Quinta-feira, 22 de dezembro de 1910

Estadão

22 de dezembro de 2010 | 00h00

 

ESTADOS UNIDOS

O augmento do effectivo do exercito

WASHINGTON, 21 (D.)- A maioria dos membros do congresso dos representantes  é contra o augmento do effectivo do exercito, sendo de opinião que se deve dar o maior desenvolvimento á armada, para a defesa efficaz do canal do Panamá.

O ministro da guerra propõe a organização de um exercito de quatrocentos mil homens.

INGLATERRA

Os successos na Bahia do Rio de Janeiro

LONDRES, 21 (D.)- O “Scottsman”, referindo-se aos acontecimentos do Rio de Janeiro, diz que os successos não poderão distrair o credito conquistado pelo Brasil nos últimos tempos nas praças européas.

Cumpre, porém, que o governo tome precauções para evitar que a esquadra, adquirida com grandes sacrifícios da nação, fique inutilizada pela indisciplina da sua guarnição.

Pensa que a segunda revolta foi a conseqüência da amnistia concedida aos marinheiros do “Minas” e “S.Paulo”; e espera que o governo brasileiro tenha aproveitado a lição, mostrando-se de futuro mais severo com os perturbadores da ordem. 

FRANÇA

A situação no Brasil- Commentarios do “Gil Blas”

PARIZ, 21 (D.)- O “Gil Blas”, commentando as noticias hontem chegadas sobre a situação no Brasil, diz que as manifestações de descontentamento dos officiaes do exercito e da armada pela decretação da amnistia tornam inoportuna a introducção de officiaes estrangeiros para a instrucção militar naval.

Considera aquelle jornal que os officiaes brasileiros se sentiram humilhados com a medida da amnistia tomada pelo congresso, julgando que lhe fez perder o prestigio que tinham sobre os soldados.

Parecendo-lhes aquelles ellementos são incapazes de contribuir para revoluções, pensa que os officiaes brasileiros devem abster-se francamente de qualquer demonstracção, esperando que seja regulada a situação.

COISAS DA SCIENCIA

A defesa dos Estados Unidos contra o trachoma(…)

A luta emprehendida pelo governo americano contra o trachoma, conjunctivo granulosa ou ophtalmia do Egypto, uma molestia que determina muitas vezes a cegueira, é, na opinião do dr. Clere, um modelo do que póde a vontade firme para assegurar o bem publico.

O trachoma, que se contrae em qualquer edade e ao qual são mais sujeitos os indivíduos de temperamento lympathico, só se cura se o tratamento for instituído muito cedo: 75 por cento dos casos de indivíduos não tratados acabam cegos.

As autoridades americanas não se limitam a rejeitar todos os immigrantes trachomatosos na occasião da chegada, por terra ou por mar, ao território americano. Ellas obrigam as companhias de navegação a submetter os passageiros a rigoroso exame antes do embarque e a excluir os que estiverem acomettidos de certas moléstias contagiososa, entre as quaes figura o trachoma.

Se por acaso um caso averiguado desta ultima moléstia chegar aos portos americanos, a companhia pagará uma multa de 100 dollares e repatriará o passageiro a sua custa. (…)

Esta legislação americana começou a vigorar em 1907. Antes della a porcentagem do trachoma era de 4 por cento sobre 500.000 moletias contagiosas dos olhos. No fim de 2 annos a porcentagem tinha baixado a 2 por cento ou á metade, e já se encara como provável a extirpação definitiva dos focos actualmente existentes no território dos Estados Unidos, graças ás precauções tomadas para combater a enfermidade. (…)

LICÇÃO DOS FACTOS

O sr. Cincinato Braga pronunciou quarta-feira na Camara dos Deputados um discurso sobre o nosso problema monetário, verdadeiramente notável, pela força da dialética, pelo brilho da exposição, pelo conjunto esmagador de dados estatos, accumulados com methodo excepcional, através obstáculos sem numero.

Nesse denate sobre a Caica de Conversão não sabemos de trabalho que exceda em poder persuasivo, em fulgor de argumentação, em riqueza de provas, a oração do illustre deputado paulista, a quem enviamos os nossos calorosos parabéns. Impresso em folheto, devia ser distribuído largamente, de graça, como a mais completa e convincente das demonstrações que se  têm apresentado, dos benefícios do apparelho conversor, cuja queda se pretende sob falso pretexto da natural melhoria de cambio, em benefício das classes desprovidas da fortuna.

O digno representante de S.Paulo, com a sua palavra erudita e clara, imgregnada de bom senso, fascinou os que o ouviram e os que o leram. Os mais leigos nessa matéria comprehendem-no, taes são a simplicidade, a concisão, o rigor dos seus raciocínios, apoiados em factos irrecusáveis e em cifras  inilludíveis. (…)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.