10 dias", disse Janta-Lipinksi à Reuters. "Parece que a união vai permanecer intacta por enquanto".

  • 20h15

    18/09/2014

    Manifestantes favoráveis à independência se reúnem na frente do Parlamento escocês, em Edimburgo, na Escócia, após o encerramento das votações

    Lesley Martin / AFP

  • 20h02

    18/09/2014

    Urnas são abertas no começo da contagem de votos do plebiscito sobre a independência escocesa na zona eleitoral de Aberdeenshire, Aberdeen, na Escócia.

    Scott Heppel / AP

  • 19h30

    18/09/2014

    Pesquisa realizada pelo instituto YouGov mostra que a Escócia deve seguir como parte do Reino Unido. Segundo o levantamento divulgado há instantes, 54% dos eleitores que votaram nesta quinta-feira escolheram o "não" à independência escocesa. O apoio ao movimento separatista contou com 46% dos eleitores.

    A pesquisa foi divulgada há pouco pela emissora Sky News e mostra ligeira vantagem do movimento unionista na comparação com as últimas pesquisas eleitorais. Levantamentos feitos antes do referendo mostravam o movimento unionista com 52% dos eleitores e 48% de apoio à independência. / FERNANDO NAKAGAWA / CORRESPONDENTE, DE EDIMBURGO

  • 19h24

    18/09/2014

    Funcionários eleitorais começam processo de contagem de votos em Ingliston, Edimburgo, na Escócia.

    PAUL HACKETT / REUTERS

Estadão Blue Studio Express

Conteúdo criado em parceria com pequenas e médias empresas. Saiba mais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.