Comédia em pé

danielpiza

03 de fevereiro de 2009 | 15h04

De uns anos para cá a comédia “stand up” deslanchou no Brasil. Uma tradição americana se enraizou e se adaptou ao estilo de humor brasileiro e já tem até site para divulgá-la e local e horários fixos como o Clube da Comédia. A comédia “em pé” é difícil justamente porque o texto é o suporte fundamental; a emissão é econômica, depende mais do “timing” do que dos trejeitos. Pode-se dizer que Jô Soares e sobretudo Chico Anysio já a praticavam, mas eles trabalhavam quase sempre com personagens e à base de bordões. Curiosamente, com o fim dos programas desse estilo, com exceção de Zorra Total e outros que mal raspam seu alcance, uma geração de comediantes influenciados pela escola americana surgiu no teatro e ali se consolidou, com forte ajuda da internet. Espetáculos como Terça Insana e Nós na Fita duram anos em cartaz. Aos poucos eles chegam também à TV: o programa CQC traz um dos melhores, Rafinha Bastos, e a MTV fixou Marcelo Adnet. Entre as mulheres, um destaque é Marcela Leal, que faz o que o gênero pede, a satirização dos tipos e das manias do cotidiano moderno:

[kml_flashembed movie=”http://www.youtube.com/v/YEv_LmE9JQQ” width=”425″ height=”344″ wmode=”transparent” /]