Três imagens de Tiago Queiroz
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Três imagens de Tiago Queiroz

Armando Fávaro

17 Março 2014 | 08h20

Tiago Queiroz* é um fotojornalista que não se limita as pautas que recebe. Ele gosta de descobrir histórias e personagens curiosos em São Paulo, cidade que aprendeu a amar ainda adolescente, quando perambulava por suas ruas como office boy. Nessa época lia ávido o extinto jornal “Diário Popular” e sonhava em conhecer a cidade como aqueles fotógrafos e repórteres conheciam.

Selecionamos três fotografias do seu trabalho realizado diariamente e Tiago nos conta como capturou essas imagens.

Foto 1 – Vendedor de balas

A foto é a única das três na qual ele foi pautado. O jornal iria publicar dados do IBGE e precisava ilustrar o trabalho infantil na cidade. Tiago sabia que nas esquinas da Avenida Brasil com 9 de julho trabalhavam um grupo de crianças no semáforo.

“Quando cheguei lá, dito e feito, os menores estavam vendendo balas. Havia um garotinho franzino, um dos mais aplicados no trabalho. Corria muito entre os carros e aproveitava todo o tempo disponível para colocar saquinhos com as guloseimas nos retrovisores. Foi esse garoto que me sensibilizou mais no dia e direcionei minha lente para ele. Era um dia frio de setembro e lembro que havia uma mulher, supostamente sua mãe, que não ficou nada feliz que estávamos fotografando. Prometemos que a imagem não iria prejudicar ninguém. Também tive o cuidado de sempre fazer tomadas que não identificassem o garoto. No final fiz várias fotos, mas essa em especial me marca muito. A perspectiva de carros, todos com os vidros fechados, com seus motoristas alheios ao vendedor mirim e este correndo, provocando a sensação de queria fugir dali e ir para uma infância melhor.”

17/09/2008 – Vendedor de balas. Foto: Tiago Queiroz

 

 

Foto 2 – Morador de rua e cavalete político

Essa imagem foi capturada  na Avenida Radial Leste. Tiago voltava da cobertura da última campanha política para Prefeitura da cidade. Um dos candidatos havia cumprido sua agenda no bairro do Tatuapé, zona leste da cidade de São Paulo.

“Estava no carro do jornal transmitindo as imagens e seguindo para outra pauta quando me deparei com essa cena. Eram dezenas de moradores de rua que se protegiam do frio com barracas improvisadas, produzidas com material de campanha. Na hora percebi que a imagem era boa e pedi para o motorista para chegarmos mais perto. Essa foto foi uma das primeiras que fiz, ainda no veículo de reportagem. No dia a fotografia uniu várias informações. A campanha para a prefeitura entrava na reta final. Era um dos dias mais frios do ano. Para mim foi um exemplo, pois na última campanha houve muita discussão sobre o lixo produzido pelos candidatos. Os moradores de rua, involuntariamente, estavam dando uma lição na sociedade. A  imagem foi publicada na primeira página do jornal e mostra uma das facetas mais interessantes da profissão, às vezes, o que não é pautado é muito mais relevante do que a própria pauta em si.”

26/09/2012 – Morador de rua se protege do frio usando cavalete de campanha política.

 

 

Foto 3 – Morador de rua com seu notebook e celular

Tiago sugeriu uma pauta para o jornal à respeito da enorme quantidade de barracas de camping utilizadas pelos moradores de rua da cidade. Também escreveu a matéria  junto com a repórter Adriana Ferraz, do caderno Metrópole do jornal O Estado de S. Paulo.

“Fotografei moradores com suas barracas embaixo da marquise da Praça do Patriarca, a poucos metros da Prefeitura. Também entrevistei pessoas nessas condições na Praça da Sé, Rua Direita, Viaduto Antartica e outras regiões da cidade. As histórias se repetiam. Os próprios moradores haviam comprado as barracas, para se proteger do frio e ter um pouco mais de dignidade. Estava finalizando a apuração dessa história, quando voltava de uma outra pauta, já tarde da noite, e percebi uma vistosa barraca de camping e um carrinho cheio de material reciclável encostado nela,  em uma praça na Avenida Vergueiro, zona sul. Parei para ver se havia alguém por lá. Encontrei com um rapaz bem articulado, que tinha celular com wi fi e notebook na sua moradia.  Uma dessas surpresas que parecem só existir em uma metrópole como São Paulo. A reportagem foi publicada num domingo e a foto saiu na primeira página.”

28/05/2013 – Morador de rua com notebook e celular em sua barraca. Foto: Tiago Queiroz

 

* Tiago Queiroz, tem 37 anos e há onze trabalha como fotojornalista no jornal O Estado de S.Paulo. Formado em jornalismo pela PUC/SP e com pós-graduação em Fotografia pelo SENAC-SP.