EUCLYDES DA CUNHA

Estadão

23 Agosto 2009 | 00h04

Do Jornal do Commercio de hontem: “As auctoridades policiaes continuam as suas pesquizas com o intuito de colher esclarecimentos por meio dos quaes possa ser perfeitamente reconstituída a trágica scena do assassinato do dr. Eucydes da Cunha.
O dr. J. Segurado apresentou hontem a planta differencial do nível dos planos superior em que estava Dillermando de Assis e o inferior em que se achava o dr. Euclydes da Cunha no ultimo momento do crime.
No laudo estão também discriminadas as alturas da victima e do aspirante; a direcção dos projectis e o exame das armas. (…)
Seis tiros do revólver do dr. Euclydes da Cunha – “um perdido no quarto”, dois disparados contra Dinorah atravessando a tunica no braço e na cintura; dois contra Dillermando, ferindo-o na virilha, e no mamelão direito e um que se perdeu no corredor. Seis do revolver do aspirante Dillermando: um attingido no quadril do dr. Euclydes, um a mão, um o braço, um perdido na sala, um perdido no jardim, e um, o ultimo, que causou a morte.
“Um perdido no quarto”, deve ser ectificado assim: um que feriu Dinorah na região dorsal. (…)
O dr. Oliveira Alcantara que conduz o caso enviou hontem ao Hospital Militar um official de diligencias, afim de saber se o estado de saúde do aspirante já permittia que elle fosse inquirido. (…)(pág. 4, col. 8)