Manifestação no Rio tem confronto e ao menos 20 detidos; acompanhe os protestos do “Dia Nacional de Lutas” pelo País

Felipe Tau

11 de julho de 2013 | 20h43

 

Tropa protege o Palácio Guanabara. sede do governo do Rio. Foto: Marcos de Paula/Estadão

As greves e manifestações que ocorrem nesta quinta-feira, 11, nas principais cidades do País, dentro do movimento que está sendo chamado de “Dia Nacional de Lutas”, atingem sobretudo os setores metalúrgico, portuário, petroleiro e bancário. No Rio de Janeiro, o ato começou pacífico, mas depois de uma série de hostilidades entre sindicalistas e grupos de mascarados, houve confronto entre os próprios manifestantes e com a polícia. Bombas de gás foram lançadas e ao menos 20 pessoas foram detidas, entre elas oito adolescentes.

No fim da manhã desta quinta, o secretário-geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves, Juruna, reconheceu que a ausência de categorias de peso, como motoristas de ônibus e metroviários, que não pararam suas atividades na capital paulistana, enfraqueceu o movimento.

A greve foi convocada pelas principais centrais sindicais do Brasil (CUT, Força Sindical, CTB, CGTB, UGT e Conlutas, além do Movimento dos Sem-Terra). A centrais sindicais acertaram ontem que a presidente Dilma Rousseff deverá ser poupada de críticas ácidas em palanque unificado na Avenida Paulista.

Foi afetado pelos protestos? Mande seu relato, foto ou vídeo para o Estadão pela hashtag#participeestadao.

ACOMPANHE:

22h48 RIO – A polícia entrou há pouco na Casa de Saúde Pinheiro Machado, em frente ao Palácio Guanabara, para retirar manifestantes que se escondiam lá dentro. Uma porta de vidro foi destruída na confusão. Muito nervosa, uma médica, de máscara cirúrgica no rosto, foi até o saguão e pediu para que os manifestantes se retirassem. “Vamos respeitar. Tem um monte de paciente grave, lúcido. Por favor, colaborem”.
A polícia usou o caminhão de jato d’água para dispersar as pessoas que estão em frente ao Guanabara. A Rua Paissandu, nas proximidades do palácio, foi depredada: carros, uma banca de jornal e latas de lixo foram destruídas. Os manifestantes colocaram fogo no lixo.

22h46RIO – O governador Sérgio Cabral disse, em nota, que o “vandalismo não será tolerado”. “Grupos que vão para as ruas com o objetivo claro de gerar o pânico e destruir o patrimônio público e privado tentam se aproveitar das recentes manifestações legítimas de milhares de jovens desejosos de participar e aperfeiçoar a democracia conquistada com muita luta pelo povo brasileiro”, afirmou Cabral, segundo nota divulgada pela assessoria de Imprensa do governo.

22h09 RIO – Um grupo que participou da passeata do centro chegou há pouco ao Palácio Guanabara. A Rua Pinheiro Machado voltou a ser fechada pelos manifestantes. A polícia tenta dispersar o grupo com bombas de gás e tiros de bala de borracha.

22h03 RIO – A Polícia Militar do Rio informou que dois carros foram queimados na Avenida Chile, região central da cidade.

21h39 – De acordo com a Ecovias, manifestantes liberaram o Viaduto 31 de Março, na altura do km 60 , da Rodovia Anchieta.

21h23EMBU DAS ARTES Duas pessoas foram atropeladas por um carro que tentou furar o bloqueio de manifestantes, na noite desta quinta-feira na rodovia Régis Bittencourt (BR-116), em Embu das Artes. Um dos manifestantes ficou ferido, o outro saiu apenas com arranhões, segundo a Polícia Rodoviária Federal. Os manifestantes bloquearam as duas pistas da rodovia, queimando paus e pneus sobre a pista. O acidente aconteceu numa via marginal da rodovia, onde estava concentrada uma parte dos manifestantes. (José Maria Tomazela)

21h17RIO – Um manifestante ferido teria sido socorrido há pouco na Casa de Saúde Pinheiro Machado, em frente ao Palácio Guanabara. Segundo as primeiras informações, o rapaz, ferido na cabeça por um tiro de bala de borracha, está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Há muita gente na porta da clínica e o cheiro de gás é muito forte. A polícia liberou há pouco uma das pistas da Rua Pinheiro Machado, mas alguns manifestantes ainda interditam o tráfego da outra pista.

21h15 – Viaduto 31 de Março, na altura do km 60 da Rodovia Anchieta, em Cubatão, é bloqueado nos dois sentidos por grupo em protesto. Segundo a concessionária Ecovias, interdição está próxima ao bairro Casqueiro e ainda não há reflexo no tráfego. Mais informações no Blog do Trânsito.

21h05RIO – A Polícia Militar informou que subiu para 20 o número de detidos no ato realizado no Centro do Rio por centrais sindicais – são 12 adultos e oito adolescentes. Também foi apreendida uma caixa de papelão com coquetéis molotov.

20h56 RIO – Manifestantes dispersados pela PM em frente ao Palácio Guanabara tentaram se refugiar na Casa de Saúde Pinheiro Machado, em frente à sede do governo. Há forte cheiro de gás na unidade de saúde. (Fábio Grellet)

20h53SÃO PAULO – Depois de manifestação, Avenida Paulista é liberada nos dois sentidos, na altura da Rua Pamplona.

20h35 – SÃO PAULO – Tráfego é liberado na Rodovia Régis Bittencourt, nos dois sentidos, na altura do Rodoanel, na altura do km 279. Na região de Embu das Artes, ainda há reflexo de lentidão por causa do protesto que bloqueou a rodovia por quase duas horas. Ponto de retenção está entre o km 284 e o km 279, no sentido São Paulo, e entre o km 278 e o km 279, no sentido Curitiba. As equipes da concessionária seguem monitorando a rodovia.

20h32 – RIO – Um PM ferido na cabeça e pelo menos três manifestantes intoxicados por gás foram atendidos por médicos voluntários. A polícia deteve dez pessoas e apreendeu dois adolescentes.

20h31RIO – Manifestantes jogaram rojões contra a barreira policial que cerca o Palácio Guanabara. Polícia reagiu com bombas de efeito moral e gás. Sacos de lixo foram incendiados na Rua Pinheiro Machado. Os manifestantes tentam se reagrupar, mas são impedidos pela polícia. (Fábio Grellet) 

20h18 – RIO – A Tropa de Choque da PM impede a circulação de carros e de pessoas na rua do Palácio Guanabara e avança em direção a um grupo de manifestantes para dispersá-los.

20h13– RIO – Cerca de 200 manifestantes que estavam na Avenida Rio Branco decidiram continuar em passeata em direção ao Palácio Guanabara. Para dispersar o grupo, policiais começaram a lançar bombas de efeito moral. Os manifestantes atacaram rojões na direção da PM. O clima é tenso no local. (Heloisa Aruth Sturm)

19h43 – RIO – Policiais militares do Batalhão de Choque chegaram há pouco à Cinelândia, no centro do Rio, onde se concentram nas escadarias do palácio da Câmara dos Vereadores cerca de 200 pessoas que participaram da manifestação que saiu no fim da tarde da Igreja da Candelária. Os PMs mobilizaram dois veículos blindados, conhecidos como Caveirões, além de um caminhão-tanque de água. Quando os policiais chegaram, os manifestantes começaram a gritar “sem violência, sem covardia”. Mais cedo, houve confronto e a polícia atirou bombas de gás. (Heloisa Aruth Sturm)

Foto: Marcos Arcoverde/Estadão

 

19h41 – Manifestação interdita pista na Avenida Paulista, no sentido Consolação, junto à Rua Pamplona, na altura da Bela Vista.

19h27 – Manifestação interdita os dois sentidos da pista expressa do Rodoanel Mário Covas, na altura de Embu das Artes, entre o km 26 e km 29. Grupo bloqueia acesso à Rodovia Régis Bittencourt, mas motoristas conseguem chegar às vias Anchieta e Bandeirantes. Veja mais no Blog do Trânsito.

19h18 – RIO – A polícia faz uma ronda no centro do Rio para coibir atos de vandalismo. Um caminhão pipa é usado na operação, caso seja necessária a dispersão com jatos de água. Pequenos grupos correm quando os policiais se aproximam.

19h03 – SÃO PAULO –  Protesto ocupa uma faixa na Avenida Chucri Zaidan, sentido Morumbi, próximo à Rua Baltazar Fernandes. (Victor Vieira)

19h00 – Manifestação restringe o tráfego nos dois sentidos da Rodovia Régis Bittencourt, no acesso ao Rodoanel, altura do km 279, em Embu das Artes.  Grupo fechou a pista com barricadas de pneus em chamas.

18h56 – RIO – Manifestantes chegaram há pouco ao Palácio Guanabara. O prédio está cercado por alambrado e por policiais do Choque. Alguns manifestantes soltaram fogos. Um homem leva um helicóptero de plástico, de onde sai uma faixa com a faixa “Fora Cabral”. O grupo discute a possibilidade de acampar em frente ao palácio. (Fábio Grellet)

18h50 – RIO – Um grupo de manifestantes que acompanha a marcha sindical usa máscaras e mantém clima de animosidade com os sindicalistas e com a polícia. Alguns deles se intitulam Black Blocs, vertente anarquista que prega a depredação como forma de dar visibilidade a suas causas:

18h45– RIO – Policiais militares fizeram um cordão de isolamento na Avenida Rio Branco, no centro, para isolar o grupo de manifestantes que iniciou há pouco um confronto com sindicalistas perto daCinelândia e se refugiaram na Avenida Chile, onde fizeram duas barricadas com fogo.

Os PMs disparam bombas de efeito moral contra os ativistas e se preparam para investir contra eles. A confusão começou quando o primeiro carro  de som chegava ao Theatro Municipal e tocava o Hino Nacional. Sindicalistas pediam que o público, que até então seguia pacificamente pela Rio Branco, “não aceitasse provocações”, mas de repente começou um confronto de participantes da manifestação com um grupo de jovens mascarados(Wilson Tosta)

18h40 –  SÃO PAULO – Manifestação prejudica tráfego de veículos na Rodovia Régis Bittencourt, perto do acesso ao Rodoanel, nos dois sentidos.  Manifestantes montaram barricadas ateando fogo em pneus. A situação é tensa e a PM negocia para desbloquear a via. Cerca de 500 pessoas estão no local, segundo a Polícia Militar. Acompanhe a situação nas estradas.

18h37– RI O – Policiais usam armas taser (de choque) para controlar manifestantes que estão na Avenida Almirante Barroso. (Antonio Pita e Heloisa Aruth Sturm)

18h33 – O confronto entre manifestantes e policiais se concentra na Avenida Almirante Barroso, em frente à Caixa Cultural. Manifestantes fizeram barricadas com lixo e atearam fogo. Há muita correria.(Antonio Pita e Heloisa Aruth Sturm)

18h29 – RIO –  Houve novo confronto entre black blocs e sindicalistas próximo à esquina da Rio Branco com Almirante Barroso. Alguns manifestantes jogaram fogos de artifício e jogaram lixo na rua. A polícia dispersou a confusão com bombas de efeito moral. Várias pessoas correm pelas ruas.(Antonio Pita)

18h15– RIO – Cerca de 300 manifestantes acabaram de sair do Largo do Machado, na zona sul do Rio, rumo ao Palácio Guanabara, sede do governo do Estado. Aos gritos de “Fora Cabral”, e “Fora Renan”, eles cogitaram seguir para o Palácio Laranjeiras, residência oficial, que não é ocupada pelo governador, para tentar frustrar o esquema de segurança organizado pela PM.

No entanto, a maioria insistiu em seguir para o Guanabara. Eles interromperam o trânsito na Rua das Laranjeiras, por onde seguem. O grupo que lidera a passeata carrega uma faixa com a frase “Somos a Rede Social”, em referência à forma como se reuniram pela internet. (Fábio Grellet)

18h09 – BRASÍLIA –  Manifestação no gramado do Congresso Nacional é encerrada de forma pacífica. Dezenas de barracas, porém,  continuam instaladas no terreno.

18h06 – SÃO PAULO – Segundo a CET, Avenida do Ipiranga foi liberada após manifestação junto à Praça da República.

Cerca de 500 manifestantes do MTST que saíram de Embu, no entanto, pretendem seguir pela Rodovia Régis Bittencourt e interditar o Rodoanel Mário Covas, segundo a PM.Acompanhe a situação do trânsito na capital e nas estradas paulistas.

18h00 – RIO –  Apesar de um pequeno foco de confronto e do uso de bombas de gás mais cedo, quando um homem foi detido sem identidade, a manifestação corre de maneira pacífica no Rio.

Tropa de Choque acompanha manifestação sindical no Rio. Foto: Wilton Júnior/Estadão

17h48 – RIO – Manifestação de centrais sindicais na Avenida Rio Branco reúne 10 mil pessoas, segundo a Polícia Militar. A passeata segue para a Cinelândia.

17h46 – GUARUJÁ –  Cerca de 50 estivadoresinvadiram na tarde desta quinta-feira (11) um navio que estava atracado no terminal da Empresa Brasileira de Terminais Portuários (Embraport), na margem esquerda do Porto de Santos. Os trabalhadores avulsos, que se encontram no interior do navio Maersk La Paz, de bandeira de Hong Kong, afirmaram que só deixam a embarcação se houver acordo entre a Embraport para contratação dos estivadores por intermédio do Órgão Gestor de Mão de Obra (Ogmo).(Zuleide de Barros)

17h45– RIO – Houve novo enfrentamento entre manifestantes e anarquistas com rosto coberto (osblack blocs). Militantes com camisetas da CTB e do PCdoB tentaram impedir a passagem e expulsar um grupo de manifestantes anarquistas, que reagiram com gritos de “moralistas”. Militantes menos exaltados negociaram que o grupo participaria afastado. Eles foram para a calçada, mas retornaram à frente da passeata. A polícia fez um cordão de isolamento entre os black blocs e os sindicalistas.(Felipe Werneck e Antonio Pita) 

17h42 – BRASÍLIA – Cerca de mil manifestantes permanecem no gramado do Congresso Nacional. Muitos estão acampados em barracas. A manifestação é pacífica e parte dos presentes começaram a deixar o local.

17h26 – SÃO PAULO –  Manifestação começa a se dispersar na Praça da República, centro da cidade.  Segundo a PM, protesto ainda reúne 500 pessoas neste momento. Com muitas pessoas em casa por conta das manifestações, o trânsito na capital está bem abaixo da média. Acompanhe a situação nas ruas e estradas de São Paulo.

17h28– RIO – O deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL), presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, acompanha a manifestação na Avenida Rio Branco. Ele comentou a presença de diferentes grupos e movimentos sociais na manifestação. “Na rua tem espaço para todo mundo. A Rio Branco é um palco histórico de muitos movimentos, e é bom ter movimentos sindicais e populares juntos nesse espaço. Os sindicatos estavam muito adormecidos por conta da relação com o governo do PT. Esses movimentos fortalecem a democracia”, afirmou.(Heloisa Aruth Sturm) 

17h25 – O prefeito Sérgio Cabral (PMDB) é um dos alvos da manifestação que percorre ruas do centro do Rio:

Passeata começou no entorno da prefeitura e segue para a Cinelândia. Foto: Marcos Arcoverde/Estadão

17h19 – RIO – Houve princípio de tumulto na Avenida Rio Branco entre manifestantes contra a violência nos protestos e um grupo de rapazes de preto e capuzes, que se intitulam black blocs – estratégia de manifestação anarquista, em que os ativistas defendem a depredação do patrimônio como forma de chamar a atenção para uma causa.

Com megafones, os manifestantes pacíficos gritavam palavras de ordem como “sem violência”, “infiltrados” e “P2, fora já daqui”, alusão ao serviço reservado da PM, que não trabalha fardado. Os black blocs reagiram aos gritos, defendendo o direito de se manifestar. Eles entraram em meio aos sindicalistas para abrir suas faixas, como provocação. Apesar da animosidade e do clima tenso, não houve luta corporal. (Antonio Pita)

17h07 – PORTO ALEGRE – O transporte intermunicipal será retomado às 21 horas em Porto Alegre, depois de ficar paralisado desde a madrugada por causa da greve geral desta quinta-feira, 11. A rodoviária volta a vender passagens às 19 horas e os ônibus começam a sair para cidades do interior duas horas depois. Durante o dia nenhum coletivo deixou o local. O Daer orientou as empresas a verificar se há bloqueios nas rotas antes de iniciar as viagens. (Elder Ogliari) Leia mais.

17h02 – SÃO PAULO – Manifestante que acompanhava a manifestação na capital paulista, encerrada às 16h50 na Praça Roosevelt, centro, defende a volta da ditadura.

Homem exibe cartaz elogiando a ditadura. Foto: Renato Vieira/Estadão

16h56 – RIO – Cerca de 200 pessoas que participavam do protesto na prefeitura caminharam em direção à Candelária e agora seguem para o Largo do Machado, onde deverão participar do atoOcupa Guanabara, em frente à sede do governo estadual. “Esse nosso protesto foi criado para dar opção às pessoas que não concordam ou não querem participar do ato na Rio Branco realizado pelas centrais sindicais”, disse a advogada Gerusa Lopes, coordenadora nacional do Dia do Basta, um movimento apartidário. Ela passou esta madrugada acampada com outras 20 pessoas em frente à prefeitura. Uma nova ocupação em frente à residência do governador Sérgio Cabral está prevista para quarta-feira, no Leblon. (Heloisa Aruth Sturm)

16h55 – São Paulo: Trânsito na Consolação é liberado nos dois sentidos (Renato Vieira)

16h54 – Rio de Janeiro: A polícia começou a jogar bombas de gás e spray de pimenta, depois de tumulto envolvendo a detenção de um manifestante suspeito de estar com maconha. A confusão começou atrás da Candelária, quando três policiais abordaram o rapaz, que fumava. O jovem resistiu à abordagem, foi derrubado e arrastado pelo chão. Advogados da OAB protestaram contra a atitude. Os policiais e o jovem foram cercados pelos outros manifestantes. O Batalhão de Choque fez um cordão de isolamento em torno dos outros policiais. Os manifestantes lançaram pedras, panfletos. Um PM foi atingido. Os policiais, então, lançaram três bombas de gás e dispersaram o grupo com spray de pimenta, lançado a curta distância. No tumulto, vidros da Igreja da Candelária foram quebrados (Antonio Pita)

16h50 – São Paulo: Manifestação na Praça Roosevelt se dispersa. Trânsito na Consolação está normal em direção à Avenida Paulista (Renato Vieira)

16h44 – Goiás: Rodovias federais que cortam a Região Centro-Oeste passando por Goiás, como as BRs 153, 060, 364 e 050, sofreram bloqueios parciais na manhã de hoje em alguns pontos. A BR 050 chegou a ficar parada por cinco horas (Marília Assunção)

16h40 – Alagoas: As três rodovias federais que cortam o estado de Alagoas – BRs 101, 104 e 423 – tiveram trechos interditados esta manhã, por trabalhadores do MST e por integrantes do Movimento Nacional de Luta pela Moradia e via do Trabalho. Pelo menos dez dos 102 municípios alagoanos registraram bloqueio de rodovias ao longo da manhã (Carlos Nealdo)

16h37 – São Paulo: Um homem foi detido agora há pouco na concentração da manifestação na Igreja da Candelária, no Rio,  porque não portava carteira de identidade, segundo advogados do Movimento Habeas Corpus. Um grupo de manifestantes tentou impedir que o carro da polícia deixasse o local. Cerca de dez advogados desse movimento, que tem o apoio da Comissão de Direitos Humanos da OAB-Rio, acompanham a manifestação no centro. Outros advogados já estão de plantão nas delegacias do Catete e Centro (Heloisa Aruth Sturm)

16h33 – São Paulo: Protesto continua na Praça Roosevelt, mas já encaminha para dispersão. Representantes do PSTU e do MST dizem que vão seguir para uma manifestação em frente à Rede Globo, na Berrini (Renato Vieira)

16h22 – Paraná: A Refinaria Getúlio Vargas (Repar), em Araucária, na região metropolitana de Curitiba, continua com as atividades paralisadas desde a zero hora de hoje. Cerca de 2,5 mil trabalhadores aderiram ao movimento, que contou posteriormente com a adesão de petroleiros e terceirizados que atuam na Fábrica de Fertilizantes (Fafen), ao lado da refinaria. Os trabalhadores da Fafen atrasaram os trabalhos em três horas (Julio Cesar Lima)

16h19 – Rio de Janeiro: Além das pautas unificadas das centrais sindicais, tais como a derrubada do Projeto de Lei 4.330/04, que prevê terceirizações no serviço público, os sindicatos também levaram à passeata promovida na tarde desta quinta-feira pela Avenida Rio Branco, no centro do Rio, pautas específicas de cada categoria. A principal demanda do sindicato dos professores do Rio (Sinpro-Rio) é a criação de uma CPI nacional para investigar aquisições das instituições privadas de ensino superior. Uma CPI estadual no Rio, concluída no início deste ano, recomendou o indiciamento de dez pessoas, entre reitores e gestores de mantenedoras, por sonegação fiscal e outros crimes. “Temos que investigar essas práticas que colocam instituições de ensino nas mãos de grupos financeiros. É inadmissível essa precarização das condições de trabalho em um setor que movimenta R$ 11 bilhões por ano só no ensino superior privado”, disse o presidente do Sinpro-Rio, Wanderley Quedo (Heloísa Aruth Sturm)

16h16 – São Paulo: Tráfego flui sem lentidão em ambos os sentidos da Rodovia Régis Bittencourt(Curitiba e São Paulo)

16h06 – São Paulo: Cerca de 8 mil trabalhadores da construção civil e parte dos 1,1 mil petroleiros da Refinaria do Planalto (Replan), em Paulínia, não entraram para trabalhar na manhã de hoje. O ato de manifestação que seria promovido pelos sindicatos das duas categorias, às 7 horas, acabou esvaziado por causa de uma decisão das empresas de ônibus de suspender o transporte. Apenas um grupo de 50 trabalhadores protestou em frente a refinaria. A paralisação, no entanto, não afeta a produção da Replan. Em nota, a Petrobrás informou que tomou as medidas necessárias para “garantir a normalidade das operações da companhia, de modo a não haver prejuízo às atividades da empresa e ao abastecimento do mercado” (Ricardo Brandt)

16h00 – São Paulo: Manifestantes chegam à Praça Roosevelt, no centro de São Paulo. Segundo representantes da CUT, esse será o ponto final do protesto (Renato Vieira)

FOTO: Renato Vieira/ESTADÃO

15h56 – Santa Catarina: A rodovia BR-101/SC está temporariamente interditada no km 116, naregião de Itajaí, em Santa Catarina, devido à manifestações.  Na pista Norte (sentido Curitiba), o tráfego está parado do km 117,5 ao km 116. Na pista Sul (sentido Palhoça), o tráfego está parado do km 114,5 ao km 116, segundo a Autopista Litoral Sul. Outros trechos estão interditados em função de obras e um acidente

15h53 – São Paulo: Terminou em confronto um protesto feito por moradores do bairro Campo Belo, em Campinas, que terão seus imóveis desapropriados pela ampliação do Aeroporto Internacional de Viracopos. Eles fecharam, por volta das 7 horas, a Rodovia Miguel Melhado Campos (SP-324), que liga o aeroporto a Vinhedo. Em outros quatro pontos houve protesto nas rodovias da região de Campinas, na manhã de hoje, no “Dia Nacional de Lutas”: Anhanguera, em Jundiaí e em Cajamar, Santos Dumont, em Campinas, e Geraldo de Barros (SP-304), em Piracicaba. Todas já foram liberadas. Leia mais (Ricardo Brandt)

15h49 – Rio de Janeiro: Centenas de manifestantes se reúnem ao redor da Igreja da Candelária, no centro do Rio, de onde deverão partir em passeata, por volta das 17 horas, rumo à Cinelândia, na mesma região. Os manifestantes usam camisetas e bandeiras da Força Sindical, CUT, PSTU, PSOL, União da Juventude Socialista, Nova Central, MST, Conlutas, União Geral dos Trabalhadores (UGT), União Estadual dos Estudantes e Assembleia Nacional dos Estudantes. Representantes da UGT, central sindical que congrega 84 sindicatos e mais de um milhão de trabalhadores no Rio, trouxeram para a passeata cem bandeiras, 600 camisetas, 600 bonés e mil lanches que serão distribuídos na praça. Sete carros de som já estão estacionados ao lado da igreja. Não há policiamento fixo no local, mas policiais circulam entre a Candelária e um trecho da avenida Rio Branco (Heloísa Aruth Sturm)

15h39 – Rio de Janeiro: Cerca de 50 pessoas, que protestavam em frente à sede administrativa daPrefeitura do Rio seguiram às 15h30 em passeata pela pista lateral sentido centro da Avenida Presidente Vargas, que não chegou a ser interditada. Eles deverão seguir até o prédio da estação ferroviária Central do Brasil. Os manifestantes carregam cartazes pedindo o fim do voto obrigatório e o impeachment do governador Sérgio Cabral (PMDB), entre outras reivindicações, como a desmilitarização da Polícia Militar. O grupo está sendo acompanhado por uma viatura da PM (Felipe Werneck)

15h36 – São Paulo: Na região da Avenida Paulista, alguns manifestantes dizem que o presidente da Força Sindical, o deputado federal Paulinho da Força (PDT-SP), já foi embora. Na linha de frente da manifestação, estão integrantes dos Partido da Causa Operária (PCO) e do Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU). Os manifestantes saíram da Avenida Paulista e seguem para a Consolação, sentido Praça Roosevelt. No sentido Paulista, o trânsito na Consolação está liberado (Renato Vieira)

Manifestantes colocam faixa na entrada do Citibank da Avenida Paulista (FOTO: Renato Vieira/ESTADÃO)

15h28 – São Paulo: Em dia de protesto, paulistano fica em casa.  CET registra, inclusive, trânsito abaixo do normal, sem ocorrências relevantes. Nas redes sociais, muitos leitores afirmam não ter ido trabalhar. Quem saiu relatou ter encontrado a cidade vazia, sem trânsito. Leia a matéria

15h10 – São Paulo: O Movimento dos Sem Terra (MST) bloqueou rodovias e liberou pedágios para veículos no interior de São Paulo. Na BR-153, Rodovia Transbrasiliana, 200 militantes do MST ocuparam a rodovia e impediram que a cobrança de pedágio na praça entre Ourinhos e Jacarezinho. Aprevisão é de que eles fiquem no local até o início da noite (Chico Siqueira)

15h00 – São Paulo: Manifestantes começam a sair da região do Masp, na Avenida Paulista. Eles caminham em direção à Consolação (Renato Vieira)

FOTO: Renato Vieira/ESTADÃO

14h59 – São Paulo: Cerca de cempessoas ocuparam na manhã desta quinta a Prefeitura de Bauru. O grupo, formado por estudantes da Universidade Estadual Paulista (Unesp) e militantes do movimento “Bauru Acordou” e do MST, promete acampar na Prefeitura até que tenham seus pedidos atendidos. Os manifestantes, que estão espalhados pelos três andares do prédio, assumiram o controle da portaria e só permitem a saída e entrada de funcionários. Segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura, eles querem conversar com o prefeito Rodrigo Agostinho (PMDB), que está voltando de São Paulo e não tem horário previsto para chegar à sede da administração municipal (Chico Siqueira)

14h51 – São Paulo: Por volta das 14h, a CET registrava 2 km de lentidão nas ruas da capital. O trânsito está concentrado na região da Avenida Paulista nas vias Bernardino/Vergueiro/Noé de Azevedo/Domingos de Moraes, sentido Centro, da Rua Dona Julia até a Rua Vergueiro.

14h43 – Pernambuco: Integrantes do MST mantêm bloqueios em duas rodovias federais que cortam Pernambuco: no km 168 da BR-423, no município de Águas Belas, no agreste, e no km 94 da BR-428, em Santa Maria da Boa Vista, no sertão. Os manifestantes queimaram pneus nos dois sentidosdas estradas (Angela Lacerda)

14h38 – São Paulo: O presidente da Força Sindical, conhecido como Paulinho da Força, discursa no carro de som das centrais sindicais em frente ao vão livre do Masp: “Não queremos mais ser enrolados pelo governo.” Segundo ele, na manhã desta sexta-feira, 12, haverá reunião entre representantes para avaliar o efeito das manifestações em todo o Brasil e não está descartada a possibilidade de novos atos serem realizados. Às 14h45 os organizadores pretendem sair em passeata em direção à praça Ramos de Azevedo (Renato Vieira)

14h25 – São Paulo: Um boneco da presidente Dilma Rousseff chamava atenção de quem passava pelo protesto das centrais sindicais na Avenida Paulista. A “Dilmá”, como foi batizada, foi trazida pelos integrantes do sindicato dos funcionários  públicos de São Paulo. Segundo Carlos Daniel, secretário-geral do Sindsef-SP, o protesto é contra a maneira como a presidente trata os servidores públicos. A categoria, no entanto, não reforça o coro de “Fora Dilma”. “Nós não queremos isso. Só estamos fazendo as nossas reivindicações”, disse (Isadora Peron)

FOTO: Isadora Peron/ESTADÃO

14h19 – São Paulo: A Polícia Militar estimou em 4 mil o número de manifestantes por volta de 13h30, na Avenida Paulista, entre a Consolação e o Paraíso. 150 policiais estão trabalhando no local(Isadora Peron)

14h15 – São Paulo: Os manifestantes já deixaram a Praça coronel Fernando Prestes, na região central de Sorocaba, no início da tarde desta quinta-feira. De acordo com os organizadores, os grupos voltam a se concentrar no local às 17 horas. As lojas na região reabriram, mas agências bancárias continuam fechadas. Na cidade, a adesão ao movimento convocado por centrais sindicais e movimentos sociais chegou a reunir cinco mil pessoas (José Maria Tomazela)

14h09 – São Paulo: Depois de seis horas de interdição, as principais rodovias que cortam a Baixada Santista foram liberadas pelos manifestantes. Por volta das 11 horas, os cerca de 70 sindicatos que organizaram a manifestação liberaram as duas pistas da Avenida Martins Fontes, na entrada de Santos. Perto do meio-dia, os sindicalistas acabaram com o bloqueio que impedia o tráfego nas duas pistas da Rodovia Cônego Domênico Rangoni e liberaram o acesso de caminhões e carretas na região. O bloqueio na divisa dos municípios de Santos e São Vicente, na praia, também foi liberado antes do meio-dia (Zuleide de Barros)

14h05 – São Paulo: Uma liminar da Justiça Federal de São Paulo proibiu o bloqueio de tráfego nas rodovias federais de São Paulo pela Força Sindical e União Geral dos Trabalhadores (UGT) durante o movimento “Greve Geral”. O pedido foi ajuizado pela Advocacia-Geral da União (AGU). Em caso de descumprimento, está previsto multa de R$ 100 mil por hora, informa a AGU, em nota divulgada nesta quinta (Ayr Aliski)

13h56 – São Paulo: Manifestantes já se dispersam em Sorocaba. Eles ocupavam a Praça Cel. Fernando Prestes na região central, no início da tarde. De acordo com os organizadores, os grupos voltam a se concentrar no local às 17 horas. As lojas que tinham baixado as portas voltaram a abrir, mas agências bancárias continuam fechadas para o público. Na cidade, a adesão ao dia da luta convocado por centrais sindicais e movimentos sociais chegou a reunir cinco mil pessoas. A Associação de Lojistas do Centro estimava queda de 80% nas vendas em razão das manifestações desta quinta-feira (José Maria Tomazela)

13h52 – São Paulo: Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo discursa na Avenida Paulista e critica o aumento das taxas de juros, que, segundo ele, prejudica o trabalhador e o País(Renato Vieira)

13h49 – Espírito Santo: Estudantes, professores e demais profissionais da educação também aderiram a manifestação que, nos últimos dias, tem se focado na questão da mobilidade urbana,com a pauta contra o pedágio na Terceira Ponte (que liga Vitória a Vila Velha) e a favor de um sistema aquaviário de transporte público (Rodolpho Paixão)

13h46 – Espírito Santo: Vitória amanheceu com ares de feriado hoje. Manifestantes de centrais sindicais e movimentos populares como MST e Via Campesina, fecharam as principais vias de acesso à Ilha de Vitória logo cedo, por volta de 5h30 da manhã e se dirigiram para o Palácio Anchieta, sede do Governo do Estado no centro da cidade. Manifestantes de cidades vizinhas, como Vila VelhaCariacica, também fecharam ruas e montaram piquetes em frente as maiores empresas de seus municípios. Desde 11 horas eles se reúnem em um ato em frente a Assembleia Legislativa do Estado.(Rodolpho Paixão)

13h43 – São Paulo: A  Polícia Militar estima que 4 mil manifestantes estejam neste momento naAvenida Paulista, entre a Consolação e o Paraíso. 150 policiais estão trabalhando na área (Isadora Peron)  

13h40 – São Paulo: O presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Ricardo Patah, afirmou que o movimento criado pelas centrais não tem por objetivo pedir a saída da presidente Dilma Rousseff. “Nós não queremos um ‘Fora, Dilma’, estamos falando em um ‘Se liga, Dilma’, porque a gente não critica a presidente e sim as políticas do governo”, afirmou Patah. Confira na matéria (Carla Araújo)

13h32 – São Paulo: Na Avenida Paulista, centrais sindicais criticam o aumento das taxas de juros e reforçam pautas do Dia Nacional de Lutas. Manifestantes devem seguir para a Praça Ramos de Azevedo por volta de 14h (Renato Vieira) 

FOTO: Renato Vieira/ESTADÃO

13h28 – Pernambuco: As vias de acesso ao complexo industrial e portuário de Suape, no município metropolitano de Ipojuca, foram liberadas no final desta manhã. Trabalhadores ligados a três centrais sindicais – CUT, UGT e Força Sindical – impediram a entrada de veículos e ônibus que transportavam funcionários de empresas da área desde as 4h30. Muita chuva e a suspensão do trabalho por empresas do complexo – se antecipando à mobilização – foram o motivo da baixa frequência de trabalhadores, segundo a Força Sindical. Não houve conflitos. “O porto foi completamente parado”, avaliou o presidente da Força Sindical, Aldo Amaral, ao considerar que o objetivo foi cumprido (Angela Lacerda)  

13h24 – Bahia: Sindicalistas e integrantes do Movimento Passe Livre se concentram na Praça do Campo Grande, em Salvador, de onde pretendem partir em uma caminhada até a Praça da Sé. Durante a tarde, deve ocorrer uma audiência pública na Câmara para deliberar sobre as reivindicações do grupo. A maior parte do comércio funciona, mas as lojas populares do centro de Salvador estão fechadas. Os bancos não funcionam. Boa parte das escolas públicas também decidiu cancelar as aulas. As universidades federais não tiveram aulas. A Refinaria Landulpho Alves (RLAM), em São Francisco do Conde, região metropolitana de Salvador, está paralisada. Também há manifestações no centro das cidades de Itabuna e Vitória da Conquista, no sul do Estado, emJuazeiro, no norte, e em Feira de Santana, segundo maior município baiano (Tiago Décimo)

13h19 – Bahia: Os bloqueios feitos por manifestantes nas rodovias em torno de Salvador foram desfeitos no fim da manhã, segundo as Polícias Rodoviárias Federal e Estadual. A BA-099, que liga a capital ao litoral norte, foi liberada. Em seguida, foram abertas as pistas da BR-324, na qual havia dois bloqueios (em Simões Filho e em Feira de Santana), da BAs 535 e da 526, que ligam Salvador ao Pólo Industrial de Camaçari, na região metropolitana, e da BR-116, também em Feira de Santana.Manifestantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), porém, interditaram quatro trechos da BR-101, no sul do Estado  (Tiago Décimo)

13h17 – São Paulo: Em Sorocaba, manifestantes fecharam as agências bancárias da região central da cidade. Guiado por carros de som da Central Única dos Trabalhadores (CUT), um grande grupo marchou pela Avenida D. Aguirre, a principal da cidade, até o centro. O trânsito foi desviado e os motoristas enfrentaram longos congestionamentos. No início da tarde, manifestantes se concentravam na Praça Cel. Fernando Prestes, em frente à catedral. A maioria das lojas fechou as portas. A segurança nos dois terminais rodoviários instalados no centro foi reforçada (José Maria Tomazela)

13h14 – São Paulo: No Guarujá, depois de seis horas de interdição, as principais rodovias que cortam a Baixada Santista foram liberadas pelos manifestantes. Perto do meio-dia, os sindicalistas acabaram com o bloqueio que impedia o tráfego nas duas pistas da Rodovia Cônego Domênico Rangoni, liberando o acesso de caminhões e carretas naquela região (Zuleide de Barros)

13h03 – São Paulo: O secretário-geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves, oJuruna, reconheceu que a ausência de categorias de peso, como motoristas de ônibus e metroviários, que não pararam suas atividades na capital paulistana, enfraqueceu o movimento.Leia a matéria (Carla Araújo)

13h01 – Rio Grande do Sul: Manifestantes liberam pelo menos nove trechos de rodovias no Rio Grande do Sul: BR-116, em Caxias do Sul, Sapucaia do Sul e Canoas; a BR-290, em Guaíba e Eldorado do Sul; e a BR-285 em São Borja (Elder Ogliari)

12h59 – Minas Gerais: Além da Prefeitura de Belo Horizonte, os manifestantes planejam seguir em passeata até outros símbolos dos poderes, como a Assembleia Legislativa e a sede do Banco Central em Minas. O prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB), não estava na sede do Executivo municipal. Segundo agenda divulgada pela assessoria da prefeitura, o socialista passou a manhã e início da tarde em reuniões com representantes do governo federal em Brasília (Marcelo Portela)

12h56 – Minas Gerais: Manifestantes ocupam no início da tarde a porta da Prefeitura de Belo Horizonte. Segundo estimativa da Polícia Militar, cerca de 4 mil pessoas participam do protesto na capital mineira. O número é bem menor que as 30 mil pessoas que as entidades sindicais responsáveis pela organização do ato esperavam, mas foi suficiente para interditar a avenida Afonso Pena, a principal artéria do Centro da cidade. Na região, agências bancárias não funcionaram e apenas parte do comércio abriu as portas. O maior transtorno para os moradores, porém, foi causado pela paralisação do metrô e de três das principais estações de ônibus, que fazem a ligação entre linhas que percorrem bairros e as que levam ao Centro da capital (Marcelo Portela)

12h47 – São Paulo: Augusto Roque (foto abaixo), estudante de Direito da FMU e morador no Jardim Hebron, na zona norte da capital, diz que vai receber no final da tarde R$ 50 na sede da Força Sindical. Como ele, outros dezenas de manifestantes no Masp dizem ter a promessa de receber R$ 50 do sindicato de Paulinho da Força. Representantes da CUT e do Conlutas criticam a ‘terceirização’ dos manifestantes (Diego Zanchetta)

FOTO: Diego Zanchetta/ESTADÃO

12h40 – São Paulo: Manifestantes continuam na Avenida Paulista e prometem seguir para a PraçaRamos de Azevedo às 14h. Sindicalistas, motoboys, representantes dos aposentados, comerciários e associações estão na região (Renato Vieira) 

12h33 – São Paulo: Sindicalistas da Força Sindical que saíram do Brás chegam na Avenida Paulista. Eles encontraram outro grupo no Bom Retiro e seguiram pela República até alcançar a principal via da cidade, ponto de encontro dos protestos. Na frente do Masp, outro grupo com balões da CUT, da UGT e da Força estão concentrados. A Avenida Paulista, nesse ponto, está totalmente bloqueada, mas na altura da Rua Augusta carros e ônibus ainda tentavam trafegar (Isadora Peron)

12h28 – Pernambuco: As vias de acesso ao complexo industrial e portuário de Suape, no município metropolitano de Ipojuca, continuam bloqueadas por pequenos grupos das centrais sindicais, mas a maioria dos trabalhadores começou a deixar a manifestação antes das 10 horas, após a realização de uma assembleia com a participação de 350 pessoas, de acordo com a Polícia Militar. Cerca de 75 mil pessoas trabalham no local. Segundo a Força Sindical, a chuva e a suspensão dos trabalhos por parte das empresas do complexo explicam o pequeno número de manifestantes.

12h16 – São Paulo: presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Vagner Freitas, disse que há três pontos principais entre as várias bandeiras levantadas pelos cerca de 2 mil metalúrgicos do ABC que fizeram passeata nesta quinta-feira: a redução da jornada de trabalho para 40 horas (sem redução do salário), o fim do fator previdenciário e a retirada do Projeto de Lei 4.330 de pauta. “Que fique claro para o Congresso que a pauta dos trabalhadores precisa ser votada”, disse. O PL 4,330, de autoria do deputado Sandro Mabel (PMDB/GO), amplia as permissões para terceirização dentro das companhias. Durante o protesto, o nome do deputado foi mencionado várias vezes. (Nayara Fraga)

12h08 – São Paulo: Cerca de 50 pessoas se reuniram no fim da manhã no canteiro central da Rua Enéas de Carvalho, na frente da Secretaria de Estado da Saúde, no entorno do complexo do Hospital das Clínicas. O ato, pequeno, não prejudica o acesso dos pacientes ao HC nem o trânsito da região. Eles pedem o cumprimento do acordo que levou ao fim da greve dos trabalhadores da saúde do Estado após 47 dias, em 17 de junho. Na ocasião, o governo concordou em regulamentar a jornada de 30 horas – projeto que já foi enviado para a Assembleia Legislativa. Mas falta, segundo sindicalistas do Sindsaude-SP, um projeto de gratificação, que vai complementar a renda. Depois do ato, eles devem se juntar aos demais manifestantes na avenida paulista (Giovana Girardi)

12h06 – São Paulo: Cerca de mil motoboys chegam à Avenida Paulista. Eles ocupam as quatro faixas da pista sentido Consolação. Como seguem em baixa velocidade, muitos motoqueiros desceram das motos e seguem o carro de som a pé, empurrando as motocicletas e apertando as buzinas (Tiago Dantas)

12h03 – São Paulo: Manifestação em Guarulhos está terminando. A Rodovia Presidente Dutra está sendo liberada no sentido Rio (Luciano Bottini)

12h01 – São Paulo: Avenida Paulista fechada nos dois sentidos na altura do Masp. (Renato Vieira)

11h50 – São Paulo: Motociclistas fazem buzinaço na Avenida Paulista sentido Paraíso, na altura do Masp. No vão livre do Masp continua concentração das centrais sindicais (Renato Vieira)

FOTO: Renato Vieira/ESTADÃO

11h48 – São Paulo: O trânsito na Avenida 23 de Maio foi totalmente liberado por volta de 11h40. Os motoboys, que seguiam sentido centro, pegaram o acesso para a Rua Estela. A manifestação seguirá por Rua Vergueiro, Avenida Bernardino de Campos e Paulista. Os motoqueiros pedem abrandamento da multa por andar com viseira levantada, criação de motofaixas e bolsões de estacionamento (Tiago Dantas)

11h40 – Amazonas: Em Manaus, manifestantes fecham avenidas e professores vão às ruas. Leia a matéria.

11h38 – São Paulo: Em Taubaté, carros de som circulam pela cidade convocando a população para uma manifestação em frente ao fórum da cidade hoje ao meio-dia. Como trilha musical para a convocação, o carro toca a música “Vem pra rua”, do grupo O Rappa, jingle produzido para uma montadora de automóveis durante a Copa das Confederações e que virou tema para as manifestações em todo o País no mês passado. (Gerson Monteiro) 

11h33 – Mato Grosso: Em Cuiabá, professores da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) aderiram à greve geral. Eles realizam diversas atividades culturais na sede da associação dos docentes da universidade dentro do campus.  Às 16 horas, prometem seguir em ônibus para o ato convocado com concentração na Praça 8 de Abril, região central de Cuiabá. Além da pauta nacional, eles reivindicam mudanças na carga horária e fim do projeto de privatização dos hospitais universitários (Fátima Lessa)

11h25 – São Paulo: Protesto de motoboys passa pela pista sentido centro da Avenida 23 de Maio, próximo ao complexo João Jorge Saad. A essa altura, a manifestação já tem mais de mil motoqueiros, segundo policiais que acompanham o trajeto (Tiago Dantas)

11h19 – São Paulo: Termina manifestação conduzida pelos metalúrgicos do ABC no Paço Municipal, em São Bernardo Campo. Parte do grupo segue em direção à Avenida Paulista, em São Paulo, em 10 ônibus. (Nayara Fraga)

11h10 – São Paulo: Cerca de 200 manifestantes ligados ao Movimento Sem Terra (MST) e à Central Única dos Trabalhadores (CUT) bloquearam a Rodovia Transbrasiliana, BR-153, km 150, em Promissão, interior de São Paulo. O congestionamento chega a 3 km, segundo a Polícia Rodoviária. A rodovia, que atravessa o Estado, é uma das principais ligações do Centro-Oeste com a Região Sul do País (Chico Siqueira)

10h55- São Paulo: Vídeo registra os integrantes do MPL apoiando os protestos em São Bernardo do Campo (Ricardo Chapola):

10h50- São Paulo: Cerca de 2 mil manifestantes que ocupam a  pista Marginal da Presidente Dutra, no km 124, sentido São Paulo, devem seguir em direção à Rodovia Fernão Dias (Luciano Bottini)

10h46- São Paulo: O MPL decidiu apoiar o ato em São Bernardo justamente pela sua agenda atrelada à questão dos transportes. Em São Paulo, o movimento encabeçou a onda de protestos do mês passado mobilizada depois do anúncio do aumento da tarifa do transporte público. As manifestações forçaram o poder público a recuar da decisão. “Somos referência de um modelo”, disse Pedro Punk, integrante do MPL de SP (Ricardo Chapola)

10h45- Rio Grande do Sul: Capital gaúcha também foi afetada pelos protestos de hoje, confira a matéria

10h42- São Paulo: Sindicalistas se aglomeram próximo à Marginal Pinheiros na manhã desta quinta-feira

FOTO: Clarice Cudischevitch/ESTADÃO

10h40- São Paulo: Um grupo de pessoas ligadas ao Movimento Passe Livre (MPL) está reunido em frente ao Paço Municipal de São Bernardo do Campo, para dar início a um ato de apoio ao protesto organizado por sindicalistas do setor de transportes da região. Às 11h, os manifestantes vão iniciar a marcha rumo ao Consórcio Intermunicipal, uma espécie centro de discussões políticas da região metropolitana, localizado em São Bernardo (Ricardo Chapola)

10h36- São Paulo: ”Vai passando um rádio para os companheiros encontrarem a gente no caminho”, afirmou um líder sindical dos motoboys em um carro de som rumo à Av. Paulista. O grupo deixou a sede do sindicato da categoria, no Brooklin, zona sul, às 10h25 em direção a avenida. Cerca de 500 motoqueiros saíram atrás do carro de som, ocupando as quatro faixas da Avenida dos Bandeirantes. A manifestação é acompanhada pela Polícia Militar. O trajeto passará, também pelas avenidas 23 de Maio e Paulista, onde os motoboys se juntarão a outros trabalhadores que protestam hoje, no “Dia Nacional de Lutas”. O sindicato espera reunir mais manifestantes ao longo do caminho (Tiago Dantas)

10h33- Rio de Janeiro: Trabalhadores em protesto por melhores condições de vida interditaram um trecho da BR 493, na altura de Itaguaí, região do Grande Rio,  por volta das 6h30. Convocada peloSindicato dos Metalúrgicos, a manifestação, ocupava um acesso ao Porto de Itaguaí, mas foi dissipada pela Polícia Rodoviária Federal uma hora depois. Funcionários que chegavam de ônibus para trabalhar na Nuclebrás Equipamentos Pesados chegaram a ser impedidos de entrar pelos manifestantes, que atearam fogo em pneus para obstruir a passagem dos veículos. Mas a situação já se normalizou, segundo informou há pouco a PRF (Roberta Pennafort)

10h31-Minas Gerais: Em dia de protestos pelo país, ônibus e metrô param em Belo Horizonte,confira a matéria

10h26- São Paulo: Grupo que protestava na altura do km 21 da Rodovia Anchieta segue agora pelaAvenida Lucas Nogueira Garcêz, em São Bernardo do Campo. A passeata é pacífica e segue rumo ao Paço Municipal. Representantes de diferentes categorias reivindicam, dentre outros: pautas trabalhistas, plebiscito para reforma política e melhorias na saúde e educação. Outro ponto bastante comentado é o Projeto de Lei 4330, sobre terceirização do trabalho, que, segundo os manifestantes, vai precarizar as condições de trabalho (Nayara Fraga)

10h20- São Paulo: Cerca de 200 aposentados também protestam na capital paulista na manhã desta quinta-feira. Grupo sobe a Brigadeiro Luis Antônio, no sentido Av. Paulista. Segundo a PM, não há prejuízo ao trânsito

10h17- São Paulo: Em Ribeirão Preto, servidores públicos municipais dizem que estão mantendo somente os serviços considerados essenciais, como o atendimento na saúde pública, que ficará com pelo menos 30% dos funcionários em atividade. Já a Prefeitura garante que o expediente nas repartições segue normal nesta quinta. Entre outras reivindicações, a categoria pede a implantação de um Plano de Cargos, Carreiras e Salários (Rene Moreira)

10h15- São Paulo: Manifestantes que seguiam por Guarulhos acabaram de ocupar quatro faixas dapista Marginal da Rodovia Presidente Dutra, no sentido São Paulo, na altura do km 124 (Luciano Bottini)

10h12- São Paulo: Em Ribeirão Preto, quase todos servidores públicos municipais já começaram a se concentrar no centro da cidade. Eles se reúnem na frente do Instituto de Previdência dos Municipiários IPM, de onde sairão em passeata até a Prefeitura (Rene Moreira)

10h04- São Paulo: Pelo menos 300 manifestantes iniciaram uma passeata pelas ruas do centro deCampinas. O grupo partiu da Estação Cultura, por volta das 9h30. Eles devem fazer um primeiro ato em frente à Catedral Metropolitana de Campinas (Ricardo Brandt)

10h01- Neste momento, manifestações afetam 11 Estados do país. RS, SP, PE e Bahia são os mais afetados. Somente em São Paulo há 21 pontos de protestos nas ruas

09h57- Bahia: Estado tem rodovias federais e estaduais bloqueadas nesta quinta-feira. Confira a matéria

09h54- São Paulo: Manifestantes ocupam a Ponte Estaiada, grupo deve seguir para a Av. Paulista:

Ao menos oito sindicatos de trabalhadores e cinco grupos não ligados a partidos programam greves e passeatas na capital paulista e em municí­pios da região metropolitana. Na foto Trabalhadores da construção civil fecham a ponte Estaiada (FOTO: Felipe Rau/ESTADÃ?O)

09h51- Bahia: As mobilizações em torno do “Dia Nacional de Luta” estão causando diversos bloqueios em rodovias federais e estaduais. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, a mais movimentada estrada baiana, a BR-324, está bloqueada desde as 5 horas em dois pontos, na entrada do município de Simões Filho, na região metropolitana de Salvador, e na entrada de Feira de Santana, segundo maior município do Estado (Tiago Décimo)

09h50- São Paulo: “A Força Sindical não vai pedir um golpe nem que retire a presidente Dilma. Agora, tem essa insatisfação que deve ser cobrada nas urnas”, afirmou Paulinho da Força. Ele negou que o fato de os metroviários e funcionários da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos não terem aderido à greve tenha esvaziado o protesto. Segundo ele, as manifestações pela cidade superaram as expectativas da central sindical (Artur Rodrigues)

09h40- São Paulo: Cerca de 200 manifestantes já se aglomeram no vão livre do Masp e interditam uma faixa da Av. Paulista no sentido Consolação, devido a um carro de som no local. Grupo deve sair para a Praça Ramos de Azevedo na tarde de hojeDe acordo com o Sindicato dos Bancários,os bancos da Av. Paulista devem abrir hoje somente a partir das 14h

09h37- São Paulo: Anchieta segue com manifestações em dois pontos. No sentido São Paulo, cerca de 1,5 mil manifestantes bloqueiam totalmente a via na altura do km 21 e seguem para oPaço Municipal de São Bernardo do Campo. Já no sentido litoral, cerca de 500 manifestantesdeixam apenas uma faixa liberada para veículos, na altura do km 15. Grupo segue para o Terminal Sacomã (Nayara Fraga)

09h33- Pernambuco: Porto de Suape também é alvo de protestos na manhã desta quinta-feira.Confira a reportagem 

09h32- São Paulo: Cerca de cem manifestantes do PSTU protestam agora em frente à Prefeitura de Santo André protestando, informa a PM

09h17- São Paulo: Ao som de música eletrônica e rap, vindos de dois carros de som, cerca de 30 motoboys se concentravam em frente ao sindicato da categoria,  por volta das 9h.  Os sindicalistas esperam sair do local, situado na Rua Doutor Eurico Rangel, acesso da Avenida Bandeirantes para a Av. Vereador José Diniz, em direção à Avenida Paulista, às 10h. No caminho, o trânsito daAvenida 23 de Maio deve ser afetado no sentido centro. O presidente do SindimotoSP, Gilberto Almeida dos Santos, o Gil, espera a presença de mais de mil trabalhadores. A categoria reivindica, entre outras coisas, criação de motofaixas e bolsões de estacionamento, mudanças na multa por viseira levantada e adicional de periculosidade (Tiago Dantas)

09h15- São Paulo: Vídeo registra o encontro de diferentes grupos de manifestantes na Ponte do Socorro:

09h11- Confira as imagens dos protestos na manhã desta quinta-feira:

09h08- São Paulo: Trabalhadores da zona oeste ocupam agora a Ponte do Piqueri, e costureiras e trabalhadores dos setores têxtil e de alimentação ocupam a Av Celso Garcia, de acordo com representantes da Força Sindical (Clarice Cudischevitch)

09h00- São Paulo: Manifestantes se aglomeravam nesta manhã próximo à fábrica da Scania, emSão Bernardo do Campo. Grupo de cerca de 1,5 mil pessoas caminha agora pelaRodovia Anchieta, na altura do km 21, rumo ao Paço Municipal da cidade (Nayara Fraga):

FOTO: Nayara Fraga/ESTADÃO

 

08h56- São Paulo: Grupo segue pela Marginal Pinheiros e vai ganhando apoio:

08h55- São Paulo: Os cinco terminais de ônibus de Piracicaba estão fechados na manhã desta quinta-feira, 11, por causa do “Dia Nacional de Lutas”. O Conselho de Entidades Sindicais de Piracicaba (Conespi) fechou a saída das garagens das empresas de ônibus desde às 4h. Os ônibus devem ser liberados para circular às 12h(Ricardo Brandt)

08h50- São Paulo: Cerca de trezentos integrantes do MST da Base, dissidência do Movimento dos Sem-Terra (MST), protestam na manhã desta quinta-feira, 11, na entrada da usina Decasa Açúcar e Álcool em Marabá Paulista, no Pontal do Paranapanema, extremo oeste do Estado. O grupo impedia a entrada de caminhões carregados com cana-de-açúcar. O protesto ocorre em adesão ao“Dia Nacional de Lutas” convocado pelas centrais sindicais e movimentos sociais. A Polícia Militar acompanha a manifestação (José Maria Tomazela)

08h46- Ceará: O maior hospital de emergência do Estado, o Instituto José Frota (IJF), emFortaleza, está parado. Todos servidores da unidade aderiram ao “Dia Nacional de Lutas” e prometem sair em passeata até a sede da Prefeitura para apresentar uma pauta de reivindicações aoprefeito Roberto Cláudio (PSB). O grupo reivindica principalmente melhorias no atendimento do IJF,que é referência em traumas no Nordeste (Lauriberto Braga)

08h44- Ceará: Os trabalhadores da construção civil no Estado bloqueiam o acesso ao Terminal de Ônibus do Papicu, em Fortaleza. De lá eles caminham para a Praça Portugal onde haverá ato do “Dia Nacional de Lutas” (Lauriberto Braga) 

08h40– São Paulo: Além do grupo concentrado próximo ao km 21 da Anchieta, outros manifestantes ligados ao Sindicato de Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes ocupam o km 12 da rodovia e se preparam para seguir no sentido Sacomã (Nayara Fraga)

08h35-São Paulo: Um grupo de manifestantes se concentra agora em frente à sede da Scania, na altura do km 21 da Rodovia Anchieta. Dentre as diferentes reivindicações, estão placas e cartazes com os dizeres:  ”Com Dilma em defesa da reforma politica e plebiscito já”; “Contra a precarização do trabalho”;  ”Sou jovem, sou contra os corruptores”; “Quero falar também, democratização dos meios de comunicação!”. O grupo deve seguir para o Paço Municipal de São Bernardo do Campo, no caminho eles vão passar por diferentes empresas e convocar os funcionários (Nayara Fraga)

08h26- São Paulo: A ordem teria sido expedida pela Justiça Federal a pedido da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), prevendo multa de R$ 100 mil por cada hora de paralisação da rodovia. Os manifestantes devem liberar o trânsito na próxima hora e seguirão para outros pontos da cidade (Gerson Monteiro)

08h25- São Paulo:  A Polícia Rodoviária Federal em São José dos Campos está com uma liminar judicial proibindo a União Geral dos Trabalhadores e a Força Sindical de interditarem aRodovia Presidente Dutra. O documento chegou a ser apresentado aos sindicalistas há poucos instantes. Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, que está com os trabalhadores na rodovia, a entidade é filiada a Conlutas e, portanto, não seria a ré no processo(Gerson Monteiro) 

08h23- São Paulo: Cerca de 200 manifestantes fecharam a Rodovia Miguel Melhado Campos (SP-324), que liga o Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, a Vinhedo, na manhã desta quinta-feira, 11. São moradores do bairro Campo Belo que protestam contra a desapropriação da área para a ampliação do aeroporto. (Ricardo Brandt)

08h21- São Paulo: Grupo que se concentrava na Metalúrgica Prada, na zona sul da capital, chega à Marginal Pinheiros:

08h16- São Paulo: Grupo de manifestantes que se concentrava em Guarulhos ignora decisão judicial e segue sentido a Rodovia Presidente Dutra. No caminho, os manifestantes estão passando pelas fábricas e convocando mais trabalhadores para se juntar ao movimento. O grupo já passou por 39 empresas metalúrgicas, seis gráficas e uma química ate agora (Luciano Bottini)

08h10-São Paulo: Grupo segue em direção ao Largo do Socorro, na zona sul da capital:

FOTO: Clarice Cudischevitch/ESTADÃO

08h00- São Paulo: Apesar dos protestos marcados pelas centrais sindicais para a manhã desta quinta-feira, 11, o trânsito segue tranquilo em algumas das principais avenidas da capital. Por volta das 7h45, os motoristas não encontravam problemas ao passar pelas avenidas Tancredo Neves e Bandeirantes, nos dois sentidos. O tráfego na Avenida Ibirapuera também fluía normalmente no horário. O trânsito dessas avenidas deve ser afetado, ao longo da manhã, pela manifestação de motoboys. Os trabalhadores vão se encontrar na sede do sindicato, no acesso da Bandeirantes à Avenida Vereador José Diniz, e ir, de moto, até a Avenida Paulista, passando pela 23 de Maio. A categoria promete não bloquear totalmente a pista em seu trajeto (Tiago Dantas)

07h58- São Paulo: Justiça Federal concedeu liminar ao governo federal e proibiu que os 3 mil manifestantes que se concentram nesta quinta-feira, dia 11, ao lado da Rodovia Dutra, em Guarulhos, interrompam o tráfego nas estradas federais que cruzam o Estado de São Paulo. A decisão é do juiz Fernando Hnerique Custódio e prevê multa de R$ 100 mil contra as centrais sindicais UGT e a Força Sindical, por hora de bloqueio. Em Guarulhos os líderes do protesto, ligados às duas centrais, afirmaram que não devem obedecer à determinação do juiz.  Em São José dos Campos, um outro grupo de manifestante ligado às centrais sindicais interromperam o tráfego na rodovia desde as 5h30 (Luciano Bottini)

07h55- Manifestantes param indústrias no “Dia Nacional de Lutas”. Confira a matéria exclusiva

07h52- São Paulo: A Radial Leste está com três faixas bloqueadas, na altura da do Metrô Belémdevido a manifestantes que seguem caminhando pela via no sentido centro

07h50- São Paulo: Outros pontos estratégicos, como a Divisa entre Santos e São Vicente, nas imediações da Praia do Itararé, também estão sendo interditados, por enquanto, de forma pacífica. Já a travessia de balsas, entre Santos e Guarujá, vem funcionando normalmente. As empresas de transporte coletivo da Baixada estão funcionando normalmente. Só os ônibus intermunicipais, como os que ligam Santos a São Vicente e Santos a Cubatão, estão encontrando dificuldades para ultrapassar os bloqueios instalados na entrada da cidade e na divisa da praia. A Polícia Militarinformou que está atenta a toda a movimentação e que só intervirá se houver depredação. (Zuleide de Barros)

07h48- São Paulo: Grupo se concentra em Guarulhos, na manhã desta quinta-feira:

FOTO: Werther Santana/ESTADÃ?O

07h47- São Paulo:Um protesto está programado para esta manhã em frente à Usiminas, empresa que concentra o maior número de trabalhadores, que atuam em turnos. A Rodovia Cônego Domênico Rangoni também foi fechada no mesmo horário, impedindo a passagem de caminhões e carretas que acessam os terminais marítimos da margem esquerda do porto, em Guarujá (Zuleide de Barros)

07h45- São Paulo: Os principais acessos ao Polo Industrial de Cubatão e ao Porto de Santosforam bloqueados por volta das 5 horas desta quinta-feira, 11, “Dia Nacional de Lutas”, que está sendo promovido por 80 sindicatos, coordenados por oito centrais sindicais. Os bloqueios ocorrem na entrada da cidade, na Avenida Martins Fontes, altura do Cemitério do Saboó, prejudicando a movimentação de veículos que se dirigem à Via Anchieta. Só mesmo a pé, os trabalhadores têm condições de atingir as 22 indústrias que integram o parque industrial de Cubatão (Zuleide de Barros)

07h42- São Paulo: Manifestantes interditam também a Rodovia Raposo Tavares, no sentido São Paulo. Grupo bloqueia a via na altura do km 18,5 e já provoca lentidão de 2 km, informa o DER-SP

07h36- São Paulo: Manifestantes bloqueiam três faixas da Av. Washington Luis, no sentido centro,próximo ao Aeroporto de Congonhas, informa CET

07h31- São Paulo: “Trabalhador unido jamais será vencido”, entoam os manifestantes em frente à Metalúrgica Prada

07h27- São Paulo: Manifestantes bloqueiam agora uma faixa da Av. Celso Garcia, no sentido bairro,  próximo à Rua Joli, informa a CET

07h25- São Paulo: Cerca de 200 manifestantes fecham a Via Anchieta, na entrada de Santos,desde as 07h15

07h24- Rio de Janeiro: À tarde, estão previstas manifestações que unirão as centrais sindicais e as organizações apartidárias responsáveis pela organização, em junho, dos grandes protestos que pararam o centro do Rio e afetaram bairros vizinhos. Serão realizados atos na Cidade Nova, em frente à sede da Prefeitura; na igreja da Candelária, com marcha até a Cinelândia, no Centro; e no Largo do Machado (Laranjeiras, zona sul), de onde os manifestantes deverão seguir rumo aoPalácio Guanabara, sede administrativa do governo estadual (Sérgio Torres)

07h21- Rio de Janeiro: A região metropolitana do Rio de Janeiro não está, até agora, sofrendo os efeitos da greve geral deflagrada no País pelas centrais sindicais. Como as categorias profissionais de setores do transporte público não aderiram ao movimento, os ônibus, trens urbanos, metrô e barcas entre Rio e Niterói funcionam sem problemas.O problema maior ocorre em Benfica (bairro na zona oeste), onde o acesso de caminhões ao Centro de Operações dos Correios foi interrompido por grevistas. A Polícia Militar está no local (Sérgio Torres)

 07h17- São Paulo: Grupo de motoqueiros adere ao “Dia Nacional de Lutas” e bloqueia a Marginal Pinheiros, no sentido Interlagos, na altura da Ponte João Dias

07h16- São Paulo: Manifestantes se concentram em Guarulhos e pretendem ocupar a Via Dutra:

Sindicalistas na Rua Barão de Rio Branco, em Guarulhos (FOTO: Luciano Bottini/ESTADÃO)

07h14- São Paulo: Av. Paulista já tem uma faixa interditada no sentido Consolação, na altura doMasp. Cerca de 50 manifestantes se concentram no local

07h10- São Paulo: ”Somos todos trabalhadores que acordaram cedo, não estamos aqui para vandalizar e não aceitaremos infiltrados que querem atrapalhar a ordem”, afirmou o diretor doSindicato dos Metalúrgicos, CarlãoSindicalistas reivindicam pauta trabalhista próximo à Metalúrgica Prada, na zona sul da capital:

07h00- São Paulo: Cerca de 400 manifestantes estão concentrados na Rua Barão de Rio Branco,no bairro de Itapejica, em Guarulhos. Grupo está  próximo ao Shopping Internacional de Guarulhos, e aguarda a chegada de outros trabalhadores para ir em direção a Rodovia Presidente Dutra, onde eles pretendem bloquear ambos os sentidos da via (Luciano Bottini)

06h56-São Paulo:  A Força Sindical e o Sindicato dos Metalúrgicos estão concentrados em frente à metalúrgica Prada, na zona sul da capitale vão seguir em direção ao Largo do Socorro, a partir das 7h. “São Paulo vai parar”, diz o deputado Paulinho Pereira da Silva, o Paulinho da Força, sobre os protestos que estão previstos hoje para varias regiões do estado, no dia nacional de lutas (Clarice Cudischevitch). Veja abaixo o depoimento do deputado

06h54- São Paulo:  Em Cubatão, segundo a PM, uma ordem judicial já foi expedida para que a polícia intervenha em caso de bloqueio das rodovias. A divisa de Santos e São Vicente, na praia, está completamente bloqueada para o trânsito

06h50- São Paulo: Desde a madrugada o Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté, no Vale do Paraíba, realiza mobilização na região do Distrito Industrial do Piracangaguá. A área abrange várias fabricantes de autopeças.A estimativa dos sindicalistas é a de que 10 mil trabalhadoresatrasem em pelo menos uma hora a entrada nas fábricas. As montadoras Volkwagen, Ford e LGserão poupadas nas manifestações de hoje (Gerson Monteiro)

06h38- São Paulo:  Rodovia Cônego Domênico Rangoni está totalmente bloqueada no sentidoGuarujá, na altura do km 268

06h35- São Paulo: O cruzamento da Avenida das Nações Unidas com a Avenida Interlagos está totalmente bloqueada por manifestantes no sentido Interlagos

06h30- São Paulo: Rodovia Presidente Dutra, principal rodovia do país que liga o Rio de Janeiro a São Paulo, está interditada desde as 6h na altura dos km 149 e 146, em São José dos Campos, sentido Rio,segundo a Nova Dutra, sentido Rio.O trecho dá acesso a Embraer. Na frente da General Motors, manifestantes estão em reunião neste momento decidindo como farão a interdição do sentido São Paulo.A Polícia Rodoviária Federal acompanha as manifestações(Gerson Monteiro)

06h25- São Paulo: Sindicalistas bloqueiam agora a Avenida Goiás, em São Caetano, na altura daGeneral Motors (GM). Além disso, cerca de 80 metalúrgicos e um carro de som, ligados à Força Sindical, já estão na Ponte do Socorro, em São Paulo. Por enquanto, via não está bloqueada

06h20- Rio Grande do Sul: Também há estrada interrompida no Rio Grande do Sul, a Br-116, nas proximidades de Porto Alegre. Ali o tráfego de veículos não se movimenta nas duas pistas, tanto para chegar a Porto Alegre quanto para sair (Zuleide Barros/Gerson Monteiro)

06h15- São Paulo:  Membros dos Sindicatos dos Portuários e de outras entidades interrompem a entrada para Santos neste momento, como parte das manifestações do dia nacional de lutas, idealizado por centrais sindicais. O tráfego está interrompido nos dois sentidos. Também há interrupção de tráfego de veículos na Via Dutra, que liga São Paulo ao Rio de Janeiro, na altura deSão José dos Campos, no Vale do Paraíba. Aí os grupos de manifestantes são ligados aoSindicato dos Metalurgicos de São José dos Campos. Não há horário para estas manifestações pararem (Zuleide Barros/Gerson Monteiro)

06h12- São Paulo: Manifestantes já bloqueiam a entrada de Santos, na Avenida Martins Fontes

06h05- Bahia: Os ônibus municipais não estão circulando em Salvador. Além disso, a BR-324, que liga a capital a Feira de Santana, está bloqueada

06h04- Minas Gerais: Neste momento, ônibus municipais e metrô não funcionam em Belo Horizonte

05h55- São Paulo: Em assembleia na noite de ontem, metroviários decidiram não participar da greve de hoje. Confira a matéria exclusiva

05h50- São Paulo: A Presidente Dutra já está com a pista Expressa bloqueada por manifestantes,no sentido Rio de Janeiro, na altura do km 146, em São José dos Campos

05h42- São Paulo: Manifestantes já bloqueiam a pista Expressa da Rodovia Anhanguera, no sentido interior, na altura do km 29

05h31- Mapa mostra os principais pontos que devem ser alvos de protestos:

05h30- Bom dia! A Rodovia Presidente Dutra deve ser bloqueada pro volta de 6h em São Paulo e no Rio de Janeiro