Ao Vivo

Estadão

Acompanhe os protestos contra a reforma da Previdência no País

Manifestantes protestam contra as reformas previdenciária e trabalhista na manhã desta quarta-feira, 15, em todo o País. Paralisações afetam transporte público

Em São Paulo, os ônibus só começam a circular às 8h. Parte das linhas de metrô começaram a operar alguns trechos. No Rio, os trens funcionam normalmente, mas os ônibus não saem às ruas. Há atos previstos em quase todas as capitais.

ACOMPANHE AO VIVO

Atualizar
  • 11h42

    15/03/2017

    Encerramos neste momento a cobertura em tempo real das manifestações contrárias à proposta de reforma da Previdência. Continue acompanhando o nosso noticiário. Até a próxima. Bom dia!

    Felipe Rau/Estadão

  • 11h39

    15/03/2017

    São Paulo

     

    A mobilização de trabalhadores contra a reforma da Previdência causou transtornos no trânsito de São Paulo na manhã desta quarta-feira, 15. A cidade registrou recorde de lentidão no ano no período da manhã, com 201 quilômetros de vias engarrafadas às 9h30, como reflexo da paralisação dos serviços de transporte público, como metrô e ônibus. Às 11 horas, as linhas municipais já começavam a retomar a normalidade, com 85% de circulação, enquanto o metrô ainda operava parcialmente, com operação por trechos. Saiba mais.

    Hélvio Romero/Estadão

  • 11h33

    15/03/2017

    Rio de Janeiro

     

    As visitas no Complexo Penitenciário de Gericinó, na zona oeste, estão suspensas nesta quarta-feira, 15, porque os agentes penitenciários aderiram à greve geral em protesto contra as  reformas da trabalhista e da Previdência. Mulheres de presos fizeram um cordão na entrada do complexo para tentar impedir a entrada e saída de carros que levam os agentes.

     

    Para garantir mais tempo com seus parentes, as famílias costumam chegar na véspera da visita e esperar numa fila. As senhas chegaram a ser distribuídas, mas somente pela manhã houve o aviso de que a entrada não seria liberada por causa da paralisação. O sindicato dos agentes informam que a adesão foi de 60% da categoria. (Clarisa Thomé, O Estado de S. Paulo)

  • 11h32

    15/03/2017

    São Paulo

     

    Neide Souza, de 72 anos, acompanhada do marido, Alcides Souza, de 76, estava a caminho do Hospital Tamandaré, na Liberdade, região central da capital paulista. Ela faria uma consulta com um oftalmologista para mostrar exames - Neide tem glaucoma e catarata avançados e precisará passar por uma cirurgia. O casal chegou às 6h40 à Estação Corinthians-Itaquera, na zona leste, e tinham que estar às 9 horas no hospital. 

     

    Segundo eles, não havia outra alternativa, já que o trânsito estava congestionado na Radial Leste. Além disso, Neide tem dificuldade de locomoção e precisa usar bengala. "É a população que sai mais prejudicada e os políticos continuam numa boa e o pobre que fica no sofrimento, principalmente os idosos, que são os que mais precisam", disse. 

     

    Alcides já estava pensando em como iria remarcar a consulta, já que estava sem esperança de chegar a tempo. (Priscila Mengue, O Estado de S. Paulo)

    Priscila Mengue/Estadão

  • 10h54

    15/03/2017

    Rio de Janeiro

     

    No terminal da Central do Brasil, por onde passam trens, metrô e ônibus, o movimento é normal. Rodoviários ouvidos pela reportagem do Estado disseram ter medo de aderir à paralisação e perder o emprego. 

     

    "Uma andorinha só não faz verão. Fui até a garagem e vi que todo mundo estava trabalhando, então não tive outro jeito. Há duas semanas era carnaval e estavam todos na rua brincando. Mas lutar pelos nossos direitos ninguém quer", desabafou um motorista da empresa São Silvestre. "O Brasil já tem milhões de desempregados e não posso ser mais um. Não quiseram tirar a Dilma? Agora aguentem", disse um cobrador da mesma empresa. (Roberta Pennafort, O Estado de S. Paulo)

  • 10h52

    15/03/2017

    Jacareí

     

    Na montadora Chery, em Jacareí, os trabalhadores decidiram entrar em greve de 24 horas. Na Embraer Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer), a produção teve um atraso de uma hora. Também aconteceram manifestações de metalúrgicos da JC Hitachi e Prolind. (Jéssica Alves, O Estado de S. Paulo)

  • 10h51

    15/03/2017

    São José dos Campos

     

    As manifestações começaram por volta das 5h30, com os trabalhadores da TI Automotive em passeata na Rodovia Presidente Dutra (pista sentido SP-Rio). Eles seguiram cerca de dois quilômetros até a Refinaria Henrique Lage, da Petrobrás.  Os metalúrgicos da General Motors também realizaram uma passeata, com cerca de 2,5 km, e ocuparam a Via Dutra, no sentido Rio - SP (altura do km 147). Houve atraso de três horas no início da produção. (Jéssica Alves, O Estado de S. Paulo)

  • 10h50

    15/03/2017

    São José dos Campos

     

    Cerca de 10 mil metalúrgicos de São José dos Campos também se mobilizaram nesta quarta-feira. Os protestos foram organizadas pelo Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região, filiado à CSP-Conlutas.  (Jéssica Alves, O Estado de S. Paulo)

  • 10h49

    15/03/2017

    São Paulo

     

    Cerca de 600 trabalhadores na Volks que conseguiram chegar na manhã desta quarta-feira, 15, à empresa decidiram pela paralisação integral em protesto contra reforma da Previdência. Na parte da tarde, os metalúrgicos do ABC se unirão aos demais na Avenida Paulista. (Jéssica Alves, O Estado de S. Paulo)

    Adonis Guerra/Sindicato dos Metalúrgicos do ABC

  • 10h45

    15/03/2017

    Fortaleza

     

    As escolas públicas de Fortaleza também foram afetadas pelo protesto das centrais contra as reformas trabalhista e da Previdência. Os professores da rede municipal pararam por tempo indeterminado a partir desta quarta-feira, 15. Em algumas escolas da rede estadual, não houve aula. De acordo com a presidente do Sindicato Único dos Trabalhadores do Ceará, Ana Guilherme, 6 mil participam da passeata pelas ruas do centro. (Carmen Pompeu, especial para o Estado)

    Carmen Pompeu/Estadão

  • 10h40

    15/03/2017

    São Paulo

     

    A Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH/USP) está com as aulas suspensas. Carros circulam normalmente no interior da Cidade Universitária, no Butantã, na zona oeste da capital paulista, mas do lado de fora há diversas viaturas da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) controlando o tráfego. O único portão bloqueado pelo protesto contra a reforma da Previdência é o 1 - os demais estão livres. (Luiz Fernando Toledo, O Estado de S. Paulo)

    Tiago Queiroz/Estadão

  • 10h33

    15/03/2017

    Belo Horizonte

     

    Integrantes do Movimento dos Trabalhares Rurais Sem Terra (MST) interditaram até o momento pelo menos três pontos de estradas federais que cortam o Estado de Minas Gerais, segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), também em protesto contra a reforma da Previdência.

     

    Em Manhuaçu, na Zona da Mata, cerca de 300 integrantes do movimento fecharam as duas pistas da BR-116. O mesmo aconteceu na BR-262, em Campos Altos. Não há prazo para liberação das vias, conforme a PRF. A BR-381, em Betim, na Grande Belo Horizonte, também foi fechada, mas liberada por volta das 8 horas. (Leonardo Augusto, especial para o Estado)

    Leonardo Augusto/Estadão

  • 10h28

    15/03/2017

    São Paulo

  • 10h19

    15/03/2017

    São Paulo

    De acordo com a decisão favorável à USP, “embora o direito de greve seja constitucionalmente protegido (e, portanto, não se reconhece aqui nenhuma possibilidade de interferência sobre o sindicato), as dependências da USP são públicas. Daí porque não se pode admitir que a paralisação interfira no uso do bem por parte de estudantes, funcionários e populares”. (Luiz Fernando Toledo, O Estado de S. Paulo)

    Tiago Queiroz/Estadão

  • 10h16

    15/03/2017

    Porto Alegre

    O transporte público da capital gaúcha não foi afetado pela mobilização. Protestos ocorrem durante a manhã no Centro da cidade, sem afetar o trânsito. Um ato unificado deve percorrer o Centro da cidade a partir das 17h, conforme a Central Única dos Trabalhadores (CUT) no Rio Grande do Sul. (Bibiana Borba, O Estado de S. Paulo)

Estadão Blue Studio Express

Conteúdo criado em parceria com pequenas e médias empresas. Saiba mais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.