Dilma pede que papa respeite "opções diferenciadas das pessoas"

Tania Valeria Gomes

18 de março de 2013 | 09h29

Jamil Chade

ROMA – A presidente Dilma Rousseff fez um pedido ao papa Francisco, às vésperas da posse do novo pontífice amanhã. Em Roma, Dilma alertou que apenas a atenção à pobreza, já prometida pelo argentino, não seria suficiente.

“É uma postura importante”, disse Dilma em relação ao discurso de combate à pobreza de Francisco. Mas completou: “É claro que o mundo pede hoje além disso que as pessoas sejam compreendidas e que as opções diferenciadas das pessoas sejam compreendidas”, declarou.

Para Dilma, o argentino não deve ter posições revolucionárias em relação a temas como casamento entre pessoas do mesmo sexo ou aborto. “Não me parece que seja um tipo de papa que vai defender esse tipo de posição”, disse. “Não está me parecendo”, completou.

As declarações foram dadas pela presidente enquanto ela visitava uma exposição do pintor Tiziano, em Roma. A assessoria de imprensa da presidente não divulgou que ela estaria na exposição e a delegação chegou a sair por uma porta dos fundos do hotel onde se encontra.

Ontem, Dilma também usou seu tempo para fazer turismo por Roma, visitando duas igrejas. “Quem não gosta de Roma”, declarou.

Amanhã, ela estará no entronamento do papa Francisco, ao lado de 150 autoridades de todo o mundo.