Alckmin insiste em vandalismo e diz que ação da PM será apurada

luisbovo

14 Junho 2013 | 12h02

12h34 – Ao SP TV, da Globo, o governador Geraldo Alckmin disse que um inquérito da Corregedoria da PM vai apurar a ação da tropa de choque no protesto da noite de quinta-feira, 13, contra o aumento da tarifa do transporte coletivo. “É dever da polícia proteger a população e garantir o direito de ir e vir e preservar o patrimônio público e privado. Ontem ocorreram 48 ônibus destruídos pichados, destruição de lojas e metrô”, disse. “Temos de garantir tranquilidade à família. Esse é o dever da polícia. Abuso já está sendo investigado. Não temos compromisso com o erro de qualquer lado. Mas queria destacar o caráter político do movimento que ocorre nas principais capitais do País e inclusive em cidade que não teve aumento de tarifa, sempre com a violência”, continuou.

12h02 – Um dia após o quarto protesto contra o aumento da tarifa, no qual ao menos 105 pessoas ficaram feridas, o governador Geraldo Alckmin insistiu na manhã desta sexta-feira, 14, no Palácio dos Bandeirantes, que o que tem se visto são atos de vandalismo. Sem responder às perguntas dos repórteres, Alckmin se limitou a dizer que qualquer excesso da Polícia Militar será apurado.

O governador designou o comandante-geral da PM, Benedito Meira, e o secretário de Segurança Pública, Fernando Grella, para falarem com os repórteres sobre a ação policial. (Artur Rodrigues)