Domingo, 15 de janeiro de 1911

Estadão

15 de janeiro de 2011 | 00h00

O NOVO APPARELHO DE FARMANO famoso aviador Henry Farman acaba de introduzir varias modificações no seu apparelho, cujo ultimo modelo era exactamente o que nos apresentou aqui o aviador Ruggerone. No novo apparelho, a superfície inferior, em vez de ser plana, forma um V muito aberto. O piloto fica protegido por uma grande tolda de alumínio.

Alem disso o aviador terá quase completa liberdade de movimentos, pois um novo dispositivo permitte manter o “controle” do apparelho, apenas com auxilio dos joelhos.

Para os que conhecem Framan diz um chronista sportivo, tal modificação tem uma importância colossal:o celebre aviador não será obrigado a abandonar o cigarro que, em terra, sempre lhe está preso aos lábios.

 

 

 

 

 

Na primeira parte da estampa, da esquerda para a direita, Farman enche o reservatório que pode conter gasolina para um vôo de 12 horas;na segunda, Farman acaricia, ao collo, seu cão favorito Gnôme que o acompanha nas suas viagens; na terceira Farman, para sua maior segurança monta o seu apparelho com as suas próprias mãos.

 

 

 

 

 

 

INGLATERRA

A guerra civil em Portugal?- As declarações de um confidente de d.Manuel

LONDRES, 14 (H.)- O “Daily Mail” publica um telegramma relatando a entrevista que seu correspondente teve com um confidente de d. Manuel de Bragança, um dos pretendentes ao throno de Portugal.

O entrevistado declarou “que os miguelistas julgam ser inevitavel uma próxima crise em Portugal e elles procederão de accordo com as conveniências do momento. D. Miguel está prompto a agir, embora repugne a Idea de guerra civil, que será inevitável, assim como o derramamento de sangue, na hypothese dos republicanos quererem resistir.”

A industria de automóveis nos Estados Unidos

Em uma revista norte-americana lemos sobre este assumpto um artigo que vamos resumir.

Nenhum ramo da industria tem tido nos Estados Unidos um desenvolvimento tão prodigiosamente rápido como o dos automóveis. Basta dizer que as primeiras tentativas dos constructores mecânicos norte-americanos para construir uma machina que percorressse sem “panne” alguns kilometros, datam de cerca de dez annos atraz;- e entretanto durante o anno findo os Estados Unidos tiveram uma produção de automóveis e accessorios que se elevou ao valor de mais de cinco bilhões de francos.

Foi somente por volta de 1905 que a industria de automóveis conseguiu uma importância notável.

As seguintes cifras mostram bem o enorme progresso que essa industria fez nos últimos cinco annos: em 1905 havia nos Estados Unidos 101 fabricas de automóveis, o pessoal das fabricas era de 15.000 pessoas, os agentes de venda 800, os empregados desses agentes 2.000, o pessoal das industrias correlativas 60.000, e foi de 28.000 o numero dos automóveis fabricados, reperesentando um valor de 290 milhões de francos. Pois em 1910 a estatística dá as cifras seguintes: 280 fabricantes de automóveis e 185 mil automóveis fabricados, no valor de um bilhão e trezentos milhões de francos. Além disso, o pessoal das fabricas subiu a 140 mil, os agentes de venda 7.600 com 38 mil empregados, e 1.500 mil o numero do pessoal das industrias que fornecem accessorios para automóveis. Sommando os algarismos que representam o pessoal das fabricas de automóveis e o das industrias correlativas com os agentes de venda e os seus empregados acharemos que no Estados Unidos há 1.685.600 indivíduos que tiram lucros do commercio de automóveis.

Suppondo agora que cada um desses indivíduos sustenta em media outras três pessoas (mulher e filhos), chegaremos á conclusão de que a industria dos automóveis nos Estados Unidos fornece directa ou indirectamente os meios de sustentar a 6.742.800 pessoas-numero muito maior que o da população de Nova York, a maior cidade da America.

(…)Os constructores norte-americanos já podem rivalizar com os europeus na construcção do automóvel de luxo, do valor de 15 a 30 mil francos. Dizem mesmo alguns competentes que o automóvel de luxo norte-americano é, sob muitos aspectos, superior ao europeu de preço correspondente.

Onde, porém, a industria norte-americana goza de uma incontestável superioridade sobre a européa, é na construcção dos automóveis baratos, de 5 a 10 mil francos. Pode-se dizer que esse typo de automóveis constitue uma especialidade norte-americana.

Essa superioridade da industria norte-americana na producção de automóveis de baixo preço é em grande parte devida ao largo uso dos machinismos mais recentes e aperfeiçoados, á qual permitte a producção de um grande numero de exemplares do mesmo typo e portanto uma grande economia no custo das matérias primas e da mão de obra.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.