AO VIVO: Manifestantes voltam às ruas pelo País neste sábado

Ricardo Chapola

22 de junho de 2013 | 14h57

21h32 – Vândalos continuam provocando destruição e saques no centro e outras regiões de Belo Horizonte. Depois de um confronto na Pampulha, um grupo se dirigiu para a Praça Sete de Setembro, local de concentração das manifestações realizadas na cidade destruindo lojas, agências bancárias, radares de trânsito e de registro de avanço de semáforos, entre outros imóveis e equipamentos públicos e privados.

Veículos da imprensa também foram atacados. No caminho para o centro, um grupo tentou invadir até um batalhão do Corpo de Bombeiros localizado na Avenida Presidente Antônio Carlos. A Polícia Militar tenta conter os tumultos que ocorrem em várias ruas da área central e montou cercos para impedir o acesso dos vândalos a outras regiões da capital.

21h17 – Em São Paulo, a manifestação foi encerrada e a Avenida Paulista está liberada.

21h09 – Pelo menos 30 pessoas foram detidas em Bangu, na zona oeste do Rio de Janeiro, sob acusação de praticar saques em lojas do bairro no fim de uma manifestação que reuniu cerca de 500 pessoas. Segundo a Polícia Militar, foram apreendidos paus, pedras e coquetéis molotov com o grupo, que incluía 16 adolescentes. Houve tumulto e correria. De acordo com a polícia, alguns manifestantes tentaram fechar ruas do bairro com barricadas de fogo.

No início da noite, cerca de 50 pessoas protestavam em frente ao Palácio Guanabara, sede do governo estadual, em Laranjeiras, na zona sul, que está isolado por grades. A Rua Pinheiro Machado, onde fica o palácio, foi interditada.

21h02 – A tropa de choque da Polícia Militar mineira voltou a atirar bombas de efeito moral e de gás lacrimogêneo em manifestantes que retornaram à Praça Sete de Setembro, no centro de Belo Horizonte, na noite deste sábado, 22. Parte dos integrantes que participou do protesto que terminou em confronto próximo ao estádio Mineirão, na Pampulha, voltou para o ponto de concentração e a PM tenta dispersar o grupo, inclusive com o uso do chamado caveirão, veículo blindado usado pela primeira vez pela corporação. A manifestação foi a maior já realizada na cidade e reuniu 100 mil.

Há muita correria na região central. Em nota, o chefe da Polícia Civil mineira, delegado Cylton Brandão, informou que 22 pessoas já foram presas desde o início das manifestações na cidade, no último sábado (15). Durante o confronto ocorrido no início da noite, ao menos 12 pessoas ficaram feridas. No centro, há vários focos de incêndio causados por vândalos.

20h55 – Integrantes do movimento Dia do Basta e do Unidos por Um País Melhor (UPPM) que participam de manifestação na Avenida Paulista, em São Paulo, convocaram os manifestantes para um novo ato na quarta-feira, 26, às 17 horas, com concentração no vão livre do Masp.

20h52Salvador voltou a registrar, entre o fim da tarde e o início da noite deste sábado, confrontos entre jovens manifestantes e policiais militares. Os confrontos foram menores que os registrados na noite de quinta-feira, mas também deixaram destruição em dois pontos da cidade, o centro e a região do Iguatemi, centro financeiro da capital baiana. Pelo menos três pessoas ficaram feridas e outras seis foram detidas durante os protestos, entre eles um jornalista.

20h49 – Três pessoas foram presas durante a manifestação deste sábado em Brasília. Com elas foram apreendidos coquetéis molotov, uma faca e um estilingue. O trio tinha aderido à passeata nas proximidades da Rodoviária de Brasília, no centro da capital.

20h47 – Em nova estimativa, a Polícia Militar informou que ao todo 35 mil pessoas participaram de manifestação neste sábado em São Paulo. No momento, um grupo menor voltou para a Avenida Paulista, que segue com bloqueios nos dois sentidos na altura da Avenida Brigadeiro Luís Antônio.

20h30 – Em São Paulo, a Avenida 23 de Maio, na região do Viaduato Jaceguai,  já está com a pista liberada pelos manifestantes, informou a Companhia de Engenharia de Trâfego (CET). Segundo o órgão, o protesto segue em direção à Avenida Paulista, pela Avenida Brigadeiro Luís Antônio.

19h57 – A manifestação contra a PEC 37 chegou à  Avenida  23 de maio, na região central de São Paulo. A pista está bloqueada nos dois sentidos, segundo a Polícia Militar.

19h51 – Um grupo de cerca de 2 mil manifestantes esteve neste sábado, 22, no Congresso Nacional para protestar, mas desta vez contra a permanência de Renan Calheiros (PMDB-AL) na presidência do Senado e do deputado Marco Feliciano (PSC-SP) na Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados. O grupo também definiu como alvos dos protestos os mensaleiros e a PEC 37, que retira poderes de investigação do Ministério Público.

Foto: Dida Sampaio/Estadão

 

19h15 – Em São Paulo, a manifestação prevista para terminar em frente ao prédio do Ministério Publico, localizado na rua Riachuelo, teve seu caminho alterado e foi encerrada, as 19h, de forma pacífica, em frente a sede da Prefeitura de São Paulo, no centro.

Segundo a PM, o perfil dos manifestantes desta última passeata que reuniu 30 mil pessoas foi diferente do que foi visto nos últimos dias. Muitas crianças com suas famílias participaram do ato.

Foto: Tiago Queiroz/Estadão

18h48 – Em São Paulo, a Rua da Consolação segue bloqueada. Manifestantes seguem caminhando sentido a Avenida São Luís, segundo a CET. Avenida Paulista continua bloqueada, pois ainda há um grupo concentrado em frente ao Masp, bloqueando a pista. Porém os manifestantes liberam os cruzamentos na avenida.

18h27Em Salvador, manifestantes entraram em confronto neste sábado, com a Polícia Militar na entrada do Dique do Tororó, a cerca de um quilômetro do estádio. Em um número mais reduzido em relação à última passeata, realizada na sexta-feira, os manifestantes chegaram ao bloqueio policial e foi lá que tudo começou.

Alguns tentaram dialogar com a polícia, outros tentavam passar pelo cerco, mas, no momento que um manifestante arremessou um rojão em direção aos policiais, veio o troco. Muitas bombas de gás lacrimogêneo foram atiradas na direção dos participantes do protesto, houve grande pânico e correria.

Aos poucos, a polícia foi fazendo os manifestantes recuarem e a situação ficou tensa nos arredores da Fonte Nova, onde o Brasil enfrentou a Itália para definir a primeira colocação do Grupo A na Copa das Confederações.

Foto: André Penner/AP

18h00 – Segundo a PM de São Paulo, 30 mil manifestantes em ato pacífico seguem em direção a sede do Ministério Público, localizado na rua Riachuelo. No momento, o grupo está passando pela praça Roosevelt, centro de SP.

17h44 – Internautas registram as novas manifestações ocorridas neste sábado pelo País:

 


Belo Horizonte

Foto: @gush21 (Gustavo Henrique)/Reprodução

Foto: @ca_bittencourt (Camila Bittencourt)/Reprodução

Foto: @guilhermealvarenga (Guilherme Alvarenga)/Reprodução

 

Distrito Federal

Foto: @viclampert (Vic Lampert…)/Reprodução

 

17h23 – Manifestação em São Paulo interdita a Rua da Consolação, pista no sentido centro, junto à Rua Caio Prado, segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego – CET.

17h16 – Salvador registrou duas caminhadas na tarde deste sábado: uma na região do Iguatemi, sentido centro, e outra que saiu da Praça do Campo Grande, sentido Iguatemi. As duas se encontraram no meio do caminho. Milhares de pessoas participavam do ato pacífico. A polícia acompanhava à distância. Hoje também não houve problemas no entorno do Estádio Fonte Nova, palco de confrontos entre polícia e manifestantes nos últimos dias. (Tiago Décimo)

17h06 – Policiais e manifestantes tiveram um princípio de confronto na avenida Abrahão Caram, na região da Pampulha, em Belo Horizonte. Um pequeno grupo que participa do protesto atirou pedras e disparou rojões em direção aos militares que fazem cordão de isolamento para impedir que a manifestação chegue ao Mineirão, onde ocorre jogo entre Japão e México pela Copa das Confederações. Os policiais reagiram com bombas de efeito moral, mas os demais manifestantes, aos gritos de “sem violência”, conseguiram acalmar aqueles que atacavam a PM e o tumulto foi encerrado. Segundo o assessor da PM mineira, tenente-coronel Alberto Luiz, dois militares foram atingidos por pedradas e ficaram feridos, mas sem gravidade.

Foto: Dudu Macedo/Divulgação

16h56 – Cerca de 4 mil pessoas participam neste sábado de um protesto contra a PEC 37 na Avenida Paulista, em São Paulo, segundo a Polícia Militar (PM). A manifestação ocorre em clima de tranquilidade. Os manifestantes tomaram o vão livre do Masp às 16h e caminham em sentido ao Vale do Anhangabaú, no centro. No começo do ato, eles se sentaram na avenida, cantaram o Hino Nacional e agora levam faixas e bandeiras distintas, que pedem também o fim da corrupção. (Fernando Gallo)

Foto: JF Diorio/Estadão

16h44 – Apelos para que a Justiça seja feita no processo da boate Kiss são umas das principais reivindicações do protesto, que ocorreu na manhã deste sábado, em Santa Maria, na região central do RS. Mais de 30 mil pessoas participaram da caminhada pelas principais ruas do centro do município, conforme estimativa da Brigada Militar. A caminhada teve início na praça Saldanha Marinho, no centro da cidade.

Pessoas de todas as idades, mas principalmente jovens com caras pintadas e levantando cartazes, bradaram gritos de ordem já conhecidos pelas manifestações recentes em todo Brasil, como a redução da tarifa de ônibus, contra os gastos com a Copa do Mundo e a Copa das Confederações e condenando a corrupção. Entretanto, um grande número de participantes pede Justiça no caso do incêndio da boate Kiss, que vitimou fatalmente 242 pessoas e feriu outras dezenas, no dia 27 de janeiro deste ano.

Durante a manifestação não foram registrados atos de vandalismo nem confronto com a polícia. Para a marcha, itinerários de ônibus tiveram que ser alterados e lojistas fecharam as portas. Algumas ruas do centro também foram bloqueadas pela polícia. (Lucas Azevedo)

16h17 – Duas pistas da Avenida Paulista interditadas pela manifestação. Eles continuam no Masp. Situação é tranquila. Em torno de 200 pessoas participam do ato.

Foto: JF Diorio/Estadão

16h04 – A Polícia Militar mineira já estima em aproximadamente 100 mil pessoas o público que participa de nova manifestação realizada neste sábado em Belo Horizonte, o que faz do ato o maior protesto já registrado na cidade. No meio da tarde, o grupo que estava à frente da passeata já passava pelo campus da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), na avenida Presidente Antônio Carlos, enquanto, segundo a PM, manifestantes ainda deixavam o Centro da capital, a cerca de oito quilômetros de distância. Até pouco antes das 16h não havia nenhum registro de ocorrências no protesto.

15h59 – Acontece agora em Brasília a Marcha das Vadias. Os manifestantes estão concentrados numa região central da cidade e devem iniciar a marcha daqui a pouco. O trajeto não foi divulgado pelas organizadoras do evento.

“O feminismo nunca dormiu, a gente tá nas ruas do Brasil” é um dos gritos pronunciados pelos presentes, em referencia à frase “o gigante acordou”, usados por outras manifestações. Elas fazem questão de lembrar que a Marcha das Vadias está no terceiro ano no Distrito Federal.

Outros gritos ouvidos são: “ela não anda, ela desfila”, “eu só quero é ser feliz, andar tranquilamente na cidade onde eu nasci.

Manifestantes protestam contra o projeto de “cura gay”, encampado pelo deputado Marco Feliciano (PSC-SP), presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados. (Laís Alegretti / Brasília)

15h38 – Manifestantes contra a PEC 37 interditam a Avenida Paulista no sentido Consolação e ocupam o vão do Masp. Ainda são em torno de 200 pessoas, segundo a CET.

                        Foto: @shiltonroque/Reprodução

15h06 – Em Curitiba, na manhã deste sábado,  um grupo com cerca de 200 pessoas protestou contra a PEC 37, que reduz os poderes do Ministério Público de investigar denúncias.

14h52 – Ao menos 11 cidades têm atos marcados contra a PEC 37 neste fim de semana. Em São Paulo, o protesto acontece neste sábado, 22, a partir das 15h, no vão do Masp. O evento no Facebook tem mais de 230 mil pessoas confirmadas.

Já no Rio de Janeiro, a manifestação está marcada para o domingo, 23, às 16h. O ponto de encontro é o Posto 4, em Copacabana, e mais de 35 mil pessoas confirmaram presença no Facebook.

Também há protestos previstos em Belo Horizonte, Recife, Maceió, Juiz de Fora, Curitiba, Cuiabá, Porto Velho, Matozinho e Júlio de Castilhos. Em Teresina, o ato acontece na segunda-feira, 24, e em Brasília, na quarta-feira, 26.

Chamada pelos manifestantes de “PEC da impunidade”, a Proposta de Emenda Constitucional limita o poder de investigação criminal do Ministério Público, órgão que tem autonomia em relação ao Executivo, Legislativo e Judiciário.

O apelo popular fez com que o presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), adiasse, na quinta-feira, 20, a votação da PEC 37, que estava prevista para o dia 26 de junho.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.