Terça-feira, 24 de janeiro de 1911

Estadão

24 de janeiro de 2011 | 00h00

 

ITALIA

O banditismo na Sicilia- O seqüestro do joven Gonco- Cem mil liras de resgate

ROMA, 23 (D.)- Informam de Marsala que a policia não logrou descobrir o paradeiro dos bandidos, que se sabe serem em numero de quatro, que seqüestraram pela terceira vez o jovem Gonco, exigindo para o seu resgate trinta mil liras.

Consta que para livral-o dos dois seqüestros anteriores a família Gonco teve que pagar aos bandidos cem mil liras.

A imprensa sicilliana reclama do governo enérgicas medidas para estirpar o banditismo da Sicilia.

 

NOTAS E INFORMAÇÕES

*Continua a ter toda a opportunidade os seguintes commentarios do “jornal do commercio”, edição da tarde, de 17 do corrente: “Pelo ministro da fazenda tem  sido expedidos, de algumas semanas a esta parte, successivos actos de exoneração de collectores e escrivães do serviço fiscal da União.

É conveniente pedir a attenção do governo para o decreto n. 4.059, de junho de 1901 e instrucções de outubro do mesmo anno, que regulam a matéria. Foi assegurado, no at. 33 dessas instrucções que “esses serventuários não poderão ser demittidos depois de afianlados senão por falta de exacção no cumprimento de seus deveres, ou em conseqüência de actos que moralmente os incompatibilisem para continuar no exercício.”

De tal maneira, se essas exonerações não tiverem por base um processo em que esteja regularmente apurada a “falta de exacção no cumprimento do dever”, os exactores exonerados irão ao poder judiciário reclamar contra a violência e obterão fatalmente sentenças condemnatorias da União, e ficar-se-á com uma legião de collectores e escrivães recebendo porcentagens sem prestação de serviços. E’ incontestavelmente um ônus pesado para os cofres federaes e que pode ser facilmente evitado. Se o governo quer ter a livre nomeação e demissão dos exacrores, reforme primeiramente a disposição do art. 33 das citadas instrucções. Na vigência della é um erro deliberar a demissão sem a apuração da condição nella determinada. Um erro e uma immoralidade.

Não acreditamos que o sr. Ministro da fazenda queira adoptar, em relação aos funcionários do fisco o mesmo critério que tem sido seguido para exonerações da guarda nacional. As derrubadas políticas não aproveitam nada aos interesses do Thesouro e só servem para trazer maiores embaraços à administração.

O funcionalismo público no Brasil vai-se tornando um complemento das obrigações partidárias; e como as conveniências, neste particular, mudam de quando em quando, segue-se que não há estabilidade do pessoal e consequentemente o sérvio soffre. E’ assim nos correios, nos telegraphos, em tudo. E é assim, porque nós não temos senão uma preocupação; a damninha política, que constitue a origem de todos os males que nos affligem e representa a inimiga peor dos interesses da administração publica. “

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.