Domingo, 5 de junho de 1910

Estadão

05 de junho de 2010 | 00h00

 

 

1910.06.05_Notas&Info_pag737

 

RIO

O sr. Esmeraldino Bandeira, ministro da Justiça e Negócios do interior assistiu hontem, na Santa Casa, a inauguração das novas installações do serviço ophthalmologico, sob a direcção do sr. Abreu Fialho. A ceremonia esteve muito concorrida. O dr. Abreu Filho fez um discurso demonstrando as vantagens que traria a nova installação aos infelizes recolhidos á Santa Casa. O dr. Esmeraldino Bandeira tambem falou, salientando os serviços prestados pela benemérita instituição, e referindo-se especialmente aos serviços do dr. Miguel Carvalho e á sua brilhante administarção. Depois da ceremonia inaugural o ministro da justiça percorreu as varias enfermarias da Santa Casa, causando-lhe má impressão o estado da enfermaria das mulheres, devido ao excesso da lotação. (pág.2)

 

1910.06.05_Venezuela_pag738

 

ALLEMANHA

Berlim -Dizem de Pariz que há uma certa difficuldade para que se encaminhem as negociações a respeito da legislação sobre Minas em Marrocos. Essa difficuldade é originada pelo conflicto de interesses existente entre a França, a Allemanha e a Hespanha. Comtudo, segundo informam de Pariz, não deixa de ser possível chegar-se a um accôrdo para conciliar os interesses dos três paizes, no caso que as negociações entaloladas ao mesmo tempo entre os irmãos Mannesmann e a “Union Minière” sejam coroadas de bom êxito. (pág.2)

 

1910.06.05_Alemanha_pag738

 

CONFERENCIA PAN-AMERICANA

A nomeação dos delegados brasileiros á quarta Conferencia Internacional Americana vem desfazer uma duvida que alimentavam todos os espíritos sobre a comparecencia de Brasil á Conferencia. Tal não se dará: o Brasil, cuja acção política no continente tem sido das mais relevantes, graças á prudência e ao admirável descortino diplomático do nossos grande ministro do exterior, estará em Buenos Aires ao lado das outras nações sul-americanas. Para os espíritos superficiaes havia razão de sobra que justificasse a nossa ausência, não só pelo facto de ser o sr. Zeballos da delegação argentina, como ainda pelo desacato ao nosso pavilhão em Rosário de Santa Fé. Mas nem uma nem outra é razão ponderável: para não referir-nos senão ao sr. Zeballos(…) O Brasil não aspira a conquista pela força a hegemonia na America do Sul. Se a tiver algum dia (e tudo leva a crer que aterá) não será isso senão por conseqüência dos factos. Já na Haya a America do Sul não teve melhor advogado, econtra as mais poderosas nações do mundo. Ora, a conferencia vae resolver assumptos de interesse para toda a America. E força é convir que o Brasil não podia assim esquivar-se a collaborar nella, pela simples razão da inimizade do sr. Zeballos e de uns poucos zeballistas. Demais, da nossa comparecencia ao congresso só nos póde advir mais influencia, tanto porque ella significa uma delicadeza bastante estimável para com os nossos vizinhos, que já tem a agradecer-nos o feriado de 25 de maio, quanto pela excellente representação que alli temos (…) (pág.3)

 

1910.06.05_Turquia_pag738

 

1910.06.05_Riachuelo_pag741

Já nos temos referido varias vezes á captivante gentileza da directoria do Sport Club Germania que tomou a iniciativa de realisar um match de foot-ball, hontem, em beneficio da suscripção nacional para a construcção do novo “Riachuelo”. A delicada homenagem da symjpathica sociedade alleman é muito significativa e exprime bem os sentimentos da colônia alleman de S.Paulo em relação ao nosso paiz. A nossa gravura representa a directoria do Sport Club Germânia, constituída pelos srs: (da direitapara a esquerda) Gustavo Behrmann, capain Walter Gerhardt, supplente; conde de Schweinitz, presidente; Arthur Kirschner, vice-presidente e Max O. Hübener, secretario.

 

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.