Sexta-feira, 1 de abril de 1910

Estadão

01 de abril de 2010 | 00h00

1910.04.01_ALLEMANHA_pag4

 

BERLIM

Uma das consequencias immediatas das manifestações de domingo em Berlim foi o accordo effectuado entre as três fracções em que os adeptos do liberalismo avançado na Allemanha estavam, até agora, divididos.

Effectivamente, estas facções formam hoje um poderoso bloco, unido para a defesa da liberdade. E de como e até que ponto entendem levar essa defesa, prova que a jornada de domingo, com as suas imponentes manifestações, como até aqui a Allemanha, não tinha realisado.

Os elementos avançados dos partidos não socialistas da esquerda parlamentar viram a gravidade da situação actual; viram que as lutas que os dividiam não podiam senão enfraquecel-os e pôl-os á mercê dos golpes de audácia dos conservadores; e viram que tinha acabado o tempo das illusões:- essas illusões que os levavam a pretender desempenhar, entre a monarchia e a democracia socialista, um papel de medianeiros, uma obra de conciliação absolutamente chimerica.

O radicalismo allemão constitue hoje um bloco poderoso, destinado a desempenhar um papel importantíssimo na política do seu paiz.

O correspondente do “E´cho de Pariz” escreve:

“A “Marselheza Socialista”, milhares de vezes repetida, pairava sobre a multidão, que não cessava de gritar a plenos pulmões os seus “hoch” a favor do suffragio universal. O espectaculo era imponente, demonstrativo de grandeza e de força. (…)(pág.4)

 

 

 

1910.04.01_INGLATERRA_pag4

 

 

LONDRES

O sr. Edward Grey, ministro das relações exteriores, telegraphou hontem ao sr. H. Hervey, cônsul da Inglaterra na capital da Abyssinia, recommendando-lhe que requisite tropas do commandante do districto militar da Somalia, para garantir os súbditos britannicos residentes em Addis Abeba, onde a situação está se tornando insuportável. (pág.2)

 

 

1910.04.01_AustriaHungria_pag4

 

 

TURQUIA

 O sultão recebeu no dia 5 de março o sr. Milovanovitch, ministro dos negócios estrangeiros da servia. O sr. Milovanovitch teve prolongadas conferencias com o ministro dos negócios estrangeiros e com o grão vizir.

O ministro dos negócios estrangeiros da Servia exprimiu o vivo desejo de desenvolver as relações diplomáticas e de estreitar os laços políticos turco-servos. Os fins principaes da viagem do sr. Milovanovitch vão dar certos esclarecimentos acerca da próxima viagem do rei da Servia a Petersburgo, discutir a possibilidade de uma visita do rei da Servia ao sultão no regresso da  Russia, propôr a negociação de um tratado de commercio e finalmente obter o consentimento, em principio, da Turquia para a construção de caminho de ferro do Adriatico.

O sr. Milovanovitch conferenciou com Djavid-hey, ministro das finanças, acerca de tratado de commercio.

O governo turco não parece contrario em principio ao projecto do caminho de ferro do Adriático, mas a condição essencial da sua approvação seria que o ponto terminal do caminho de ferro se encontrasse em território ottomano e não em território montenegrino. (pág.4)

 

 

FRANÇA

PARIZ -No senado entrou hoje em discussão o orçamento da guerra.

O sr. L. Reymond pediu a criação de um corpo de exercito especialmente consagrado á aerostação.

Falou tambem o general Langlots, queixando-se da inércia do ministério da guerra e da hostilidade que nos centros officiaes encontram as idéas novas.

Depois, tomou a palavra o general Brun, ministro da guerra, declarando que, no estado actual da questão dos dirigíveis, não julga necessário augmentar o numero desses aparelhos.

A inferioridade da França, com relação á Allemanha, disse o general Brun, tem sido exaggerada. No fim do corrente anno a França terá sete dirigíveis e cinco “hangares”. (pág.3)

 

 

ANNUNCIO

 

1910.04.01_Byington&Co_pag12

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.