A HESPANHA EM MARROCOS

Estadão

27 Agosto 2009 | 00h04

A Hespanha em Marrocos

A guerra e a sedição. O combate do dia 27 do mez findo, em Melilla, foi o mais rude entre quantos as tropas hespanholas alli têm sustentado desde o começo da actual campanha. Foi um revez para essas mesmas tropas, não há duvida. As noticias officiaes não são prolixas em pormenores que traduzam toda a verdade do embate sangrento, o certo é que as correspondências recebidas de Melilla no dia 30 dão bem a entender que a um esforço mais violento dos riffenhos teria correspondido inevitavelmente a derrota-catastrophe do general Marina e do seu exercito de operações. (…)
Uma nota officiosa diz sobre a origem da revolta estes pormenores que a censura militar permitte sejam divulgados ao publico: “O movimento revolucionário da ultima semana foi promovido pelos anarchistas e os partidários do sr. Lerroux obedecia a um plano precisamente combinado, como o demonstra o facto de terem sido cortadas logo nos primeiros momentos as linhas férreas e as linhas telegraphicas e telephonicas, para que a cidade de Barcelona ficasse completamente isolada. (…)