Sexta-feira, 30 de setembro de 1910

Estadão

30 de setembro de 2010 | 00h00

 

 

 

 

EXTERIOR :

 

SERVIÇO ESPECIAL do “ESTADO” e da Agencia Havas

 

PORTUGAL

 

A visita do marechal Hermes – Um artigo do “Diario Popular”

 

LISBOA, 20 (E.)- Commentando a visita a Lisboa do marechal Hermes da Fonseca, o “Diario Popular”, de hoje, diz convergirem para o Brasil muitas caricias, mas nenhumas são mais sinceras que as dos portuguezes, accrescentando que não é a Republica que visita a monarchia, são os povos irmãos que se avistam.

Durante os dias de permanência do marechal Hermes em Lisboa devemos illuminal- os com os lampejos do nosso civismo. Arrastar as massas para outra orientação, seria incivismo.(pág.2)

 

 

ALLEMANHA

 

Os conflictos entre os paredistas e a policia- Jornalistas inglezes atropelados e feridos

 

BERLIM, 29 (D.)- Também hontem, embora sendo mesnos graves, repetiram-se  os conflictos que se vêm dando, de alguns dias para cá, entre paredistas e soldados de policia, no bairro de Moabit.

Muito amotinados ficaram feridos. O que produziu geral indignação, porém, e está sendo objecto de censuras da parte da imprensa berlinense, foi o facto de terem sido atropelados e feridos a sabre pelos soldados de policia, além dos manifestantes, quanto jornalistas inglezes  que estavam de automóvel, assistindo aos distúrbios, no bairro de Moabit, tendo, para isso, a competente autorisação da autoridade policial.

Os correspondentes do “Daily Telegraph”, do “Times” e da Agencia Reuter, de Londres, e os de dois jornaes de Nova York foram victimas da imprudência da polica, que os tomou por organisadores da agitação.

O correspondente do “Daily Telegraph”, além de ser atropelado pelos policiaes, como os seus collegas, soffreu uma contusão.

Hontem, á meia-noite, foi restabelecida a calma; a tranqüilidade proloprolongou-se durante o resto da noite.

A acção da polícia, que, segundo se affirma, pretende monopolisar o serviço de reportagem, foi lamentável.

Durante os tumultos, os soldados de policia fizeram fogo, ininterruptamente, contra os mafestantes, não ferindo ninguém a tiro, porém. Comtudo, vinte pessoas foram transporatadas para o hospital do bairro de Moabit. (pág.2)

 

 

INGLATERRA

 

A propaganda do protestantismo no Brasil

 

LONDRES, 29 (H.)- O ministério de commercio concedeu licença para o registro da “Brasilian  Inland Mission Incorporated”, missõa industrial e religiosa em Orobó, no Estado da Bahia, dirigida pelo reverendo canadense Mc-Ewen, sob os auspícios da “American Bordo f Commissioners for Foreing Missions”.

Para essa sociedade foram adquiridos cerca de 500 hectares de terras em Orobó, na Bahia, afim  de serem exploradas.

Os lucros tirados com as explorações dessas terras serão applicados na propaganda do protestantismo no Brasil. .(pág.2)

 

 

ITALIA

 

Biographia de Chavez- os seus parentes a antepassados- Preparativos para os funeraes

 

ROMA, 20 (D.)_ Os jornaes continuam a publicar sentidas referencias ao aviador peruano Geo Chavez, victima do accidente que se deu sexta-feira ultima com o seu aeroplano quando, depois de transpor os Alpes alcançava a Victoria, em Domodossola, acompanhando-as com a sua biographia

Geo Chjavez nascera em Pariz, em 1887, filho de Manuel Gerardo Chavez e de Maria Luiza D’Atena, naturaes do Perú. O seu nascimento fora registrado na legação peruana da capital franceza. Começara os estudos no Collegie Camot, matriculando-se depois na Escola de Engenharia, onde cursou até o anno de 1908, dta em que falleceu o seu pae. Dahi em diante dedicra-se com afinco a toda a sorte de sports, tornando-se verdadeiro amador da aviação. (…)
O pranteado aviador era bisneto do almirante Giliss. (pág.2)

 

 

 

INGLATERRA

 

A morte do aviador Chavez- Manifestações de pesar

 

LONDRES, 29 (D.)- “The Standard” recebeu vários telegrammas dando conta das manifestações de pesar pela morte do aviador peruano Chavez, o primeiro  que conseguiu atravessas os Alpes em aeroplano.

Em Genebra, a sua morte foi profundamente sentida.

Os trabalhadores de brigues abandonaram o movimento durante o dia, em signal de pesar, e a bandeira do consulado do Peru’ manteve-se em meio páu.

Em Berna, um automóvel, coberto de crepe, percorre as ruas, recolhendo os donativos para asubscripção aberta, afim de se erigir um monumento aoi infortunado aviador.

O premio instituído ao aviador que atravessasse os Alpes será entregue á família do aviador Chavez.

Serão colocadas inscripções commemorativas nos brigues de Simplon. (pág.2)

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.