Sexta-feira, 13 de maio de 1910

Estadão

13 de maio de 2010 | 00h00

 

 

 

1910.05.13_Halley_pag485

 

O QUE HA DE NOVO

A Camara dos Deputados, pela preponderância numérica da maioria, mostrou hoje o horror que lhe inspira a idea de uma apuração clara, esmerilhada e meticulosa das elições escandalosas de 1 de março. O seu pronunciamento na sessão de hoje é de uma eloqüência significativa; nada mais se faz mister para que o paiz se convença dos intuitos da política dominante. Está resolvido que nos há de ser imposto o presidente considerado eleito, sem que ao menos se salve a apparencia exigida pelo simples decoro. Tal é a convicção dos vícios e das fraudes desse pleito memorável, que desde já se evidencia o propósito de furtal-o ao exame da minoria, para que não se exponham aos olhos da nação estupefacta os processos tortuosos e aviltantes de que se serviram os empreiteiros da odiosa candidatura de maio, para contrapol-a á vontade do eleitorado aqui tolhido no sagrado direito do voto, alli annulado nas suas manifestações pela derrama superabundante de actas falsas. (…) S. (pág.1)

 

1910.05.13_AMissaoFranceza_pag488

 

Ao centro o coronel Paul Balagny. Aos lados, os novos officiaes da missão franceza, tenente coronel Augusto gatelet, major Luiz Formizetti e capitães Rouvillan e Balencier. (Instantaneo tirado hontem no pateo do quartel da Luz)

 

1910.05.13_PortoAlegre_pag485

 

EDUARDO VII

LONDRES -Ainda não está definitivamente combinado o ceremonial dos funeraes de Eduardo VII. Sabe-se, comtudo, que os mesmos terão caracter estreitamente militar, não sendo, por esse motivo, permitido que no cortejo figurem coroas e grinaldas, as quaes serão enviadas directamente para a capella de Windsor.(…) Nas ruas onde deverá passar o cortejo, foram já alugadas salas de frente das casas até a cem guinéos, janellas a 30 e um simples lugar a 5 guincos. A rainha Alexandra mandou tirar “fac-similes” da carta autographa que dirigiu á nação, destinando o producto da sua venda a instituições de caridade. Sabe-se agora que os termos dessa carta foram de exclusiva autoria da rainha Alexandra, tanto que o seu secretario particular só teve della conhecimento quando publicada.(…)(pág.5)

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.