Segunda-feira, 28 de março de 1910

Estadão

28 de março de 2010 | 00h00

1910.03.28_ITALIA_pag938

 

 

ROMA – Telegrapham de Cataniaque  que se reuniu enorme multidão, composta de habitantes das povoações vizinhas, que, invadida pelo pânico e fantasiada, levanta preces ao céu, em altos brados lancinantes, pedindo a cessação da erupção.

Uma freguezia da Villa de Belpasso ficou completamente destruída. A fome começa a fazer-se sentir em muitas aldeas ameaçadas pelo cataclysmo, não tendo as autoridades da Catania  quase tempo para attender aos queixumes.

Um despacho da Catania ao “Giornale d’Italia”, diz que o marquês Di Ruvoli, que assistiu hontem, de um ponto relativamente próximo, á erupção, refere que o phenomeno é de uma grandiosidade aterradora.

Saem, a pequenos intervalos, da cratera principal do vulcão, chamas enormes azuladas, seguidas por faíscas de fogo, por descargas de bombas idneas, por pedras, que caem como verdadeiros bólides, e por jactos colossaes de lava, que transbordando da cratera, parecem formar cascatas incandecentes.

O panorama que se apresenta ao espectador assemelha-se a uma serie de fortificações ambulantes, que vão avançando em semi-circulo, envoltas numa atmosphera cheia de cinza e de fortes emanações sulfhydriosas.

A neve, que caia na noite passada, dava maior intensidade á scena dantesca, que se tornou ainda mais horripilante pela abertura de uma nova cratera, que, verdadeira garganta infernal, começou a lançar lava vermelhada, que, descendo em fórma de torrente, ameaçou a povoação de Altarelli, cujos habitantes fugiram, implorando misericórdia, chorando e blasphemando, em direcção de Catania, abandonando os seus casebres e as suas relíquias ao trágico destino que os afugentára.

O dr. Annibal Riccó, director do observatório sísmico e geodynamo, calcula em mais de nove mil metros cúbicos a lava arrojada pela cratera principal do Etna.(…) (pág.4)  

 

 

1910.03.28_AlexandreHerculano_pag937

 

 

O homem, cujo centenário natalício Portugal hoje celebra, foi na primeira metade do século XIX a figura mais gloriosa da sua geração.

Stoico por dentro, era feito, por fora, de umas linhas duras e ásperas que, entanto, não perfaziam o traço dominante do seu caracter.

Quem lhe acompanhou os passos na carreira, desde a crise profunda que opera a transformação das instituições políticas e das idéas literárias (1834), até esse triste verão de agosto em que elle já isolado do mundo, afoga a ultima illusão na sua Quinta de Val-de-Lobos(1877), é que pode definir bem na physionomia de herculano o typo duro e forte do lusitano, mas com um coração cheio de doce meiguice e de candida ingenuidade. (pág.3) 

 

 

1910.03.28_TumuloAleHerc_pag937

 

 

FRANÇA

Concurso de aviação em Cannes-Queda de uma aeroplano

PARIZ – Noticias recebidas de Cannes informam que no concurso de aviação realisado naquella cidade o aeroplano “Molen”, que se achava em evoluções, caiu repentinamente no chão, em conseqüência de se ter deslocado o ar com as manobras de um outro apparelho que se achava próximo.

Com a queda, o apparelho ficou completamente despedaçado, ficando o aviador levemente contundido (pág.4)  

 

 

1910.03.28_ALLEMANHA_pag938

 

 

O QUE HA DE NOVO

Pelo que se vê, as negociações para a queda do sr. Nilo Peçanha em sua terra vão muito mais adiantadas do que parecem. Todas as violências e todos os processos tortuosos de que se serviu elle á sombra de seu poder vão dar, no fim, um resultado completamente negativo, segundo se deprehende das combinações para se elevar o sr. Edwiges de Queiroz á presidência do estado, único meio de garantir o predominio do sr. Alfredo Backer. (pág.2)

 

ANNUNCIO

 

1910.03.28_CasaSloper_pag944